TIM nega interrompimento de ligações e afirma que relatório tem erros


TIM nega interrompimento de ligações e afirma que relatório tem erros

A TIM negou, em nota enviada ao Jangadeiro Online, que as eventuais quedas de chamadas dos clientes do plano Infinity sejam motivadas por ação deliberada da companhia.

Por Jackson Cruz em Ceará

7 de agosto de 2012 às 17:58

Há 7 anos
A empresa é acusada, por meio de relatório divulgado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Ministério Público do Paraná de interromper de forma proposital as ligações de clientes do plano citado.

TIM é acusada de interromper ligações (FOTO: Divulgação)

A TIM negou, em nota enviada ao Jangadeiro Online, que as eventuais quedas de chamadas dos clientes do plano Infinity sejam motivadas por ação deliberada da companhia. A empresa é acusada, por meio de relatório divulgado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Ministério Público do Paraná de interromper de forma proposital as ligações de clientes do plano citado.

De acordo com a empresa de telefonia, o conteúdo do relatório mencionado é proveniente de um escritório regional da Anatel e já foi analisado pela equipe técnica do órgão regulador, em Brasília. Na ocasião, foram identificados graves erros de processamento, que alteram as informações apresentadas e levam a conclusões erradas.

A operadora informou ainda que suas considerações sobre esse relatório já estão protocoladas na Anatel e à disposição do público.

Denúncia

Um levantamento divulgado pelo jornal Folha de São Paulo mostrou que o índice de reclamações feitos contra a operadora por conta das chamadas interrompidas somente no Ceará é de 34,4 a cada 100 mil clientes. Conforme a ação, somente no dia 8 de março, quase 8,2 milhões de clientes da TIM foram afetados por desligamentos provocados pela TIM. Nesse mesmo dia, os usuários teriam pago cerca de R$ 4,3 milhões por serviços não prestados em sua totalidade pela operadora.

A TIM foi recentemente proibida de vender chips da operadora no Ceará e em mais 16 estados e Distrito Federal, após determinação da Anatel. Na época, a assessoria da TIM declarou que a empresa recebeu a decisão com “bastante surpresa”, pois os indicadores de qualidade monitorados estavam em boas condições. A empresa considerava ainda que a medida da Anatel era desproporcional, afetando “a competição no setor de telecomunicações no país em beneficio de alguns concorrentes e em prejuízo aos mais de 200 milhões de usuários”.

Nota da Anatel

O presidente da Anatel, João Rezende, disse nesta terça-feira (7) que o relatório de fiscalização da agência que mostra uma queda maior de chamadas no plano Infinity da TIM, em relação a outros planos, ainda é preliminar e a empresa terá direito de se defender. “Não tem julgamento de mérito ainda, precisamos esperar que a área técnica faça seu trabalho, a superintendência vai julgar o processo e depois será analisado pelo Conselho Diretor”.

Publicidade

Dê sua opinião

TIM nega interrompimento de ligações e afirma que relatório tem erros

A TIM negou, em nota enviada ao Jangadeiro Online, que as eventuais quedas de chamadas dos clientes do plano Infinity sejam motivadas por ação deliberada da companhia.

Por Jackson Cruz em Ceará

7 de agosto de 2012 às 17:58

Há 7 anos
A empresa é acusada, por meio de relatório divulgado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Ministério Público do Paraná de interromper de forma proposital as ligações de clientes do plano citado.

TIM é acusada de interromper ligações (FOTO: Divulgação)

A TIM negou, em nota enviada ao Jangadeiro Online, que as eventuais quedas de chamadas dos clientes do plano Infinity sejam motivadas por ação deliberada da companhia. A empresa é acusada, por meio de relatório divulgado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Ministério Público do Paraná de interromper de forma proposital as ligações de clientes do plano citado.

De acordo com a empresa de telefonia, o conteúdo do relatório mencionado é proveniente de um escritório regional da Anatel e já foi analisado pela equipe técnica do órgão regulador, em Brasília. Na ocasião, foram identificados graves erros de processamento, que alteram as informações apresentadas e levam a conclusões erradas.

A operadora informou ainda que suas considerações sobre esse relatório já estão protocoladas na Anatel e à disposição do público.

Denúncia

Um levantamento divulgado pelo jornal Folha de São Paulo mostrou que o índice de reclamações feitos contra a operadora por conta das chamadas interrompidas somente no Ceará é de 34,4 a cada 100 mil clientes. Conforme a ação, somente no dia 8 de março, quase 8,2 milhões de clientes da TIM foram afetados por desligamentos provocados pela TIM. Nesse mesmo dia, os usuários teriam pago cerca de R$ 4,3 milhões por serviços não prestados em sua totalidade pela operadora.

A TIM foi recentemente proibida de vender chips da operadora no Ceará e em mais 16 estados e Distrito Federal, após determinação da Anatel. Na época, a assessoria da TIM declarou que a empresa recebeu a decisão com “bastante surpresa”, pois os indicadores de qualidade monitorados estavam em boas condições. A empresa considerava ainda que a medida da Anatel era desproporcional, afetando “a competição no setor de telecomunicações no país em beneficio de alguns concorrentes e em prejuízo aos mais de 200 milhões de usuários”.

Nota da Anatel

O presidente da Anatel, João Rezende, disse nesta terça-feira (7) que o relatório de fiscalização da agência que mostra uma queda maior de chamadas no plano Infinity da TIM, em relação a outros planos, ainda é preliminar e a empresa terá direito de se defender. “Não tem julgamento de mérito ainda, precisamos esperar que a área técnica faça seu trabalho, a superintendência vai julgar o processo e depois será analisado pelo Conselho Diretor”.