Motoristas de ônibus decidem em reunião como será a adesão à greve geral desta sexta

ATO CONTRA REFORMAS

Motoristas de ônibus decidem em reunião como será a adesão à greve geral desta sexta

O ato de paralisação, que ocorrerá em todo o país, será nesta sexta-feira. Em Fortaleza, a concentração será na Praça Clóvis Beviláqua

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

26 de abril de 2017 às 07:00

Há 2 anos
Na última vez que aconteceu um ato no Centro, os ônibus sofreram paralisação (FOTO: Juliana Marques/Tribuna Band News FM)

Na última vez que aconteceu um ato no Centro, os ônibus sofreram paralisação (FOTO: Juliana Marques/Tribuna Band News FM)

Está marcada para a próxima sexta-feira (28) uma greve geral por centrais sindicais de todo o Brasil. A paralisação também acontecerá em Fortaleza, e está sendo organizada pela Central Única dos Trabalhadores do Ceará (CUT) e outros sindicatos contra as reformas da Previdência e Trabalhista.

Na Capital o ato de concentração acontece na Praça Clóvis Beviláquia (conhecida como Praça da Bandeira), a partir das 8h, e percorrerá as ruas do Centro.

Um dos sindicatos que já confirmou presença foi Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro). Porém, ainda não foi definido como funcionará o ato.

“Ainda não sabemos quantos motoristas irão aderir, se ficaremos só nas garagens, ou no Centro, essa decisão será definida na quinta-feira”, afirmou a assessoria de imprensa do órgão.

Além dos ônibus, outros segmentos devem aderir à greve geral. Um dos confirmados é dos servidores públicos das Universidades Federais. O Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais do Ceará (Sintufce) e Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará (ADUFC Sindicato) também participarão do ato.

Os servidores públicos devem se manifestar e participar do ato, como explicou a CUT-Ceará. Porém, ainda existe indefinições de quais instituições estarão presentes. O Sindicato União dos Trabalhadores em Educação de Fortaleza (Sindiute) dos professores da rede municipal foi convocado para o ato. Além disso, os bancários também devem aderir a greve geral.

Publicidade

Dê sua opinião

ATO CONTRA REFORMAS

Motoristas de ônibus decidem em reunião como será a adesão à greve geral desta sexta

O ato de paralisação, que ocorrerá em todo o país, será nesta sexta-feira. Em Fortaleza, a concentração será na Praça Clóvis Beviláqua

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

26 de abril de 2017 às 07:00

Há 2 anos
Na última vez que aconteceu um ato no Centro, os ônibus sofreram paralisação (FOTO: Juliana Marques/Tribuna Band News FM)

Na última vez que aconteceu um ato no Centro, os ônibus sofreram paralisação (FOTO: Juliana Marques/Tribuna Band News FM)

Está marcada para a próxima sexta-feira (28) uma greve geral por centrais sindicais de todo o Brasil. A paralisação também acontecerá em Fortaleza, e está sendo organizada pela Central Única dos Trabalhadores do Ceará (CUT) e outros sindicatos contra as reformas da Previdência e Trabalhista.

Na Capital o ato de concentração acontece na Praça Clóvis Beviláquia (conhecida como Praça da Bandeira), a partir das 8h, e percorrerá as ruas do Centro.

Um dos sindicatos que já confirmou presença foi Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro). Porém, ainda não foi definido como funcionará o ato.

“Ainda não sabemos quantos motoristas irão aderir, se ficaremos só nas garagens, ou no Centro, essa decisão será definida na quinta-feira”, afirmou a assessoria de imprensa do órgão.

Além dos ônibus, outros segmentos devem aderir à greve geral. Um dos confirmados é dos servidores públicos das Universidades Federais. O Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais do Ceará (Sintufce) e Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará (ADUFC Sindicato) também participarão do ato.

Os servidores públicos devem se manifestar e participar do ato, como explicou a CUT-Ceará. Porém, ainda existe indefinições de quais instituições estarão presentes. O Sindicato União dos Trabalhadores em Educação de Fortaleza (Sindiute) dos professores da rede municipal foi convocado para o ato. Além disso, os bancários também devem aderir a greve geral.