Presos têm acesso à programação de rádio nas penitenciárias


Presos têm acesso à programação de rádio nas penitenciárias

Os detentos podem participar da programação, solicitando músicas e realizando perguntas aos apresentadores

Por Tribuna do Ceará em Ceará

9 de janeiro de 2013 às 11:07

Há 7 anos

Os presos do Ceará podem ter acesso à programação de uma rádio dentro das penitenciárias. Isso porque o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus), inaugura oficialmente nesta quinta-feira (10) a Rádio Livre.

O projeto consiste em uma radiadora ligada às unidades penitenciárias, com o intuito de colaborar no processo de reintegração dos detentos e auxiliar os programas da pasta nas áreas de educação, saúde, cultura e direitos humanos. Detentos e profissionais do sistema penal podem participar da programação, solicitando músicas e realizando perguntas aos apresentadores, por meio de caixas de sugestões que ficam nas unidades.

A inauguração ocorre na sede da Sejus, às 9h, com transmissão ao vivo para as unidades prisionais, apresentação da programação, além da participação de profissionais que dão apoio aos programas, funcionários, egressos e da secretária da Justiça e Cidadania.

A rádio

A Rádio Livre gera diversos conteúdos que chegam à população carcerária, por meio de caixas de som instaladas em vivências e corredores das unidades penitenciárias. Atualmente, cerca de 4 mil presos ouvem a programação de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas, além dos servidores da secretaria que têm acesso à programação na internet.

Para a secretária da Justiça e Cidadania, Mariana Lobo, “o projeto aposta na capacitação e reintegração social dos internos, por meio da informação, educação e promoção dos direitos humanos, do combate a todos os tipos de discriminação e promovendo cultura de paz dentro do ambiente carcerário”. Em algumas unidades, a radiadora também é disponibilizada à direção para apoio nas ações de disciplina, recados, participação dos familiares e avisos de atividades.

Unidades beneficiadas

Atualmente, a radiadora funciona em cinco unidades penitenciárias da Região Metropolitana de Fortaleza: Casas de Privação Provisória de Liberdade II, III e de Caucaia; Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo (Pacatuba) e Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa (IPF). A ampliação do projeto prevê a inclusão da CPPL IV e do Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II.

Publicidade

Dê sua opinião

Presos têm acesso à programação de rádio nas penitenciárias

Os detentos podem participar da programação, solicitando músicas e realizando perguntas aos apresentadores

Por Tribuna do Ceará em Ceará

9 de janeiro de 2013 às 11:07

Há 7 anos

Os presos do Ceará podem ter acesso à programação de uma rádio dentro das penitenciárias. Isso porque o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus), inaugura oficialmente nesta quinta-feira (10) a Rádio Livre.

O projeto consiste em uma radiadora ligada às unidades penitenciárias, com o intuito de colaborar no processo de reintegração dos detentos e auxiliar os programas da pasta nas áreas de educação, saúde, cultura e direitos humanos. Detentos e profissionais do sistema penal podem participar da programação, solicitando músicas e realizando perguntas aos apresentadores, por meio de caixas de sugestões que ficam nas unidades.

A inauguração ocorre na sede da Sejus, às 9h, com transmissão ao vivo para as unidades prisionais, apresentação da programação, além da participação de profissionais que dão apoio aos programas, funcionários, egressos e da secretária da Justiça e Cidadania.

A rádio

A Rádio Livre gera diversos conteúdos que chegam à população carcerária, por meio de caixas de som instaladas em vivências e corredores das unidades penitenciárias. Atualmente, cerca de 4 mil presos ouvem a programação de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas, além dos servidores da secretaria que têm acesso à programação na internet.

Para a secretária da Justiça e Cidadania, Mariana Lobo, “o projeto aposta na capacitação e reintegração social dos internos, por meio da informação, educação e promoção dos direitos humanos, do combate a todos os tipos de discriminação e promovendo cultura de paz dentro do ambiente carcerário”. Em algumas unidades, a radiadora também é disponibilizada à direção para apoio nas ações de disciplina, recados, participação dos familiares e avisos de atividades.

Unidades beneficiadas

Atualmente, a radiadora funciona em cinco unidades penitenciárias da Região Metropolitana de Fortaleza: Casas de Privação Provisória de Liberdade II, III e de Caucaia; Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo (Pacatuba) e Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa (IPF). A ampliação do projeto prevê a inclusão da CPPL IV e do Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II.