"Quem não saiu de casa, por favor, saia", aconselha prefeito de Ubajara devido a risco de rompimento de barragem

500 FAMÍLIAS REALOJADAS

“Quem não saiu de casa, por favor, saia”, diz prefeito de Ubajara por risco de rompimento de barragem

Segundo o Corpo de Bombeiros, 250 famílias já foram realojadas desde a noite de sábado. Ao todo, cerca de 500 devem ser retiradas

Por Tribuna do Ceará em Ceará

17 de março de 2019 às 12:29

Há 4 meses
Barragem de açude corre risco de romper (FOTO: Divulgação/SSPDS)

Barragem de açude corre risco de romper (FOTO: Divulgação/SSPDS)

O prefeito de Ubajara, no Ceará, Renê Vasconcelos, pediu que as famílias que moram nas proximidades do Rio Jaburu saiam de casa imediatamente, devido ao risco de rompimento da barragem do Açude Granjeiro.

“Quem não saiu de casa ainda, por fazer saia. É muito importante que obedeçam a Defesa Civil nesse momento“, aconselhou em vídeo publicado nas redes sociais na manhã deste domingo (17).

Segundo o Corpo de Bombeiros, 250 famílias já foram realojadas desde a noite de sábado (16). Ao todo, cerca de 500 devem ser retiradas. “No Santuário Mãe Rainha [bairro São Sebastião], temos equipes com médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos. Quem puder ir será bem atendido. Quem não estiver em área de risco e puder acolher os parentes, ótimo”, explica o prefeito.

Ainda de acordo com o gestor, “o risco de desabamento é reduzido”. O realojamento é de caráter preventivo e se justifica pela etapa atual das obras de abertura de um novo sangradouro para o açude Granjeiro, que é de propriedade particular e fica localizado entre Ubajara e Ibiapina. 

“É preciso baixar o nível do açude para a metade”, acrescentou Renê Vasconcelos. Neste momento, está sendo feita uma redução controlada do nível açude, que se encontra bastante elevado.

Conforme o coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante do Corpo de Bombeiros,
“a maior parte das famílias foram removidas para casas de parentes. Apenas 70 tiveram que ser levadas para o Santuário da Mãe Rainha. É importante destacar a importância do apoio da população que ainda não foi removida para que essa etapa do trabalho possa ser concluída com brevidade”, explica.

A previsão é de que o processo seja concluído até terça-feira (19).

Equipes trabalham no local para evitar rompimento (FOTO: Divulgação/SSPDS)

Equipes trabalham no local para evitar rompimento (FOTO: Divulgação/SSPDS)

O trabalho inclui a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Corpo de Bombeiros Militar (Cedec/CBMCE), a Agência Nacional de Águas, a Secretaria de Recursos Hídricos, a Companhia Estadual de Gestão de Recursos Hídricos e a prefeitura de Ubajara.

Risco de rompimento

Após as fortes chuvas em Ubajara, o açude Granjeiro ganhou recarga e, por conta do grande volume de água, parte da parede do reservatório cedeu, formou uma grande cratera.

Na última sexta-feira (15), uma barreira de contenção com sacos de areia foi colocada na tentativa de diminuir a erosão da parede do açude. Outra ação feita para minimizar o risco foi uma limpeza no vertedouro, que reduziu o volume de água do reservatório. No entanto, moradores relatam ter sentido tremores na estrutura da barragem.

Publicidade

Dê sua opinião

500 FAMÍLIAS REALOJADAS

“Quem não saiu de casa, por favor, saia”, diz prefeito de Ubajara por risco de rompimento de barragem

Segundo o Corpo de Bombeiros, 250 famílias já foram realojadas desde a noite de sábado. Ao todo, cerca de 500 devem ser retiradas

Por Tribuna do Ceará em Ceará

17 de março de 2019 às 12:29

Há 4 meses
Barragem de açude corre risco de romper (FOTO: Divulgação/SSPDS)

Barragem de açude corre risco de romper (FOTO: Divulgação/SSPDS)

O prefeito de Ubajara, no Ceará, Renê Vasconcelos, pediu que as famílias que moram nas proximidades do Rio Jaburu saiam de casa imediatamente, devido ao risco de rompimento da barragem do Açude Granjeiro.

“Quem não saiu de casa ainda, por fazer saia. É muito importante que obedeçam a Defesa Civil nesse momento“, aconselhou em vídeo publicado nas redes sociais na manhã deste domingo (17).

Segundo o Corpo de Bombeiros, 250 famílias já foram realojadas desde a noite de sábado (16). Ao todo, cerca de 500 devem ser retiradas. “No Santuário Mãe Rainha [bairro São Sebastião], temos equipes com médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos. Quem puder ir será bem atendido. Quem não estiver em área de risco e puder acolher os parentes, ótimo”, explica o prefeito.

Ainda de acordo com o gestor, “o risco de desabamento é reduzido”. O realojamento é de caráter preventivo e se justifica pela etapa atual das obras de abertura de um novo sangradouro para o açude Granjeiro, que é de propriedade particular e fica localizado entre Ubajara e Ibiapina. 

“É preciso baixar o nível do açude para a metade”, acrescentou Renê Vasconcelos. Neste momento, está sendo feita uma redução controlada do nível açude, que se encontra bastante elevado.

Conforme o coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante do Corpo de Bombeiros,
“a maior parte das famílias foram removidas para casas de parentes. Apenas 70 tiveram que ser levadas para o Santuário da Mãe Rainha. É importante destacar a importância do apoio da população que ainda não foi removida para que essa etapa do trabalho possa ser concluída com brevidade”, explica.

A previsão é de que o processo seja concluído até terça-feira (19).

Equipes trabalham no local para evitar rompimento (FOTO: Divulgação/SSPDS)

Equipes trabalham no local para evitar rompimento (FOTO: Divulgação/SSPDS)

O trabalho inclui a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Corpo de Bombeiros Militar (Cedec/CBMCE), a Agência Nacional de Águas, a Secretaria de Recursos Hídricos, a Companhia Estadual de Gestão de Recursos Hídricos e a prefeitura de Ubajara.

Risco de rompimento

Após as fortes chuvas em Ubajara, o açude Granjeiro ganhou recarga e, por conta do grande volume de água, parte da parede do reservatório cedeu, formou uma grande cratera.

Na última sexta-feira (15), uma barreira de contenção com sacos de areia foi colocada na tentativa de diminuir a erosão da parede do açude. Outra ação feita para minimizar o risco foi uma limpeza no vertedouro, que reduziu o volume de água do reservatório. No entanto, moradores relatam ter sentido tremores na estrutura da barragem.