Professora transferida ilegalmente deve ser lotada em escola na sede do município de Caririaçu - Noticias


Professora transferida ilegalmente deve ser lotada em escola na sede do município de Caririaçu

Segundo os autos, o motivo da transferência ilegal teria sido perseguição política

Por Joao Lobo em Ceará

4 de julho de 2011 às 19:12

Há 8 anos

A Justiça cearense determinou que o prefeito de Caririaçu, José Edmilson Leite Barbosa, proceda a lotação da professora D.R.R. em escola localizada na sede daquele Município. Ela havia sido transferida ilegalmente para unidade escolar da zona rural, distante 8 Km da cidade. Segundo os autos, o motivo teria sido perseguição política.

A servidora foi aprovada em concurso público para o cargo de professora do 3º ano pedagógico, exercendo as atividades na Escola de Ensino Fundamental Julita Farias. Em janeiro 2005, o prefeito Edmilson Leite assinou a Portaria nº 02/2005 e removeu a funcionária sem fundamentar o ato de transferência para a escola Girassol, localizada na zona rural.

Em razão disso, a professora ajuizou mandado de segurança, com pedido liminar, alegando que o gestor agiu com abuso de poder e feriu a Lei Orgânica do Município. Além disso, argumentou que a transferência foi retaliação, pois havia feito oposição política na gestão anterior.

Fonte: TJCE

Publicidade

Dê sua opinião

Professora transferida ilegalmente deve ser lotada em escola na sede do município de Caririaçu

Segundo os autos, o motivo da transferência ilegal teria sido perseguição política

Por Joao Lobo em Ceará

4 de julho de 2011 às 19:12

Há 8 anos

A Justiça cearense determinou que o prefeito de Caririaçu, José Edmilson Leite Barbosa, proceda a lotação da professora D.R.R. em escola localizada na sede daquele Município. Ela havia sido transferida ilegalmente para unidade escolar da zona rural, distante 8 Km da cidade. Segundo os autos, o motivo teria sido perseguição política.

A servidora foi aprovada em concurso público para o cargo de professora do 3º ano pedagógico, exercendo as atividades na Escola de Ensino Fundamental Julita Farias. Em janeiro 2005, o prefeito Edmilson Leite assinou a Portaria nº 02/2005 e removeu a funcionária sem fundamentar o ato de transferência para a escola Girassol, localizada na zona rural.

Em razão disso, a professora ajuizou mandado de segurança, com pedido liminar, alegando que o gestor agiu com abuso de poder e feriu a Lei Orgânica do Município. Além disso, argumentou que a transferência foi retaliação, pois havia feito oposição política na gestão anterior.

Fonte: TJCE