Dengue, chikungunya e zica: saiba as diferenças entre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti


Dengue, chikungunya e zica: saiba as diferenças entre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

O Ministério da Saúde alerta que, qualquer uma das três doenças, se detectada inicialmente, terão um prognóstico de evolução, não deixando sequelas

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

12 de dezembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos

Em água limpa e parada, o mosquito Aedes aegypti desenvolve-se em até 5 dias. O vilão da saúde brasileira é responsável pela vetorização de três doenças graves: dengue, chikungunya e zica. Esta última está recebendo atenção especial dos órgãos governamentais como o Ministério da Saúde devido sua relação com os casos de microcefalia.

Febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas, manchas vermelhas pelo corpo. Todas as três doenças têm algum tipo de sintoma característico. Desta forma, a indicação é que ninguém faça uso de automedicação e procure imediatamente uma unidade básica de saúde.

Nesta semana, os estados do Nordeste e Sudeste receberam larvicidas para tratamento de um volume de água equivalente a 3.560 piscinas olímpicas. São mais 17.9 toneladas do produto utilizado para eliminar as larvas do mosquito Aedes aegypti.

O Ministério da Saúde alerta que, qualquer uma das três doenças, se detectada inicialmente, terão um prognóstico de evolução, não deixando sequelas e não chegando em casos graves. A dengue, por exemplo, pode matar. Somente no Ceará, 66 pessoas morreram devido à doença em 2015.

 

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

Acompanhe o caso

23 de novembro – Grávidas devem se manter longe de mosquitos da dengue, com janelas fechadas ou teladas

30 de novembro – Teste realizado em bebê cearense confirma relação entre Zika e surto de microcefalia

30 de novembro – Ceará tem aumento de 177% em casos de microcefalia em 2015

8 de dezembro – Aumento de casos de microcefalia no Ceará em 2015 já chega a 600%

10 de dezembro – Explosão de casos de microcefalia reduz estoque de repelentes em farmácias de Fortaleza

12 de dezembro – Dengue, chikungunya e zica: saiba as diferenças entre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

Publicidade

Dê sua opinião

Dengue, chikungunya e zica: saiba as diferenças entre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

O Ministério da Saúde alerta que, qualquer uma das três doenças, se detectada inicialmente, terão um prognóstico de evolução, não deixando sequelas

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

12 de dezembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos

Em água limpa e parada, o mosquito Aedes aegypti desenvolve-se em até 5 dias. O vilão da saúde brasileira é responsável pela vetorização de três doenças graves: dengue, chikungunya e zica. Esta última está recebendo atenção especial dos órgãos governamentais como o Ministério da Saúde devido sua relação com os casos de microcefalia.

Febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas, manchas vermelhas pelo corpo. Todas as três doenças têm algum tipo de sintoma característico. Desta forma, a indicação é que ninguém faça uso de automedicação e procure imediatamente uma unidade básica de saúde.

Nesta semana, os estados do Nordeste e Sudeste receberam larvicidas para tratamento de um volume de água equivalente a 3.560 piscinas olímpicas. São mais 17.9 toneladas do produto utilizado para eliminar as larvas do mosquito Aedes aegypti.

O Ministério da Saúde alerta que, qualquer uma das três doenças, se detectada inicialmente, terão um prognóstico de evolução, não deixando sequelas e não chegando em casos graves. A dengue, por exemplo, pode matar. Somente no Ceará, 66 pessoas morreram devido à doença em 2015.

 

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

Acompanhe o caso

23 de novembro – Grávidas devem se manter longe de mosquitos da dengue, com janelas fechadas ou teladas

30 de novembro – Teste realizado em bebê cearense confirma relação entre Zika e surto de microcefalia

30 de novembro – Ceará tem aumento de 177% em casos de microcefalia em 2015

8 de dezembro – Aumento de casos de microcefalia no Ceará em 2015 já chega a 600%

10 de dezembro – Explosão de casos de microcefalia reduz estoque de repelentes em farmácias de Fortaleza

12 de dezembro – Dengue, chikungunya e zica: saiba as diferenças entre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti