Oito pessoas são condenadas por rombo de R$ 10 milhões no INSS de Itapipoca

CORRUPÇÃO

Oito pessoas são condenadas por rombo de R$ 10 milhões no INSS de Itapipoca

Servidores e ex-servidores da sede, para habilitar benefícios irregulares, inseriam informações falsas no sistema de dados

Por Jéssica Welma em Ceará

7 de julho de 2016 às 12:12

Há 3 anos
dinheirosp4

Rombo aos cofres públicos foi de quase R$ 10 milhões. (Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas)

Mais de dez anos desde que foi deflagrada investigação, a 27ª Vara da Justiça Federal condenou oito pessoas envolvidas em fraudes contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), cujo rombo chega a quase R$ 10 milhões. O crime foi denunciado pelo Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE), em 2005, com a Operação Sol Poente. A garantia de sucesso da fraude na agência de Itapipoca atraía pessoas de outros municípios.

O grupo operava esquema de concessão de benefícios ilegais e envolvia servidores e ex-servidores do INSS. As fraudes ocorriam na agência do órgão em Itapipoca (a 147,3 quilômetros de Fortaleza) e eram lideradas pela então chefe de benefícios da agência. Os funcionários, para habilitar benefícios irregulares, inseriam informações falsas no sistema de dados da Previdência Social.

Além da agência do INSS, um escritório, localizado em Trairi, município vizinho, também participava do esquema e se especializou em acompanhar requerimentos de benefício previdenciários.

O autor da denúncia, procurador da República Ricardo Magalhães de Mendonça, afirma que a garantia do sucesso na fraude dos benefícios era tão grande que a propaganda dos serviços chegava a outras cidades, inclusive Fortaleza.

De acordo com o MPF-CE, a lista de crimes pelos quais os servidores foram condenados inclui, entre outros, inserção de dados falsos em sistema de informática, falsidade documental, uso de documento falso, corrupção passiva, corrupção ativa e formação de quadrilha.

Publicidade

Dê sua opinião

CORRUPÇÃO

Oito pessoas são condenadas por rombo de R$ 10 milhões no INSS de Itapipoca

Servidores e ex-servidores da sede, para habilitar benefícios irregulares, inseriam informações falsas no sistema de dados

Por Jéssica Welma em Ceará

7 de julho de 2016 às 12:12

Há 3 anos
dinheirosp4

Rombo aos cofres públicos foi de quase R$ 10 milhões. (Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas)

Mais de dez anos desde que foi deflagrada investigação, a 27ª Vara da Justiça Federal condenou oito pessoas envolvidas em fraudes contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), cujo rombo chega a quase R$ 10 milhões. O crime foi denunciado pelo Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE), em 2005, com a Operação Sol Poente. A garantia de sucesso da fraude na agência de Itapipoca atraía pessoas de outros municípios.

O grupo operava esquema de concessão de benefícios ilegais e envolvia servidores e ex-servidores do INSS. As fraudes ocorriam na agência do órgão em Itapipoca (a 147,3 quilômetros de Fortaleza) e eram lideradas pela então chefe de benefícios da agência. Os funcionários, para habilitar benefícios irregulares, inseriam informações falsas no sistema de dados da Previdência Social.

Além da agência do INSS, um escritório, localizado em Trairi, município vizinho, também participava do esquema e se especializou em acompanhar requerimentos de benefício previdenciários.

O autor da denúncia, procurador da República Ricardo Magalhães de Mendonça, afirma que a garantia do sucesso na fraude dos benefícios era tão grande que a propaganda dos serviços chegava a outras cidades, inclusive Fortaleza.

De acordo com o MPF-CE, a lista de crimes pelos quais os servidores foram condenados inclui, entre outros, inserção de dados falsos em sistema de informática, falsidade documental, uso de documento falso, corrupção passiva, corrupção ativa e formação de quadrilha.