Decon cobra explicações da Coelce e Chesf após apagão em Fortaleza e RMF


Decon cobra explicações da Coelce e Chesf após apagão em Fortaleza e RMF

As empresas têm o prazo de dez dias para prestar esclarecimentos e podem sofrer penalidades que variam de R$ 667 a R$ 10,1 milhões

Por Rosana Romão em Cotidiano

11 de junho de 2015 às 11:06

Há 4 anos
Após apagão, trânsito ficou caótico e gerou colisões. (FOTO: Caroline Secundino)

Após apagão, trânsito ficou caótico e gerou colisões. (FOTO: Caroline Secundino)

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon), do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) instaurou nesta quinta-feira (11), procedimento administrativo contra a Companhia Energética do Ceará (Coelce) e a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). O procedimento cobra esclarecimentos sobre a queda de energia ocorrida em Fortaleza e região metropolitana na última quarta-feira (10), por volta das 17h.

O apagão causou vários transtornos à população e, principalmente, aos consumidores que dependem do fornecimento de energia elétrica contínuo para sobreviver. Com a descontinuidade dos serviços essenciais, como o de energia elétrica, infringe o Código de Defesa do Consumidor (CDC), gera transtornos aos consumidores e dificulta a sobrevivência dos que necessitam da prestação do serviço, o DECON instaurou procedimento cobrando esclarecimentos por parte da Coelce e da Chesf.

As empresas têm o prazo de dez dias contados a partir do recebimento da notificação para prestar os esclarecimentos e, caso fique comprovado o descumprimento ao Código de Defesa do Consumidor, além de problemas na prestação do serviço, as empresas podem sofrer penalidades de multa, que variam de R$ 667 a R$ 10,1 milhões.

Os consumidores que se sentirem prejudicados devem procurar primeiro as empresas para tentar resolver a demanda. Caso o problema persista, os consumidores podem formalizar reclamação junto ao Decon, na Rua Barão de Aratanha, número 100, bairro Centro. O atendimento é feito mediante a distribuição de senhas, de segunda-feira a sexta-feira, de 7h às 14 horas.

Publicidade

Dê sua opinião

Decon cobra explicações da Coelce e Chesf após apagão em Fortaleza e RMF

As empresas têm o prazo de dez dias para prestar esclarecimentos e podem sofrer penalidades que variam de R$ 667 a R$ 10,1 milhões

Por Rosana Romão em Cotidiano

11 de junho de 2015 às 11:06

Há 4 anos
Após apagão, trânsito ficou caótico e gerou colisões. (FOTO: Caroline Secundino)

Após apagão, trânsito ficou caótico e gerou colisões. (FOTO: Caroline Secundino)

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon), do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) instaurou nesta quinta-feira (11), procedimento administrativo contra a Companhia Energética do Ceará (Coelce) e a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). O procedimento cobra esclarecimentos sobre a queda de energia ocorrida em Fortaleza e região metropolitana na última quarta-feira (10), por volta das 17h.

O apagão causou vários transtornos à população e, principalmente, aos consumidores que dependem do fornecimento de energia elétrica contínuo para sobreviver. Com a descontinuidade dos serviços essenciais, como o de energia elétrica, infringe o Código de Defesa do Consumidor (CDC), gera transtornos aos consumidores e dificulta a sobrevivência dos que necessitam da prestação do serviço, o DECON instaurou procedimento cobrando esclarecimentos por parte da Coelce e da Chesf.

As empresas têm o prazo de dez dias contados a partir do recebimento da notificação para prestar os esclarecimentos e, caso fique comprovado o descumprimento ao Código de Defesa do Consumidor, além de problemas na prestação do serviço, as empresas podem sofrer penalidades de multa, que variam de R$ 667 a R$ 10,1 milhões.

Os consumidores que se sentirem prejudicados devem procurar primeiro as empresas para tentar resolver a demanda. Caso o problema persista, os consumidores podem formalizar reclamação junto ao Decon, na Rua Barão de Aratanha, número 100, bairro Centro. O atendimento é feito mediante a distribuição de senhas, de segunda-feira a sexta-feira, de 7h às 14 horas.