Ministério Público instaura inquérito para apurar morte de criança atacada por pitbull

INVESTIGAÇÃO

Ministério Público instaura inquérito para apurar morte de criança atacada por pitbull

MPCE deu prazo para que órgãos da prefeitura enviem informações sobre o abrigo onde residia o adolescente

Por Rosana Romão em Cotidiano

16 de maio de 2016 às 18:36

Há 3 anos
Garoto pulou muro para resgatar bola de futebol (FOTO: Reprodução)

Garoto pulou muro para resgatar bola de futebol (FOTO: Reprodução)

A morte do menino atacado por um pitbull no último sábado (14) ainda repercute entre os moradores da área onde o acidente aconteceu. O quintal do abrigo onde o jovem morava e o terreno onde o estava o cachorro são separados apenas por um muro.

Quando o jovem pulou para buscar a bola que estava brincando, foi atacado pelo cachorro. Segundo a costureira Maria Nívea da Silva, que trabalha ao lado do abrigo, os jovens de lá têm o costume de fazer atividades recreativas no quintal, mas até este sábado não havia acontecido algum incidente.

Já na Rua Senador Alencar, onde fica a frente do terreno em que o cachorro estava, os moradores relatam que, há cerca de 7 anos, funcionava um canil e que já havia sido denunciado como sendo clandestino. Segundo o proprietário do comércio que fica em frente ao terreno, Felipe Rodrigues, no sábado havia mais de um cachorro, mas agora não sabe se alguém veio para retirá-los.

A equipe de reportagem da rádio Tribuna Bandnews FM também soube, pelos moradores da área, que a proprietária do terreno onde o cachorro estava mora exatamente em frente ao abrigo, na Rua São Paulo. Tentamos contato, mas segundo um funcionário da casa, ela não estava presente.

 

Além disso, uma moradora próxima ao abrigo, que não aceitou gravar entrevista, contou que os jovens de lá têm o costume de pular o muro até para sair na rua, que é comum e não há, por parte da organização do abrigo, quem fique observando as atividades desses jovens.

O Ministério Público Estadual deu um prazo de 10 dias para que órgãos da Prefeitura de Fortaleza enviem informações sobre o abrigo, localizado no Centro, onde residia o adolescente. Segundo o promotor de Justiça da 6ª Promotoria da Infância e Juventude, Luciano Tonet, um inquérito civil público foi instaurado para esclarecer as responsabilidades sobre o fato.

Luciano Tonet afirma também que algumas documentações foram solicitadas ao abrigo e à Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social. Segundo o promotor, os próximos passos da investigação só serão definidos após o MP receber as respostas.

O jovem de 13 anos, atacado pelo cão, não resistiu aos ferimentos que sofreu no pescoço e nas pernas. Os instrutores do abrigo foram encaminhados ao trigésimo quarto distrito policial para prestar esclarecimentos sobre a ocorrência.

Confira as entrevistas realizadas pela Tribuna Bandnews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÃO

Ministério Público instaura inquérito para apurar morte de criança atacada por pitbull

MPCE deu prazo para que órgãos da prefeitura enviem informações sobre o abrigo onde residia o adolescente

Por Rosana Romão em Cotidiano

16 de maio de 2016 às 18:36

Há 3 anos
Garoto pulou muro para resgatar bola de futebol (FOTO: Reprodução)

Garoto pulou muro para resgatar bola de futebol (FOTO: Reprodução)

A morte do menino atacado por um pitbull no último sábado (14) ainda repercute entre os moradores da área onde o acidente aconteceu. O quintal do abrigo onde o jovem morava e o terreno onde o estava o cachorro são separados apenas por um muro.

Quando o jovem pulou para buscar a bola que estava brincando, foi atacado pelo cachorro. Segundo a costureira Maria Nívea da Silva, que trabalha ao lado do abrigo, os jovens de lá têm o costume de fazer atividades recreativas no quintal, mas até este sábado não havia acontecido algum incidente.

Já na Rua Senador Alencar, onde fica a frente do terreno em que o cachorro estava, os moradores relatam que, há cerca de 7 anos, funcionava um canil e que já havia sido denunciado como sendo clandestino. Segundo o proprietário do comércio que fica em frente ao terreno, Felipe Rodrigues, no sábado havia mais de um cachorro, mas agora não sabe se alguém veio para retirá-los.

A equipe de reportagem da rádio Tribuna Bandnews FM também soube, pelos moradores da área, que a proprietária do terreno onde o cachorro estava mora exatamente em frente ao abrigo, na Rua São Paulo. Tentamos contato, mas segundo um funcionário da casa, ela não estava presente.

 

Além disso, uma moradora próxima ao abrigo, que não aceitou gravar entrevista, contou que os jovens de lá têm o costume de pular o muro até para sair na rua, que é comum e não há, por parte da organização do abrigo, quem fique observando as atividades desses jovens.

O Ministério Público Estadual deu um prazo de 10 dias para que órgãos da Prefeitura de Fortaleza enviem informações sobre o abrigo, localizado no Centro, onde residia o adolescente. Segundo o promotor de Justiça da 6ª Promotoria da Infância e Juventude, Luciano Tonet, um inquérito civil público foi instaurado para esclarecer as responsabilidades sobre o fato.

Luciano Tonet afirma também que algumas documentações foram solicitadas ao abrigo e à Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social. Segundo o promotor, os próximos passos da investigação só serão definidos após o MP receber as respostas.

O jovem de 13 anos, atacado pelo cão, não resistiu aos ferimentos que sofreu no pescoço e nas pernas. Os instrutores do abrigo foram encaminhados ao trigésimo quarto distrito policial para prestar esclarecimentos sobre a ocorrência.

Confira as entrevistas realizadas pela Tribuna Bandnews FM: