Professor traz para o Ceará projeto em que presos fazem bonecos de pelúcia com sacos plásticos

EMPREENDEDORISMO

Professor traz para o Ceará projeto em que presos fazem bonecos de pelúcia com sacos plásticos

Após ser voluntário em presídio no Pará, o professor de Física Ricardo da Fonseca quer implantar o mesmo em unidades prisionais do Ceará

Por Tribuna do Ceará em Ceará

1 de fevereiro de 2019 às 07:00

Há 6 meses

O professor de Física Ricardo da Fonseca encontrou uma maneira de tornar o ensino mais atrativo em presídios, através de incentivos do trabalho de reaproveitamento de sacolas plásticas.

Após trabalhar como voluntário em um presídio na cidade de Abaetetuba, no Pará, o professor de Iguatu está tentando implantar nas unidades prisionais do Estado a reutilização de sacolas plásticas e cigarro.

Durante o projeto, que fez na cidade, foi possível transformar o material que se acumulava em brinquedos de pelúcia. O professor comenta que, inicialmente, pediu para eles encontrarem o problema que existia no presídio. “Eles falaram que tinha muito plástico, porque nas visitas ele recebiam todo o material em sacolas plásticas”.

Segundo ele, três detentos resolveram solucionar o problema e desenvolver a metologia para fazer bonequinhos de pelúcia com o material. “As sacolas não tinha pra onde ir, então, eles resolveram um problema ambiental e deles também”.

Mas o professor está encontrando dificuldades para inserir essa prática social nos presídios. “Não estamos tendo muito retorno”. Para ele, o projeto é uma maneira dos detentos empreenderem, para, quando deixarem o local, tenham um sustento digno. “Existem pessoas que podem ser ressocializadas”.

Hoje, o professor desenvolve uma pesquisa em parceria com a Receita Federal, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e estudantes do Instituto Federal do Ceará (IFCE) para transformação de cigarros apreendidos em adubo. Um dos objetivos é inserir a prática nos presídios para produção de adubos e hortas comunitárias.

Confira matéria de Yuri Costa para Rede Jangadeiro FM:

Publicidade

Dê sua opinião

EMPREENDEDORISMO

Professor traz para o Ceará projeto em que presos fazem bonecos de pelúcia com sacos plásticos

Após ser voluntário em presídio no Pará, o professor de Física Ricardo da Fonseca quer implantar o mesmo em unidades prisionais do Ceará

Por Tribuna do Ceará em Ceará

1 de fevereiro de 2019 às 07:00

Há 6 meses

O professor de Física Ricardo da Fonseca encontrou uma maneira de tornar o ensino mais atrativo em presídios, através de incentivos do trabalho de reaproveitamento de sacolas plásticas.

Após trabalhar como voluntário em um presídio na cidade de Abaetetuba, no Pará, o professor de Iguatu está tentando implantar nas unidades prisionais do Estado a reutilização de sacolas plásticas e cigarro.

Durante o projeto, que fez na cidade, foi possível transformar o material que se acumulava em brinquedos de pelúcia. O professor comenta que, inicialmente, pediu para eles encontrarem o problema que existia no presídio. “Eles falaram que tinha muito plástico, porque nas visitas ele recebiam todo o material em sacolas plásticas”.

Segundo ele, três detentos resolveram solucionar o problema e desenvolver a metologia para fazer bonequinhos de pelúcia com o material. “As sacolas não tinha pra onde ir, então, eles resolveram um problema ambiental e deles também”.

Mas o professor está encontrando dificuldades para inserir essa prática social nos presídios. “Não estamos tendo muito retorno”. Para ele, o projeto é uma maneira dos detentos empreenderem, para, quando deixarem o local, tenham um sustento digno. “Existem pessoas que podem ser ressocializadas”.

Hoje, o professor desenvolve uma pesquisa em parceria com a Receita Federal, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e estudantes do Instituto Federal do Ceará (IFCE) para transformação de cigarros apreendidos em adubo. Um dos objetivos é inserir a prática nos presídios para produção de adubos e hortas comunitárias.

Confira matéria de Yuri Costa para Rede Jangadeiro FM: