Inaugurado em 2012, Aeroporto de Aracati aguarda nova obras para receber voos comerciais


Inaugurado em 2012, Aeroporto de Aracati aguarda nova obra para receber voos comerciais

Equipamento foi inaugurado há mais de um ano e segue sem voo comercial. Informações da Setur e Anac são contraditórias

Por Roberta Tavares em Ceará

13 de novembro de 2013 às 15:30

Há 6 anos
 O Aeroporto de Aracati cujo nome oficial é Aeroporto Dragão do Mar, foi inaugurado no dia 4 de agosto de 2012 (FOTO: Divulgação)

O Aeroporto de Aracati cujo nome oficial é Aeroporto Dragão do Mar, foi inaugurado no dia 4 de agosto de 2012 (FOTO: Divulgação)

Inaugurado há mais de um ano, ainda há divergências quanto ao funcionamento do Aeroporto Dragão do Mar, localizado no município de Aracati – litoral leste do Ceará.

Segundo a Secretaria de Turismo do Estado (Setur), o motivo de o aeroporto ainda não operar voos comerciais deve-se à falta de licenciamento da Agência Nacional de Aviação Civil. O projeto do terminal teria sido aprovado; mas, após a conclusão da obra, a Anac pediu que fossem realizadas ações, como a instalação de iluminação no pátio de manobras.

A agência, no entanto, disse ao Tribuna do Ceará “não existir nenhuma pendência ou parecer”. Ainda foi informado, por meio de nota, que “é necessário haver interesse das empresas aéreas e realização de investimentos para adequar a infraestrutura aeroportuária aos pedidos das companhias”. A Anac acrescentou que ainda não houve nenhum pedido de empresa aérea para operar no aeroporto.

Apesar disto, a Secretaria reafirmou que não há nenhum problema em relação ao aeroporto. O que existe é uma solicitação da Anac para fazer o jateamento da pista para receber voos de grande porte. “Nós fizemos a obra em cima de um projeto da própria Anac e agora foi pedido um jateamento da pista para aumentar o índice de atrito, só que a Setur não concorda. Tudo que ela (Anac) pediu foi concluído no fim do ano passado”, afirmou o secretário de Turismo, Bismack Maia.

O custo do jateamento solicitado pela Agência é R$ 1,3 milhão, segundo o secretário, e a obra já está licitada. Para tentar solucionar o impasse entre a Anac e a Setur, o secretário afirmou que irá se reunir com o ministro Aviação Civil, Wellington Moreira Franco, na próxima semana. Ainda de acordo com Bismarck Maia, o Aeroporto de Aracati é de alta qualidade. “O aeroporto é muito, muito melhor que outros aeroportos do Brasil que estão operando normalmente”.

O Aeroporto de Aracati pode operar 1,2 mil voos por ano, mas tem recebido apenas cerca de 25 jatos executivos por mês. A Setur assegura que o movimento deve aumentar após a inauguração do Centro de Tecnologia, Manutenção e Comercialização de Aeronaves e Prestação de Serviços Aeronáuticos em 14 de fevereiro de 2014. A empresa aérea TAM Aviação Executiva vai operar a estrutura.

Quando liberado, o Aeroporto Dragão do Mar deve receber voos intercidades, ligando municípios como Mossoró (RN) , Sobral e Fortaleza, exemplificou o Bismarck. “O objetivo não é ter voos regulares, mas sim charters turísticos ligando cidades próximas”, finalizou.

Especificações

O aeroporto foi construído a partir de uma pista de pouso, que estava em atividade há mais de 50 anos, e se localiza na altura do quilômetro 137 da rodovia CE-040. Projetado para receber aviões de grande porte, recebeu investimentos do Ministério do Turismo e Tesouro do Estado superiores a R$ 36 milhões.

A pista de pouso possui 30 metros de largura e 2,2 mil metros de comprimento. A base operacional pretende atender aos mercados das regiões Norte e Nordeste, além da América Central.

Outros aeroportos no Ceará

Iniciadas em junho de 2012, as obras no Aeroporto Internacional Pinto Martins estão apenas 24,81% concluídas. A reforma inclui ampliação do terminal de passageiros, pátio de aeronaves e adequação do sistema viário.

De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a previsão para o término dessa primeira fase de obras está marcada para março do próximo ano. O investimento é na ordem de R$ 337 milhões.

Em entrevista à Tribuna BandNews FM, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea), Vítor Frota, afirmou que dificilmente as obras serão concluídas a tempo da Copa do Mundo de 2014. “Só um milagre fará com que a obra fique pronta”.

Em obras

A aviação regional está sendo reforçada ainda com o Aeroporto de Jericoacoara, instalado no município de Cruz, no litoral oeste do estado. A previsão do governo era de que seria inaugurado em 2013, mas somente a pista está pronta. A obra, então, deve ser concluída no segundo semestre de 2014.

Em breve, serão construídos mais dois aeroportos, em Canindé e em Itapipoca. Segundo o Departamento Estadual de Rodovias (DER), serão restaurados e ampliados quatro aeroportos localizados nas cidades de Crateús, Quixadá, Limoeiro do Norte e Campos Sales. Atualmente, o órgão administra 12 aeroportos no estado.

De acordo com o secretário do Turismo Bismarck Maia, os novos equipamentos devem além de atender a demanda reprimida na capital, abrir novos portões de entrada no interior. “O turismo no Ceará não podia ficar mais ancorado em Fortaleza, vamos consolidar destinos independentes”, frisou.

*Colaborou Felipe Lima

Publicidade

Dê sua opinião

Inaugurado em 2012, Aeroporto de Aracati aguarda nova obra para receber voos comerciais

Equipamento foi inaugurado há mais de um ano e segue sem voo comercial. Informações da Setur e Anac são contraditórias

Por Roberta Tavares em Ceará

13 de novembro de 2013 às 15:30

Há 6 anos
 O Aeroporto de Aracati cujo nome oficial é Aeroporto Dragão do Mar, foi inaugurado no dia 4 de agosto de 2012 (FOTO: Divulgação)

O Aeroporto de Aracati cujo nome oficial é Aeroporto Dragão do Mar, foi inaugurado no dia 4 de agosto de 2012 (FOTO: Divulgação)

Inaugurado há mais de um ano, ainda há divergências quanto ao funcionamento do Aeroporto Dragão do Mar, localizado no município de Aracati – litoral leste do Ceará.

Segundo a Secretaria de Turismo do Estado (Setur), o motivo de o aeroporto ainda não operar voos comerciais deve-se à falta de licenciamento da Agência Nacional de Aviação Civil. O projeto do terminal teria sido aprovado; mas, após a conclusão da obra, a Anac pediu que fossem realizadas ações, como a instalação de iluminação no pátio de manobras.

A agência, no entanto, disse ao Tribuna do Ceará “não existir nenhuma pendência ou parecer”. Ainda foi informado, por meio de nota, que “é necessário haver interesse das empresas aéreas e realização de investimentos para adequar a infraestrutura aeroportuária aos pedidos das companhias”. A Anac acrescentou que ainda não houve nenhum pedido de empresa aérea para operar no aeroporto.

Apesar disto, a Secretaria reafirmou que não há nenhum problema em relação ao aeroporto. O que existe é uma solicitação da Anac para fazer o jateamento da pista para receber voos de grande porte. “Nós fizemos a obra em cima de um projeto da própria Anac e agora foi pedido um jateamento da pista para aumentar o índice de atrito, só que a Setur não concorda. Tudo que ela (Anac) pediu foi concluído no fim do ano passado”, afirmou o secretário de Turismo, Bismack Maia.

O custo do jateamento solicitado pela Agência é R$ 1,3 milhão, segundo o secretário, e a obra já está licitada. Para tentar solucionar o impasse entre a Anac e a Setur, o secretário afirmou que irá se reunir com o ministro Aviação Civil, Wellington Moreira Franco, na próxima semana. Ainda de acordo com Bismarck Maia, o Aeroporto de Aracati é de alta qualidade. “O aeroporto é muito, muito melhor que outros aeroportos do Brasil que estão operando normalmente”.

O Aeroporto de Aracati pode operar 1,2 mil voos por ano, mas tem recebido apenas cerca de 25 jatos executivos por mês. A Setur assegura que o movimento deve aumentar após a inauguração do Centro de Tecnologia, Manutenção e Comercialização de Aeronaves e Prestação de Serviços Aeronáuticos em 14 de fevereiro de 2014. A empresa aérea TAM Aviação Executiva vai operar a estrutura.

Quando liberado, o Aeroporto Dragão do Mar deve receber voos intercidades, ligando municípios como Mossoró (RN) , Sobral e Fortaleza, exemplificou o Bismarck. “O objetivo não é ter voos regulares, mas sim charters turísticos ligando cidades próximas”, finalizou.

Especificações

O aeroporto foi construído a partir de uma pista de pouso, que estava em atividade há mais de 50 anos, e se localiza na altura do quilômetro 137 da rodovia CE-040. Projetado para receber aviões de grande porte, recebeu investimentos do Ministério do Turismo e Tesouro do Estado superiores a R$ 36 milhões.

A pista de pouso possui 30 metros de largura e 2,2 mil metros de comprimento. A base operacional pretende atender aos mercados das regiões Norte e Nordeste, além da América Central.

Outros aeroportos no Ceará

Iniciadas em junho de 2012, as obras no Aeroporto Internacional Pinto Martins estão apenas 24,81% concluídas. A reforma inclui ampliação do terminal de passageiros, pátio de aeronaves e adequação do sistema viário.

De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a previsão para o término dessa primeira fase de obras está marcada para março do próximo ano. O investimento é na ordem de R$ 337 milhões.

Em entrevista à Tribuna BandNews FM, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea), Vítor Frota, afirmou que dificilmente as obras serão concluídas a tempo da Copa do Mundo de 2014. “Só um milagre fará com que a obra fique pronta”.

Em obras

A aviação regional está sendo reforçada ainda com o Aeroporto de Jericoacoara, instalado no município de Cruz, no litoral oeste do estado. A previsão do governo era de que seria inaugurado em 2013, mas somente a pista está pronta. A obra, então, deve ser concluída no segundo semestre de 2014.

Em breve, serão construídos mais dois aeroportos, em Canindé e em Itapipoca. Segundo o Departamento Estadual de Rodovias (DER), serão restaurados e ampliados quatro aeroportos localizados nas cidades de Crateús, Quixadá, Limoeiro do Norte e Campos Sales. Atualmente, o órgão administra 12 aeroportos no estado.

De acordo com o secretário do Turismo Bismarck Maia, os novos equipamentos devem além de atender a demanda reprimida na capital, abrir novos portões de entrada no interior. “O turismo no Ceará não podia ficar mais ancorado em Fortaleza, vamos consolidar destinos independentes”, frisou.

*Colaborou Felipe Lima