Operários da obra da Av. Raul Barbosa voltam ao trabalho três dias após acidente


Operários da obra da Av. Raul Barbosa voltam ao trabalho três dias após acidente

Na reunião entre o sindicato e a construtora ficou acordado o retorno às atividades para não prejudicar os trabalhadores

Por Matheus Ribeiro em Cotidiano

25 de fevereiro de 2016 às 11:12

Há 3 anos
Técnicos da Secretaria de Infraestrutura do estado foram até o local onde aconteceu o desabamento. (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Técnicos da Secretaria de Infraestrutura do estado foram até o local onde aconteceu o desabamento. (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Os operários da construção de mobilidade urbana do cruzamento das avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges, em Fortaleza, resolveram retornar as atividades na manhã desta quinta-feira (25), três dias após o desabamento de uma ponte que matou dois operários. O retorno, que já era previsto pela Prefeitura, foi acatado pela categoria, representada pelo Sindicado dos Trabalhadores de Construções Pesadas do Ceará (Sintepav-CE), por não conseguirem apreciar o pedido de embargo total da obra.

Na última terça-feira (23), o trecho da obra onde ocorreu o acidente foi embargado pelo Ministério Público do Ceará. De acordo com o coordenador fiscal do Sintepav-CE, Archimedes Fortes, a decisão foi tomada para evitar que os operários fossem prejudicados.

“Nós solicitamos junto ao Ministério Público o embargo total da obra e não somente o trecho onde ocorreu o acidente. Como não fomos atendidos, realizamos uma reunião com a construtora Ferreira Guedes nesta manhã e ficamos acordados de que voltaríamos ao normal para não entrar na ilegalidade”, explica o representante do sindicato.

A normalização das atividades acontece um dia depois de o próprio representante afirmar em que os trabalhadores não retornariam às obras até que os relatórios técnicos abordando as causas do acidente fossem divulgados.

Segundo o chefe da fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Ceará (SRTE-CE), Luis Alves, ofício de solicitação do embargo total da obra já foi protocolado, mas ainda não foi avaliado. Para o representante do órgão, o objetivo é resolver a situação de onde ocorreu o desabamento.

Ainda conforme o Luís Alves, a construtora Ferreira Guedes já entregou parte da documentação exigida para que fosse efetuada a liberação do trecho do acidente. Entre os documentos exigidos, dois deles são preponderantes. “A construtora precisa antes de tudo apresentar um projeto de recuperação das escoras para a retirada dos escombros da ponte. Além disso, é necessário confirmar um procedimento que garanta a segurança dos trabalhadores”, detalha o chefe da fiscalização.

Para concluir a liberação, toda a documentação apresentada pela construtora deve ser verificada e assinada por um engenheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE). Após a verificação dos documentos, o engenheiro especialista deve conceder um termo de responsabilidade técnica, em que permitirá à construtora retornar aos trabalhos no local do acidente.

Entenda o caso

No fim da tarde da última segunda-feira (22), dois operários morreram após uma ponte em construção desabar. A obra, que faz parte do projeto de mobilidade urbana da Prefeitura de Fortaleza, consiste em uma rotatória de 90 metros de diâmetro (com duas faixas para tráfego e dois viadutos de cerca de 312 metros de extensão fazendo a ligação sertão-praia), e será construída uma nova ponte que operará em sentido inverso ao da existente.

Para apurar as causas do acidente, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, montou uma comissão de engenheiros que fiscalizarão e analisarão o que pode ter acontecido para ocasionar o acidente. Um laudo técnico com as explicações deve ficar pronto no prazo máximo de 30 dias.

Ao todo, R$ 31 milhões foram destinados às construtoras para a realização da obra. Conforme o cronograma da prefeitura, o prazo de entrega da primeira parte da construção estava previsto para setembro deste ano.

Acompanhe o caso:

25 de fevereiro – Vizinhos de obras da Av. Raul Barbosa esperam por desapropriação desde a Copa

24 de fevereiro – Operários da obra na Av. Raul Barbosa ameaçam paralisar a construção para forçar embargo total

24 de fevereiro – Operários que morreram em desabamento trabalhavam em obra há 2 meses

24 de fevereiro – Operário dado como desaparecido deixou local de trabalho após desabamento da ponte

24 de fevereiro – Trecho da obra da ponte que desabou na Av. Raul Barbosa é embargado

23 de fevereiro – Obras de mobilidade na Av. Raul Barbosa prosseguirão mesmo após acidente

23 de fevereiro – Mesmo com acidente em obra, trânsito na Av. Raul Barbosa flui normalmente

23 de fevereiro – Empresa responsável por construção na Av. Raul Barbosa já fez outras obras no Ceará

23 de fevereiro – Sindicato de operários pede a interdição de obra na Av. Raul Barbosa após desabamento

23 de fevereiro – Moradores relatam momentos de pavor após tragédia na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Crea descarta que chuva tenha causado desabamento de obra na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Entenda qual foi o local onde ocorreu o desabamento da ponte em construção no Lagamar

23 de fevereiro – Prefeitura garante que não terá prejuízo financeiro com desabamento de obra na Raul Barbosa

22 de fevereiro – Desabamento nas obras das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges deixa operários soterrados

22 de fevereiro – AMC orienta que motoristas evitem a Avenida Raul Barbosa

22 de fevereiro – Socorrista foi o primeiro a chegar ao local e relata resgate de vítimas de desabamento

22 de fevereiro – Crea considera falha de escoramento como possível causa do desabamento no Lagamar

22 de fevereiro – Prefeitura notificará empresa responsável pela obra que desabou no Lagamar

22 de fevereiro – Dois operários morrem em desabamento na duplicação da ponte do Lagamar

Publicidade

Dê sua opinião

Operários da obra da Av. Raul Barbosa voltam ao trabalho três dias após acidente

Na reunião entre o sindicato e a construtora ficou acordado o retorno às atividades para não prejudicar os trabalhadores

Por Matheus Ribeiro em Cotidiano

25 de fevereiro de 2016 às 11:12

Há 3 anos
Técnicos da Secretaria de Infraestrutura do estado foram até o local onde aconteceu o desabamento. (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Técnicos da Secretaria de Infraestrutura do estado foram até o local onde aconteceu o desabamento. (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Os operários da construção de mobilidade urbana do cruzamento das avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges, em Fortaleza, resolveram retornar as atividades na manhã desta quinta-feira (25), três dias após o desabamento de uma ponte que matou dois operários. O retorno, que já era previsto pela Prefeitura, foi acatado pela categoria, representada pelo Sindicado dos Trabalhadores de Construções Pesadas do Ceará (Sintepav-CE), por não conseguirem apreciar o pedido de embargo total da obra.

Na última terça-feira (23), o trecho da obra onde ocorreu o acidente foi embargado pelo Ministério Público do Ceará. De acordo com o coordenador fiscal do Sintepav-CE, Archimedes Fortes, a decisão foi tomada para evitar que os operários fossem prejudicados.

“Nós solicitamos junto ao Ministério Público o embargo total da obra e não somente o trecho onde ocorreu o acidente. Como não fomos atendidos, realizamos uma reunião com a construtora Ferreira Guedes nesta manhã e ficamos acordados de que voltaríamos ao normal para não entrar na ilegalidade”, explica o representante do sindicato.

A normalização das atividades acontece um dia depois de o próprio representante afirmar em que os trabalhadores não retornariam às obras até que os relatórios técnicos abordando as causas do acidente fossem divulgados.

Segundo o chefe da fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Ceará (SRTE-CE), Luis Alves, ofício de solicitação do embargo total da obra já foi protocolado, mas ainda não foi avaliado. Para o representante do órgão, o objetivo é resolver a situação de onde ocorreu o desabamento.

Ainda conforme o Luís Alves, a construtora Ferreira Guedes já entregou parte da documentação exigida para que fosse efetuada a liberação do trecho do acidente. Entre os documentos exigidos, dois deles são preponderantes. “A construtora precisa antes de tudo apresentar um projeto de recuperação das escoras para a retirada dos escombros da ponte. Além disso, é necessário confirmar um procedimento que garanta a segurança dos trabalhadores”, detalha o chefe da fiscalização.

Para concluir a liberação, toda a documentação apresentada pela construtora deve ser verificada e assinada por um engenheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE). Após a verificação dos documentos, o engenheiro especialista deve conceder um termo de responsabilidade técnica, em que permitirá à construtora retornar aos trabalhos no local do acidente.

Entenda o caso

No fim da tarde da última segunda-feira (22), dois operários morreram após uma ponte em construção desabar. A obra, que faz parte do projeto de mobilidade urbana da Prefeitura de Fortaleza, consiste em uma rotatória de 90 metros de diâmetro (com duas faixas para tráfego e dois viadutos de cerca de 312 metros de extensão fazendo a ligação sertão-praia), e será construída uma nova ponte que operará em sentido inverso ao da existente.

Para apurar as causas do acidente, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, montou uma comissão de engenheiros que fiscalizarão e analisarão o que pode ter acontecido para ocasionar o acidente. Um laudo técnico com as explicações deve ficar pronto no prazo máximo de 30 dias.

Ao todo, R$ 31 milhões foram destinados às construtoras para a realização da obra. Conforme o cronograma da prefeitura, o prazo de entrega da primeira parte da construção estava previsto para setembro deste ano.

Acompanhe o caso:

25 de fevereiro – Vizinhos de obras da Av. Raul Barbosa esperam por desapropriação desde a Copa

24 de fevereiro – Operários da obra na Av. Raul Barbosa ameaçam paralisar a construção para forçar embargo total

24 de fevereiro – Operários que morreram em desabamento trabalhavam em obra há 2 meses

24 de fevereiro – Operário dado como desaparecido deixou local de trabalho após desabamento da ponte

24 de fevereiro – Trecho da obra da ponte que desabou na Av. Raul Barbosa é embargado

23 de fevereiro – Obras de mobilidade na Av. Raul Barbosa prosseguirão mesmo após acidente

23 de fevereiro – Mesmo com acidente em obra, trânsito na Av. Raul Barbosa flui normalmente

23 de fevereiro – Empresa responsável por construção na Av. Raul Barbosa já fez outras obras no Ceará

23 de fevereiro – Sindicato de operários pede a interdição de obra na Av. Raul Barbosa após desabamento

23 de fevereiro – Moradores relatam momentos de pavor após tragédia na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Crea descarta que chuva tenha causado desabamento de obra na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Entenda qual foi o local onde ocorreu o desabamento da ponte em construção no Lagamar

23 de fevereiro – Prefeitura garante que não terá prejuízo financeiro com desabamento de obra na Raul Barbosa

22 de fevereiro – Desabamento nas obras das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges deixa operários soterrados

22 de fevereiro – AMC orienta que motoristas evitem a Avenida Raul Barbosa

22 de fevereiro – Socorrista foi o primeiro a chegar ao local e relata resgate de vítimas de desabamento

22 de fevereiro – Crea considera falha de escoramento como possível causa do desabamento no Lagamar

22 de fevereiro – Prefeitura notificará empresa responsável pela obra que desabou no Lagamar

22 de fevereiro – Dois operários morrem em desabamento na duplicação da ponte do Lagamar