Confira o bilhete de brincadeira suspeita entre subtenente e esposa que intriga a polícia


Confira o bilhete de brincadeira suspeita entre subtenente e esposa que intriga a polícia

O bilhete com frases soltas escritas pelo militar em resposta a perguntas da mulher serviria como esboço da publicação no Facebook que anunciou a morte da família

Por Roberta Tavares em Cotidiano

25 de dezembro de 2014 às 09:00

Há 5 anos

Segundo subtenente, o bilhete é resultado de uma brincadeira feita pela esposa (FOTO: Reprodução/Facebook)

Segundo subtenente, o bilhete é resultado de uma brincadeira feita pela esposa (FOTO: Reprodução/Facebook)

O delegado responsável pelo Caso Subtenente, Wilder Brito, investiga um texto escrito pelo subtenente Francilewdo Bezerra em brincadeira com a esposa Cristiane Coelho. “O material foi apreendido por mim e pelo perito no dia em que fomos à residência do casal e a fechamos”, explica o titular do 16º Distrito Policial.

A mensagem contém frases, palavras soltas e rasuradas escritas pelo militar. “Me sinto sobrecarregado, porque a minha fortaleza está fraca (…) Ficar só é tirar as preocupações da minha mente. Me sinto bem, às vezes me sinto cansado”, dizem alguns trechos do texto.

Na tentativa de desvendar o objetivo e o conteúdo da mensagem, o delegado procurou saber a origem da carta. Segundo disse, em depoimento de Francilewdo à polícia ainda no Hospital Geral do Exército, o militar informou que o texto foi escrito um mês antes do crime, em uma espécie de brincadeira psicológica feita pela esposa. “Ele nos disse que era uma brincadeira efetuada entre Cristiane e ele, como se fosse um jogo de psicologia. Ela fazia perguntas a ele, ele fazia anotações, e essas perguntas geraram um texto”, conta Wilder.

Veja o texto completo transcrito:

“Não, porque a pessoa que eu amo não está. Me sinto sobrecarregado porque a minha fortaleza está fraca. Acho que (…) atropela, apenas dificulta, pois tenho, tinha solução para eles e sei que nunca se realizarão, mas estarei do lado deles até o dia que Deus me levar. Sim, seria não. Ficar só é tirar as preocupações da minha mente. Me sinto bem, as vezes me sinto cansado. O que me faz impaciente. Não me vejo longe de minha família. Claro que, se Lewdinho e Lucas não tivessem dificuldades, a minha vida seria mais tranquila, não há como negar. Não, com as dificuldades ele ficou em segundo plano, porque meu (…) pensei em mim nos últimos, e deixei a minha esposa de lado e senti também em segundo plano. Não. Essa história e a da minha família e queria envelhecer com ela”.

De acordo com o titular do 16º DP, o subtenente estranhou o fato de a carta ter aparecido, acreditando que Cristiane guardou o bilhete por mais de mês para apresentar à polícia. O delegado, então, procurou reproduzir o que foi escrito pelo militar.

“A mensagem se apresentava como se fosse a complementação do texto que estava no Facebook, justificando o fato de ter matado o filho e o desejo de cometer o suicídio. Se ele tivesse falecido, essas duas peças seriam fundamentais para o final do inquérito. Graças a Deus, o destino quis que o subtenente não falecesse, e a gente pode esclarecer o conteúdo dessa escrita”.

No dia da acareação entre o casal, ocorrida na segunda-feira (22), novamente o bilhete foi trazido à tona. Francilewdo Bezerra reconfirmou a versão apresentada por ele, e a esposa, por fim, admitiu que também havia sido uma brincadeira. Além da carta, também foram apreendidos celulares, DVD do dia do aniversário do filho Lewdo Ricardo, que morreu envenenado, e um cinto do subtenente que teria sido utilizado para ferir a esposa.

“Quando fomos fazer a reconstituição precisávamos de um cinto, porque a Cristiane disse que foi espancada com um cinto. Ela comprova que o cinto apreendido foi o que a espancou e causou as lesões com a fivela”, diz. O delegado voltou a afirmar que não há data exata para a conclusão do inquérito. “Na acareação, surgem novos pontos. Vamos fazer isso com paciência. Se tivermos que pedir mais tempo à Justiça, vamos requerer”, finaliza.

Assista à matéria exibida no programa Brasil Urgente:

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15320634″]

 

Subtenente Francilewdo Bezerra
1/4

Subtenente Francilewdo Bezerra

Militar foi acusado pela esposa de ter matado o filho de 9 anos envenenado com chumbinho (FOTO: Reprodução)

Mensagem no Facebook
2/4

Mensagem no Facebook

Uma das provas do crime é uma mensagem publicada no perfil do subtenente. A postagem foi editada quando o militar estava em coma, no hospital (FOTO: Reprodução/Facebook)

Mensagem no Facebook
3/4

Mensagem no Facebook

Uma das provas do crime é uma mensagem publicada no perfil do subtenente. A postagem foi editada quando o militar estava em coma, no hospital (FOTO: Reprodução/Facebook)

Hospital Geral do Exército
4/4

Hospital Geral do Exército

Francilewdo Bezerra estava internado no apartamento do hospital militar, local em que trabalha (FOTO: Tribuna do Ceará/Rosana Romão)

Relembre o caso:

12 de novembro – Subtenente é suspeito de matar filho autista, agredir esposa e anunciar crimes no Facebook

13 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho e agredir esposa continua em estado grave no hospital

15 de novembro – Polícia quer ouvir mulher de subtenente do Exército suspeito de matar o filho envenenado

19 de novembro – Filho autista de subtenente do Exército ingeriu “chumbinho”, aponta laudo

19 de novembro – Esposa de militar do Exército suspeito de matar o filho nega traição que seria estopim do caso

21 de novembro – Militar suspeito de matar filho sai do coma, mas ainda não tem condições de prestar depoimento

21 de novembro – Delegado quer saber quem comprou chumbinho usado para matar o filho de militar do Exército

24 de novembro – Amigo duvida que subtenente tenha sido o autor da morte do filho autista

24 de novembro – Com melhora de subtenente, delegado aguarda depoimento até o fim da semana

25 de novembro – Subtenente fica chocado ao acordar do coma e saber que é acusado do assassinato do filho

26 de novembro – Delegado estuda fazer reconstituição do caso de subtenente acusado pela mulher de matar o filho

27 de novembro – Delegado desconfia que uma terceira pessoa tenha assassinado filho de subtenente do Exército

28 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho será ouvido pela polícia mesmo na UTI

29 de novembro – Subtenente nega acusações e seu advogado acusa esposa de assassinar o filho para culpar militar

2 de dezembro – Delegado considera esposa de subtenente uma “suspeita em potencial” da morte do filho

3 de dezembro – Subtenente vai de vilão a mocinho após 3 semanas de investigação por morte de filho envenenado

3 de dezembro – Subtenente suspeito de matar o filho tem prisão preventiva revogada pela Justiça

4 de dezembro – Caso Subtenente: pai e mãe ficarão frente a frente pela 1ª vez após morte do filho envenenado

4 de dezembro – Em 1ª entrevista após sair de UTI, subtenente revela que tem tatuagem com nome de filho morto

8 de dezembro – Esposa de subtenente suspeita de matar o filho contrata um dos juristas mais conhecidos do Ceará

11 de dezembro – Um mês após crime, vizinha diz que nunca acreditou na versão de que subtenente matou o filho

11 de dezembro – Polícia revela áudio que indica desespero da esposa de subtenente após crime

12 de dezembro – Sobrinha será investigada por acionar a polícia quando militar já havia sido socorrido

13 de dezembro – Subtenente recebe alta médica e deseja acareação com esposa sobre morte de filho envenenado

15 de dezembro – Subtenente e esposa participarão de acareação e reconstituição de crime até a próxima semana

16 de dezembro – Caso Subtenente: esposa e militar fazem acareação na próxima segunda-feira

22 de dezembro – Em acareação, subtenente e esposa se encontram pela primeira vez após morte do filho

22 de dezembro – Subtenente acusa publicamente sua mulher de matar filho e agora teme pela vida do mais novo 

23 de dezembro – Subtenente tem seguro de vida que pagaria R$ 153 mil a esposa em caso de morte

23 de dezembro – Polícia investiga denúncia de que depósito teria vendido chumbinho a esposa de subtenente

24 de dezembro – Esposa de subtenente admitiu ao marido que tem um amante, no reencontro do casal em acareação

Publicidade

Dê sua opinião

Confira o bilhete de brincadeira suspeita entre subtenente e esposa que intriga a polícia

O bilhete com frases soltas escritas pelo militar em resposta a perguntas da mulher serviria como esboço da publicação no Facebook que anunciou a morte da família

Por Roberta Tavares em Cotidiano

25 de dezembro de 2014 às 09:00

Há 5 anos

Segundo subtenente, o bilhete é resultado de uma brincadeira feita pela esposa (FOTO: Reprodução/Facebook)

Segundo subtenente, o bilhete é resultado de uma brincadeira feita pela esposa (FOTO: Reprodução/Facebook)

O delegado responsável pelo Caso Subtenente, Wilder Brito, investiga um texto escrito pelo subtenente Francilewdo Bezerra em brincadeira com a esposa Cristiane Coelho. “O material foi apreendido por mim e pelo perito no dia em que fomos à residência do casal e a fechamos”, explica o titular do 16º Distrito Policial.

A mensagem contém frases, palavras soltas e rasuradas escritas pelo militar. “Me sinto sobrecarregado, porque a minha fortaleza está fraca (…) Ficar só é tirar as preocupações da minha mente. Me sinto bem, às vezes me sinto cansado”, dizem alguns trechos do texto.

Na tentativa de desvendar o objetivo e o conteúdo da mensagem, o delegado procurou saber a origem da carta. Segundo disse, em depoimento de Francilewdo à polícia ainda no Hospital Geral do Exército, o militar informou que o texto foi escrito um mês antes do crime, em uma espécie de brincadeira psicológica feita pela esposa. “Ele nos disse que era uma brincadeira efetuada entre Cristiane e ele, como se fosse um jogo de psicologia. Ela fazia perguntas a ele, ele fazia anotações, e essas perguntas geraram um texto”, conta Wilder.

Veja o texto completo transcrito:

“Não, porque a pessoa que eu amo não está. Me sinto sobrecarregado porque a minha fortaleza está fraca. Acho que (…) atropela, apenas dificulta, pois tenho, tinha solução para eles e sei que nunca se realizarão, mas estarei do lado deles até o dia que Deus me levar. Sim, seria não. Ficar só é tirar as preocupações da minha mente. Me sinto bem, as vezes me sinto cansado. O que me faz impaciente. Não me vejo longe de minha família. Claro que, se Lewdinho e Lucas não tivessem dificuldades, a minha vida seria mais tranquila, não há como negar. Não, com as dificuldades ele ficou em segundo plano, porque meu (…) pensei em mim nos últimos, e deixei a minha esposa de lado e senti também em segundo plano. Não. Essa história e a da minha família e queria envelhecer com ela”.

De acordo com o titular do 16º DP, o subtenente estranhou o fato de a carta ter aparecido, acreditando que Cristiane guardou o bilhete por mais de mês para apresentar à polícia. O delegado, então, procurou reproduzir o que foi escrito pelo militar.

“A mensagem se apresentava como se fosse a complementação do texto que estava no Facebook, justificando o fato de ter matado o filho e o desejo de cometer o suicídio. Se ele tivesse falecido, essas duas peças seriam fundamentais para o final do inquérito. Graças a Deus, o destino quis que o subtenente não falecesse, e a gente pode esclarecer o conteúdo dessa escrita”.

No dia da acareação entre o casal, ocorrida na segunda-feira (22), novamente o bilhete foi trazido à tona. Francilewdo Bezerra reconfirmou a versão apresentada por ele, e a esposa, por fim, admitiu que também havia sido uma brincadeira. Além da carta, também foram apreendidos celulares, DVD do dia do aniversário do filho Lewdo Ricardo, que morreu envenenado, e um cinto do subtenente que teria sido utilizado para ferir a esposa.

“Quando fomos fazer a reconstituição precisávamos de um cinto, porque a Cristiane disse que foi espancada com um cinto. Ela comprova que o cinto apreendido foi o que a espancou e causou as lesões com a fivela”, diz. O delegado voltou a afirmar que não há data exata para a conclusão do inquérito. “Na acareação, surgem novos pontos. Vamos fazer isso com paciência. Se tivermos que pedir mais tempo à Justiça, vamos requerer”, finaliza.

Assista à matéria exibida no programa Brasil Urgente:

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15320634″]

 

Subtenente Francilewdo Bezerra
1/4

Subtenente Francilewdo Bezerra

Militar foi acusado pela esposa de ter matado o filho de 9 anos envenenado com chumbinho (FOTO: Reprodução)

Mensagem no Facebook
2/4

Mensagem no Facebook

Uma das provas do crime é uma mensagem publicada no perfil do subtenente. A postagem foi editada quando o militar estava em coma, no hospital (FOTO: Reprodução/Facebook)

Mensagem no Facebook
3/4

Mensagem no Facebook

Uma das provas do crime é uma mensagem publicada no perfil do subtenente. A postagem foi editada quando o militar estava em coma, no hospital (FOTO: Reprodução/Facebook)

Hospital Geral do Exército
4/4

Hospital Geral do Exército

Francilewdo Bezerra estava internado no apartamento do hospital militar, local em que trabalha (FOTO: Tribuna do Ceará/Rosana Romão)

Relembre o caso:

12 de novembro – Subtenente é suspeito de matar filho autista, agredir esposa e anunciar crimes no Facebook

13 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho e agredir esposa continua em estado grave no hospital

15 de novembro – Polícia quer ouvir mulher de subtenente do Exército suspeito de matar o filho envenenado

19 de novembro – Filho autista de subtenente do Exército ingeriu “chumbinho”, aponta laudo

19 de novembro – Esposa de militar do Exército suspeito de matar o filho nega traição que seria estopim do caso

21 de novembro – Militar suspeito de matar filho sai do coma, mas ainda não tem condições de prestar depoimento

21 de novembro – Delegado quer saber quem comprou chumbinho usado para matar o filho de militar do Exército

24 de novembro – Amigo duvida que subtenente tenha sido o autor da morte do filho autista

24 de novembro – Com melhora de subtenente, delegado aguarda depoimento até o fim da semana

25 de novembro – Subtenente fica chocado ao acordar do coma e saber que é acusado do assassinato do filho

26 de novembro – Delegado estuda fazer reconstituição do caso de subtenente acusado pela mulher de matar o filho

27 de novembro – Delegado desconfia que uma terceira pessoa tenha assassinado filho de subtenente do Exército

28 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho será ouvido pela polícia mesmo na UTI

29 de novembro – Subtenente nega acusações e seu advogado acusa esposa de assassinar o filho para culpar militar

2 de dezembro – Delegado considera esposa de subtenente uma “suspeita em potencial” da morte do filho

3 de dezembro – Subtenente vai de vilão a mocinho após 3 semanas de investigação por morte de filho envenenado

3 de dezembro – Subtenente suspeito de matar o filho tem prisão preventiva revogada pela Justiça

4 de dezembro – Caso Subtenente: pai e mãe ficarão frente a frente pela 1ª vez após morte do filho envenenado

4 de dezembro – Em 1ª entrevista após sair de UTI, subtenente revela que tem tatuagem com nome de filho morto

8 de dezembro – Esposa de subtenente suspeita de matar o filho contrata um dos juristas mais conhecidos do Ceará

11 de dezembro – Um mês após crime, vizinha diz que nunca acreditou na versão de que subtenente matou o filho

11 de dezembro – Polícia revela áudio que indica desespero da esposa de subtenente após crime

12 de dezembro – Sobrinha será investigada por acionar a polícia quando militar já havia sido socorrido

13 de dezembro – Subtenente recebe alta médica e deseja acareação com esposa sobre morte de filho envenenado

15 de dezembro – Subtenente e esposa participarão de acareação e reconstituição de crime até a próxima semana

16 de dezembro – Caso Subtenente: esposa e militar fazem acareação na próxima segunda-feira

22 de dezembro – Em acareação, subtenente e esposa se encontram pela primeira vez após morte do filho

22 de dezembro – Subtenente acusa publicamente sua mulher de matar filho e agora teme pela vida do mais novo 

23 de dezembro – Subtenente tem seguro de vida que pagaria R$ 153 mil a esposa em caso de morte

23 de dezembro – Polícia investiga denúncia de que depósito teria vendido chumbinho a esposa de subtenente

24 de dezembro – Esposa de subtenente admitiu ao marido que tem um amante, no reencontro do casal em acareação