Comer na frente da televisão ajuda no aumento da obesidade, diz especialista


Comer na frente da televisão ajuda no aumento da obesidade, diz especialista

Cristina Façanha explica que poucas famílias ainda cultivam o hábito de se alimentarem à mesa e afirma que isso é também um modo de lutar contra a doença.

Por Darlan Araújo em Cotidiano

19 de outubro de 2012 às 12:01

Há 7 anos
Obesidade

Presidente da SBEM-CE destaca que a obesidade é uma doença crônica (Foto: Divulgação)

Com o segundo maior percentual de obesos entre todas as capitais brasileiras, Fortaleza não está fora da tendência mundial que indica a adoção de maus hábitos alimentares por parte da população.

Considerado como uma doença, a melhor forma de combater a obesidade é prevenir o problema ainda quando atingem as crianças, segundo a presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Ceará (SBEM-CE), Cristina Façanha.

A SBEM-CE discute as principais ações de combate à obesidade infantil na tarde desse sábado no Shopping Iguatemi, das 16h às 19h. Cristina Façanha explica que poucas famílias ainda cultivam o hábito de se alimentarem à mesa e afirma que isso é também um modo de lutar contra a doença.

“Muitas pessoas comem na frente da TV e isso contribui para o aumento da obesidade. Se o seu cérebro está atento a outra coisa, ele vai demorar a entender o momento em que você não está mais com fome”, ressalta ao lembrar que isso atinge mais as crianças.

Sedentarismo

Apesar da obesidade ser provocada também pelo fator hereditário, o sedentarismo ainda é uma das principais causas para o aumento da doença. Façanha acredita que poucas crianças fazem hoje brincadeiras que aliem a diversão com a atividade física.

“ Vários são os fatores que contribuem para essa situação. Entre eles, podemos citar o ritmo de vida das grandes cidades, levando-se a falta de tempo dos pais de participarem conjuntamente de momentos de lazer fora de casa com seus filhos e o aumento da violência nos grandes centros, que, via de regra, confina as crianças em suas residências”, acrescenta.

Obesidade é doença

A presidente da SBEM-CE destaca que a obesidade é uma doença crônica, de tratamento difícil e que a prevenção é a unica abordagem realmente eficaz. “Se, por um lado, a obesidade na infância prediz obesidade no adulto, por outro, é justamente na infância o momento ideal para uma abordagem mais eficaz do problema”, completa.

Pesquisa

Fortaleza foi classificada em segundo lugar entre as capitais brasileiras em números percentuais de adultos com excesso de peso e em primeiro lugar em termos de aumento do número de pessoas com diabetes, segundo o último estudo realizado pelo sistema Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico ), do Ministério da Saúde.

 

Publicidade

Dê sua opinião

Comer na frente da televisão ajuda no aumento da obesidade, diz especialista

Cristina Façanha explica que poucas famílias ainda cultivam o hábito de se alimentarem à mesa e afirma que isso é também um modo de lutar contra a doença.

Por Darlan Araújo em Cotidiano

19 de outubro de 2012 às 12:01

Há 7 anos
Obesidade

Presidente da SBEM-CE destaca que a obesidade é uma doença crônica (Foto: Divulgação)

Com o segundo maior percentual de obesos entre todas as capitais brasileiras, Fortaleza não está fora da tendência mundial que indica a adoção de maus hábitos alimentares por parte da população.

Considerado como uma doença, a melhor forma de combater a obesidade é prevenir o problema ainda quando atingem as crianças, segundo a presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Ceará (SBEM-CE), Cristina Façanha.

A SBEM-CE discute as principais ações de combate à obesidade infantil na tarde desse sábado no Shopping Iguatemi, das 16h às 19h. Cristina Façanha explica que poucas famílias ainda cultivam o hábito de se alimentarem à mesa e afirma que isso é também um modo de lutar contra a doença.

“Muitas pessoas comem na frente da TV e isso contribui para o aumento da obesidade. Se o seu cérebro está atento a outra coisa, ele vai demorar a entender o momento em que você não está mais com fome”, ressalta ao lembrar que isso atinge mais as crianças.

Sedentarismo

Apesar da obesidade ser provocada também pelo fator hereditário, o sedentarismo ainda é uma das principais causas para o aumento da doença. Façanha acredita que poucas crianças fazem hoje brincadeiras que aliem a diversão com a atividade física.

“ Vários são os fatores que contribuem para essa situação. Entre eles, podemos citar o ritmo de vida das grandes cidades, levando-se a falta de tempo dos pais de participarem conjuntamente de momentos de lazer fora de casa com seus filhos e o aumento da violência nos grandes centros, que, via de regra, confina as crianças em suas residências”, acrescenta.

Obesidade é doença

A presidente da SBEM-CE destaca que a obesidade é uma doença crônica, de tratamento difícil e que a prevenção é a unica abordagem realmente eficaz. “Se, por um lado, a obesidade na infância prediz obesidade no adulto, por outro, é justamente na infância o momento ideal para uma abordagem mais eficaz do problema”, completa.

Pesquisa

Fortaleza foi classificada em segundo lugar entre as capitais brasileiras em números percentuais de adultos com excesso de peso e em primeiro lugar em termos de aumento do número de pessoas com diabetes, segundo o último estudo realizado pelo sistema Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico ), do Ministério da Saúde.