Cearense lança marchinha para divulgar o "Ligue 180", da Central de Atendimento à Mulher


Cearense lança marchinha para divulgar o “Ligue 180”, da Central de Atendimento à Mulher

Nascido em Granja, Tião Simpatia leva sua arte pelo mundo no projeto que realiza em parceria com a Organização das Nações Unidas

Por Rosana Romão em Cotidiano

8 de fevereiro de 2016 às 06:00

Há 3 anos
Nascido no município de Granja, ele leva sua arte por todo o mundo no projeto em parceria com a ONU. (FOTO: Divulgação)

Nascido no município de Granja, ele leva sua arte por todo o mundo no projeto em parceria com a ONU. (FOTO: Divulgação)

Violência doméstica ninguém mais aguenta. Não tolere, denuncie, ligue 180. É o que diz a marchinha de carnaval do cearense Sebastião Félix de Oliveira Jucá, mais conhecido como “Tião Simpatia”. Natural de Granja, ele tem 38 anos e há 10 se dedica ao trabalho cultural na luta pela igualdade de gênero. A sua mais nova composição promete conscientizar a população de a violência contra a mulher deve ser denunciada.

Em 2006, foi convidado para fazer um tema musical sobre a Lei Maria da Penha, que foi sancionada no mesmo ano. Desde então ele dedica-se ao tema, produzindo conteúdo de conscientização sobre a igualdade de gêneros. Fruto desse trabalho é o DVD Mulher de Lei, além de apresentações em escolas e eventos em que a cearense Maria da Penha é convidada.

Essa dedicação foi reconhecida em 2011 pela Organização das Nações Unidas (ONU), que o convidou a participar do projeto UNA-SE contra a violência contra a mulher. Após uma apresentação no Rio de Janeiro, foi convidado pela Onu Brasil a participar do projeto e depois foi ao Panamá para passar por um treinamento, juntamente com 26 artistas da América Latina e Caribe. Na ocasião, cada artista compartilhou a sua experiência com o tema e, juntos, criaram uma canção. Além disso, participam de uma conferência online mensal e fazem publicações acerca do tema, com a cor laranja, padrão do projeto.

“A arte ajudou a formar essa cultura machista, então ela também pode ser usada para desconstruir isso e formar uma nova consciência”.

Tião passou a trabalhar com o tema após ser convidado a criar o tema musical da Lei Maria da Penha. (FOTO: Divulgação)

Tião passou a trabalhar com o tema após ser convidado a criar o tema musical da Lei Maria da Penha. (FOTO: Divulgação)

A marchinha

Pensando no período carnavalesco e na importância do respeito aos direitos das mulheres, Tião Simpatia compôs a marchinha “Ligue 180” para orientar e alertar o público feminino. “O serviço funciona 24 horas por dia, mas nem todo mundo tem essa informação. Achei importante falar sobre isso e já está sendo bem compartilhado nas redes sociais”, explica.

Para realizar as composições, ele se inspira em Maria da Penha, mas tem o apoio e parceria da esposa, com quem aparece no vídeo de divulgação da marchinha. “Eu fico realizado em poder dar uma contribuição e que minha arte seja usada para agregar e dar consciência à sociedade”, comenta.

A maior parte do repertório de Tião está ligada à igualdade de gênero. Após vencer um edital da Secretaria de Cultura do Ceará para realizar o seu DVD Mulher de Lei, ele decidiu investir na música regional, para valorizar suas raízes.

Então lançou o DVD Nordeste Encantador, também por meio de edital. Ao todo, possui 5 CDs e 2 DVDs. Mas, além disso, trabalha também com cordéis e repentes, produtos que o introduziram no mundo artístico.

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15758629″]

Carreira

Sua carreira no mundo artístico começou quando ainda tinha 15 anos. Através do repente, ele inseriu-se no meio. Aprendeu a ler através de cordéis que seu tio lia, pois na sua cidade natal ainda não tinha escola. Foi aí que também passou a produzir a literatura e em seguida aventurou-se na música, área com a qual trabalha até hoje. Após deixar Granja, morou durante 13 anos em Camocim, onde estudou, e depois mudou-se para Fortaleza, sua atual residência. 

Com suas apresentações, ele já viajou para vários estados brasileiros, além de ter ido para a África e para o Panamá com o projeto da ONU. Em parceria com a prefeitura de Teresina, ele tem um projeto cultural no município, em que visita escolas para divulgar a lei Maria da Penha. Suas canções e recitações de cordéis já alcançaram 40 mil alunos em 200 apresentações realizadas, atingindo assim 100 escolas.

“É importante trabalhar com esse público porque são adolescentes, a consciência ainda está sendo formada. Eles também tem histórias para contar, é uma experiência bem interessante”, diz. O artista também participou do programa de televisão Altas Horas, além ter seu trabalho divulgado na imprensa oficial como TV Câmara, TV Senado, rádio nacional e rádios universitárias.

Por ser homem, ele se orgulha da arte que faz. “Você não pode trabalhar a igualdade de gêneros só com mulher, tem que ter homem também. Eu tenho parceria com artistas como Toni Moraes, José Maria e Edinho Vilas Boas”, esclarece.

Serviço
Tião Simpatia – Site | Fanpage
Contato: (85) 9 9949-1338 e (85) 8618-8696

Publicidade

Dê sua opinião

Cearense lança marchinha para divulgar o “Ligue 180”, da Central de Atendimento à Mulher

Nascido em Granja, Tião Simpatia leva sua arte pelo mundo no projeto que realiza em parceria com a Organização das Nações Unidas

Por Rosana Romão em Cotidiano

8 de fevereiro de 2016 às 06:00

Há 3 anos
Nascido no município de Granja, ele leva sua arte por todo o mundo no projeto em parceria com a ONU. (FOTO: Divulgação)

Nascido no município de Granja, ele leva sua arte por todo o mundo no projeto em parceria com a ONU. (FOTO: Divulgação)

Violência doméstica ninguém mais aguenta. Não tolere, denuncie, ligue 180. É o que diz a marchinha de carnaval do cearense Sebastião Félix de Oliveira Jucá, mais conhecido como “Tião Simpatia”. Natural de Granja, ele tem 38 anos e há 10 se dedica ao trabalho cultural na luta pela igualdade de gênero. A sua mais nova composição promete conscientizar a população de a violência contra a mulher deve ser denunciada.

Em 2006, foi convidado para fazer um tema musical sobre a Lei Maria da Penha, que foi sancionada no mesmo ano. Desde então ele dedica-se ao tema, produzindo conteúdo de conscientização sobre a igualdade de gêneros. Fruto desse trabalho é o DVD Mulher de Lei, além de apresentações em escolas e eventos em que a cearense Maria da Penha é convidada.

Essa dedicação foi reconhecida em 2011 pela Organização das Nações Unidas (ONU), que o convidou a participar do projeto UNA-SE contra a violência contra a mulher. Após uma apresentação no Rio de Janeiro, foi convidado pela Onu Brasil a participar do projeto e depois foi ao Panamá para passar por um treinamento, juntamente com 26 artistas da América Latina e Caribe. Na ocasião, cada artista compartilhou a sua experiência com o tema e, juntos, criaram uma canção. Além disso, participam de uma conferência online mensal e fazem publicações acerca do tema, com a cor laranja, padrão do projeto.

“A arte ajudou a formar essa cultura machista, então ela também pode ser usada para desconstruir isso e formar uma nova consciência”.

Tião passou a trabalhar com o tema após ser convidado a criar o tema musical da Lei Maria da Penha. (FOTO: Divulgação)

Tião passou a trabalhar com o tema após ser convidado a criar o tema musical da Lei Maria da Penha. (FOTO: Divulgação)

A marchinha

Pensando no período carnavalesco e na importância do respeito aos direitos das mulheres, Tião Simpatia compôs a marchinha “Ligue 180” para orientar e alertar o público feminino. “O serviço funciona 24 horas por dia, mas nem todo mundo tem essa informação. Achei importante falar sobre isso e já está sendo bem compartilhado nas redes sociais”, explica.

Para realizar as composições, ele se inspira em Maria da Penha, mas tem o apoio e parceria da esposa, com quem aparece no vídeo de divulgação da marchinha. “Eu fico realizado em poder dar uma contribuição e que minha arte seja usada para agregar e dar consciência à sociedade”, comenta.

A maior parte do repertório de Tião está ligada à igualdade de gênero. Após vencer um edital da Secretaria de Cultura do Ceará para realizar o seu DVD Mulher de Lei, ele decidiu investir na música regional, para valorizar suas raízes.

Então lançou o DVD Nordeste Encantador, também por meio de edital. Ao todo, possui 5 CDs e 2 DVDs. Mas, além disso, trabalha também com cordéis e repentes, produtos que o introduziram no mundo artístico.

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15758629″]

Carreira

Sua carreira no mundo artístico começou quando ainda tinha 15 anos. Através do repente, ele inseriu-se no meio. Aprendeu a ler através de cordéis que seu tio lia, pois na sua cidade natal ainda não tinha escola. Foi aí que também passou a produzir a literatura e em seguida aventurou-se na música, área com a qual trabalha até hoje. Após deixar Granja, morou durante 13 anos em Camocim, onde estudou, e depois mudou-se para Fortaleza, sua atual residência. 

Com suas apresentações, ele já viajou para vários estados brasileiros, além de ter ido para a África e para o Panamá com o projeto da ONU. Em parceria com a prefeitura de Teresina, ele tem um projeto cultural no município, em que visita escolas para divulgar a lei Maria da Penha. Suas canções e recitações de cordéis já alcançaram 40 mil alunos em 200 apresentações realizadas, atingindo assim 100 escolas.

“É importante trabalhar com esse público porque são adolescentes, a consciência ainda está sendo formada. Eles também tem histórias para contar, é uma experiência bem interessante”, diz. O artista também participou do programa de televisão Altas Horas, além ter seu trabalho divulgado na imprensa oficial como TV Câmara, TV Senado, rádio nacional e rádios universitárias.

Por ser homem, ele se orgulha da arte que faz. “Você não pode trabalhar a igualdade de gêneros só com mulher, tem que ter homem também. Eu tenho parceria com artistas como Toni Moraes, José Maria e Edinho Vilas Boas”, esclarece.

Serviço
Tião Simpatia – Site | Fanpage
Contato: (85) 9 9949-1338 e (85) 8618-8696