Diminuem os casos, mas crescem as mortes por dengue no Ceará em 2013


Diminuem os casos, mas crescem as mortes por dengue no Ceará em 2013

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado, quando foram registrados 51.915 casos de dengue clássica, hemorrágica e dengue complicação

Por Felipe Lima em Ceará

23 de dezembro de 2013 às 10:28

Há 6 anos

O número de casos confirmados de dengue no Ceará em 2013 foi menor do que o ano passado, de acordo com dados da Secretaria de Saúde (Sesa/CE). Apesar desta queda, aumentou o número de mortes pela doença. Em 2012 aconteceram 44 óbitos por dengue clássica e hemorrágica, já este ano, o número cresceu 25% chegando a 55 mortes confirmadas até o dia 20 de dezembro.

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado, quando foram registrados 51.915 casos de dengue clássica, hemorrágica e dengue complicação. Foram notificados 54.629 casos de dengue em 100% municípios cearense. Destes, 24.629 casos foram confirmados em 163 municípios (88,6% do total).

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
1/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

A transmissão se faz pela picada do mosquito Aedes aegypti (FOTO: Ian Jacobs)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
2/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito (FOTO: Sanofi Pasteur / Marizilda Cruppe)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
3/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado (FOTO: Sanofi Pasteur / Marizilda Cruppe)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
4/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado (FOTO: Sanofi Pasteur / Marizilda Cruppe)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
5/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

Como a proliferação do mosquito da dengue é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação (FOTO: Sanofi Pasteur / Patrick de Noirmont)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
6/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

A transmissão se faz pela picada do mosquito Aedes aegypti (FOTO: Carol Garcia)

Seca x dengue

Para o coordenador de Promoção e Proteção à Saúde do Estado, Manoel Fonseca, o número de casos de dengue é constante o ano inteiro. Além disso, a seca pode colaborar para o aumento de mosquitos. “Quando falta água, por causa da seca, as pessoas afetadas acumulam o qualquer volume, que pode servir de criadouro para o mosquito. A seca pode colaborar nesse sentido. Além disso, tem a questão do saneamento básico, que diminui o risco”.

“Eu entendo que, apesar do esforço que todo mundo faz, todo ano é a mesma coisa. A gente alerta e todo ano, dependendo do sorotipo, temos epidemias. Enquanto não for descoberta uma vacina contra a dengue, não vai ter diminuição dos casos”, desabafou.

> LEIA MAIS:

Destacam-se os municípios de Fortaleza e Maracanaú, com 8.678 (35,2%) e 1.668 (6,7%) casos confirmados, respectivamente. Os municípios de Aracoiaba, Barreira, Barro, Barroquinha, Boa Viagem, Brejo Santo, Campos Sales, Canindé, Crateús, Caridade, Cascavel, Catarina, Coreau, Eusébio, Fortaleza, Ipaumirim, Ibicuitinga, Itatira, Itapiúna, Maracanaú, Mauriti, Milagre, Mucambo, Ocara, Pacajus, Pacatuba, Pacujá, Palhano, Parambu, Paramoti, Palmácia, Pereiro, Quixelô, Quiterianópoles, Reriutaba, Senador Sá, Tauá, Tamboril, Trairi, Uruburetama, Uruoca e Varjota apresentam-se com incidência superior a 300/100.000 hab.

Além de concentrar a maior parte dos casos confirmados, Fortaleza também concentra a maioria dos óbitos neste ano. Aconteceram 30 mortes por dengue em Fortaleza. Os demais óbitos aconteceram em Maracanaú (3); Maranguape(3); Aracoiaba(2); Caucaia(2); Itapiuna(2); Caridade(2) e Cascavel(2). Municípios com um óbito: Iguatu, Beberibe, Chorozinho, Palmácia,Varjota, Itaitinga, Barreira, Acarape e Senador Pompeu.

Com mais dados da dengue no Ceará em 2013:

Publicidade

Dê sua opinião

Diminuem os casos, mas crescem as mortes por dengue no Ceará em 2013

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado, quando foram registrados 51.915 casos de dengue clássica, hemorrágica e dengue complicação

Por Felipe Lima em Ceará

23 de dezembro de 2013 às 10:28

Há 6 anos

O número de casos confirmados de dengue no Ceará em 2013 foi menor do que o ano passado, de acordo com dados da Secretaria de Saúde (Sesa/CE). Apesar desta queda, aumentou o número de mortes pela doença. Em 2012 aconteceram 44 óbitos por dengue clássica e hemorrágica, já este ano, o número cresceu 25% chegando a 55 mortes confirmadas até o dia 20 de dezembro.

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado, quando foram registrados 51.915 casos de dengue clássica, hemorrágica e dengue complicação. Foram notificados 54.629 casos de dengue em 100% municípios cearense. Destes, 24.629 casos foram confirmados em 163 municípios (88,6% do total).

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
1/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

A transmissão se faz pela picada do mosquito Aedes aegypti (FOTO: Ian Jacobs)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
2/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito (FOTO: Sanofi Pasteur / Marizilda Cruppe)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
3/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado (FOTO: Sanofi Pasteur / Marizilda Cruppe)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
4/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

Em 2013, a Sesa registrou 24.668 casos, o que significa uma queda de 52% em relação ao ano passado (FOTO: Sanofi Pasteur / Marizilda Cruppe)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
5/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

Como a proliferação do mosquito da dengue é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação (FOTO: Sanofi Pasteur / Patrick de Noirmont)

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES
6/6

DENGUE: MENOS CASOS, MAIS MORTES

A transmissão se faz pela picada do mosquito Aedes aegypti (FOTO: Carol Garcia)

Seca x dengue

Para o coordenador de Promoção e Proteção à Saúde do Estado, Manoel Fonseca, o número de casos de dengue é constante o ano inteiro. Além disso, a seca pode colaborar para o aumento de mosquitos. “Quando falta água, por causa da seca, as pessoas afetadas acumulam o qualquer volume, que pode servir de criadouro para o mosquito. A seca pode colaborar nesse sentido. Além disso, tem a questão do saneamento básico, que diminui o risco”.

“Eu entendo que, apesar do esforço que todo mundo faz, todo ano é a mesma coisa. A gente alerta e todo ano, dependendo do sorotipo, temos epidemias. Enquanto não for descoberta uma vacina contra a dengue, não vai ter diminuição dos casos”, desabafou.

> LEIA MAIS:

Destacam-se os municípios de Fortaleza e Maracanaú, com 8.678 (35,2%) e 1.668 (6,7%) casos confirmados, respectivamente. Os municípios de Aracoiaba, Barreira, Barro, Barroquinha, Boa Viagem, Brejo Santo, Campos Sales, Canindé, Crateús, Caridade, Cascavel, Catarina, Coreau, Eusébio, Fortaleza, Ipaumirim, Ibicuitinga, Itatira, Itapiúna, Maracanaú, Mauriti, Milagre, Mucambo, Ocara, Pacajus, Pacatuba, Pacujá, Palhano, Parambu, Paramoti, Palmácia, Pereiro, Quixelô, Quiterianópoles, Reriutaba, Senador Sá, Tauá, Tamboril, Trairi, Uruburetama, Uruoca e Varjota apresentam-se com incidência superior a 300/100.000 hab.

Além de concentrar a maior parte dos casos confirmados, Fortaleza também concentra a maioria dos óbitos neste ano. Aconteceram 30 mortes por dengue em Fortaleza. Os demais óbitos aconteceram em Maracanaú (3); Maranguape(3); Aracoiaba(2); Caucaia(2); Itapiuna(2); Caridade(2) e Cascavel(2). Municípios com um óbito: Iguatu, Beberibe, Chorozinho, Palmácia,Varjota, Itaitinga, Barreira, Acarape e Senador Pompeu.

Com mais dados da dengue no Ceará em 2013: