Elevador em que agente comunitária morreu não recebia manutenção há dois anos, diz Crea-CE

PRÉDIO ANTIGO

Elevador em que agente comunitária morreu não recebia manutenção há dois anos, diz Crea-CE

O presidente do Crea-CE afirma que a última manutenção foi registrada em 2017 e que os responsáveis pelo prédio foram “negligentes”

Por Tribuna Bandnews FM em Cotidiano

31 de janeiro de 2019 às 13:37

Há 7 meses
Na porta do elevador, havia avisos de alerta para não entrar no equipamento antes da chegada da cabine (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

Na porta do elevador, havia avisos de alerta para não entrar no equipamento antes da chegada da cabine (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

O elevador que vitimou Mara de Sousa, de 55 anos, em um prédio no Centro de Fortaleza estava sem manutenção técnica há dois anos. Segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE), o último registro foi feito em 2017.

Na tarde desta quarta-feira (30), a agente comunitária caiu no fosso do elevador após a porta ter aberto sem o equipamento ter chegado em seu andar. As informações são da Tribuna BandNews FM.

De acordo com o presidente do Crea-CE, Emanuel Mota, todos os prédios precisam de um plano de manutenção para aparelhos de ar-condicionados, sistema elétrico no geral e, inclusive, elevadores.

“Cada equipamento precisa de um plano de manutenção a ser desenvolvido. Isso varia conforme modelo, idade e uso. Somente um profissional devidamente habilitado pode determinar esse plano de manutenção”, ressalta Mota, em entrevista à Tribuna Band News.

Para ele, a morte de Maria Sousa foi um resultado de uma “negligência” dos responsáveis pelo condomínio devido a falta de manutenção, a última foi feita em 2017. “Há dois anos não existe um profissional responsável pelas manutenções. Isso é lamentável. As pessoas insistem em não realizar as devidas inspeções”, afirma.

O edifício onde Mara de Sousa morreu fica localizado entre as ruas ruas Princesa Isabel e Pedro Pereira, no Centro de Fortaleza. A agente comunitária havia visitado o condomínio a trabalho e morreu após cair no fosso do elevador do sexto andar. Ela acionou o equipamento, mas as portas se abriram sem elevador ter chegado no seu andar. Sem perceber, ela entrou e caiu no fosso. O corpo da mulher ficou preso entre as ferragens em cima do elevador. Segundo testemunhas, outras pessoas já ficaram presas dentro do elevador.

Em redes sociais, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos em Serviços de Saúde no Estado do Ceará (Sindsaúde) emitiu nota lamentando o falecimento e informou que agente sempre fazia visitas domiciliares no edifício.

“Mara Santos era agente de saúde da Unidade de Atendimento Primário da Saúde (UAPS) Paulo Marcelo, na Regional 2, no Centro de Fortaleza. A Direção do Sindsaúde lamenta o ocorrido e se solidariza aos familiares e amigos da ACS Mara Santos”, informou o sindicato.

Torcedora do Fortaleza

Mara era torcedora símbolo do Fortaleza e seu amor pelo time estava presente nas redes sociais. Em nota, o clube se manifestou demonstrando pesar por seu falecimento. “Mara, sócia torcedora, estava sempre muito presente nos nossos jogos”.

Durante o jogo Fortaleza e Botafogo (PB), que ocorrerá no dia 2 de fevereiro, em João Pessoa, será feito 1 minuto de silêncio em sua homenagem.

Publicidade

Dê sua opinião

PRÉDIO ANTIGO

Elevador em que agente comunitária morreu não recebia manutenção há dois anos, diz Crea-CE

O presidente do Crea-CE afirma que a última manutenção foi registrada em 2017 e que os responsáveis pelo prédio foram “negligentes”

Por Tribuna Bandnews FM em Cotidiano

31 de janeiro de 2019 às 13:37

Há 7 meses
Na porta do elevador, havia avisos de alerta para não entrar no equipamento antes da chegada da cabine (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

Na porta do elevador, havia avisos de alerta para não entrar no equipamento antes da chegada da cabine (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

O elevador que vitimou Mara de Sousa, de 55 anos, em um prédio no Centro de Fortaleza estava sem manutenção técnica há dois anos. Segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE), o último registro foi feito em 2017.

Na tarde desta quarta-feira (30), a agente comunitária caiu no fosso do elevador após a porta ter aberto sem o equipamento ter chegado em seu andar. As informações são da Tribuna BandNews FM.

De acordo com o presidente do Crea-CE, Emanuel Mota, todos os prédios precisam de um plano de manutenção para aparelhos de ar-condicionados, sistema elétrico no geral e, inclusive, elevadores.

“Cada equipamento precisa de um plano de manutenção a ser desenvolvido. Isso varia conforme modelo, idade e uso. Somente um profissional devidamente habilitado pode determinar esse plano de manutenção”, ressalta Mota, em entrevista à Tribuna Band News.

Para ele, a morte de Maria Sousa foi um resultado de uma “negligência” dos responsáveis pelo condomínio devido a falta de manutenção, a última foi feita em 2017. “Há dois anos não existe um profissional responsável pelas manutenções. Isso é lamentável. As pessoas insistem em não realizar as devidas inspeções”, afirma.

O edifício onde Mara de Sousa morreu fica localizado entre as ruas ruas Princesa Isabel e Pedro Pereira, no Centro de Fortaleza. A agente comunitária havia visitado o condomínio a trabalho e morreu após cair no fosso do elevador do sexto andar. Ela acionou o equipamento, mas as portas se abriram sem elevador ter chegado no seu andar. Sem perceber, ela entrou e caiu no fosso. O corpo da mulher ficou preso entre as ferragens em cima do elevador. Segundo testemunhas, outras pessoas já ficaram presas dentro do elevador.

Em redes sociais, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos em Serviços de Saúde no Estado do Ceará (Sindsaúde) emitiu nota lamentando o falecimento e informou que agente sempre fazia visitas domiciliares no edifício.

“Mara Santos era agente de saúde da Unidade de Atendimento Primário da Saúde (UAPS) Paulo Marcelo, na Regional 2, no Centro de Fortaleza. A Direção do Sindsaúde lamenta o ocorrido e se solidariza aos familiares e amigos da ACS Mara Santos”, informou o sindicato.

Torcedora do Fortaleza

Mara era torcedora símbolo do Fortaleza e seu amor pelo time estava presente nas redes sociais. Em nota, o clube se manifestou demonstrando pesar por seu falecimento. “Mara, sócia torcedora, estava sempre muito presente nos nossos jogos”.

Durante o jogo Fortaleza e Botafogo (PB), que ocorrerá no dia 2 de fevereiro, em João Pessoa, será feito 1 minuto de silêncio em sua homenagem.