Remédio para queima de gordura transforma corpo em bomba-relógio, alertam médicos


Remédio para queima de gordura transforma corpo em bomba-relógio, alertam médicos

Não existe substância com solução milagrosa para provocar o emagrecimento. Neste mês, estudante de Direito cearense morreu após uso de anabolizantes

Por Roberta Tavares em Cotidiano

26 de março de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Tayná Barbosa, de 24 anos, morreu após uso de medicamentos em excesso (FOTO: Reprodução/Facebook)

Tayná Barbosa, de 24 anos, morreu após uso de medicamentos em excesso (FOTO: Reprodução/Facebook)

O sonho do corpo malhado leva muita gente a usar substâncias anabolizantes que podem acarretar a morte. Foi o que aconteceu com a universitária Tayná Barbosa, de 24 anos, falecida no dia 14 de março, em Fortaleza, após uso de remédios para emagrecimentos e ganho de massa muscular. No Brasil, a venda desses produtos é feita de forma indiscriminada e sem orientação médica.

De acordo com o endocrinologista Marcelo Hissa, algumas pessoas que não aceitam o próprio corpo e querem se tornar mais “fortes”, musculosas e com melhor desempenho nos esportes fazem uso de anabolizantes sem saber as consequências negativas do hormônio sintético no organismo. “O anabolizante é uma substância usada por atletas de forma ilegal, com diversos efeitos colaterais, e que acaba aumentando as performances físicas e dos exercícios”, explica.

Segundo disse, existem variados tipos de anabolizantes, que são substâncias fabricadas a partir do hormônio sexual masculino, a testosterona. Há alguns anos, essas drogas eram utilizadas somente para tratamento de certas disfunções hormonais ou desgaste muscular. Hoje em dia, são bastante conhecidas por atletas, fisiculturistas e até amadores. Os riscos são comprovados pela medicina.

É como estar na cadeira de rodas por um mês. A tendência é que sua perna atrofie. Algo parecido acontece com o uso de anabolizantes. No caso dos homens, o organismo entende que não precisa mais produzir testosterona, acarretando em infertilidade, colesterol elevado e maior agressividade”, indica Marcelo.

Já o corpo da mulher, além de ter aumento da massa muscular, adquire características masculinas, com pelos onde não existia (barba ou bigode), acne, queda de cabelo, engrossamento da voz, e até tendência a ter diabetes, colesterol alto e insuficiência cardíaca. Os anabolizantes podem ser encontrados nas formas de comprimidos, cápsulas ou injeções intramusculares.

Termogênico

Tayná já esteve hospitalizada por consumo de anabolizantes, de acordo com uma amiga da universitária – que preferiu não se identificar. Após sair do hospital, ela começou a tomar antidepressivos e logo passou a usar “Lipo 6 Black”, termogênico responsável por queimar gorduras e evitar a retenção de líquido. A jovem injetava substâncias na veia. “As pessoas têm a ideia de que, se for injetar na veia, a assimilação será mais rápida; mas isso é um perigo imenso. É uma substância estranha no seu organismo, injetada diretamente no seu sangue, sem que ele esteja preparado para tal. Pode ocasionar um infarto fulminante”, revela o endocrinologista.

Para ele, não existe substância com a solução milagrosa de queimar gordura e provocar o emagrecimento. “Essa lenda de produto que aumenta metabolismo é um perigo, porque aumentam os batimentos cardíacos e pode induzir a uma arritmia cardíaca. É como se você estivesse trocando uma doença [o excesso de peso] por outra [problema na velocidade ou ritmo do batimento cardíaco]”, revela.

Suplementos alimentares

Já os suplementos alimentares adicionam à alimentação normal nutrientes e geram um melhor rendimento em atividades físicas. Alguns têm alto valor biológico e nutricional. O uso de suplementos é feito, na maioria das vezes, por atletas e praticantes de atividades físicas, mas a recomendação é que eles não substituam uma alimentação e nem sirvam como dietas. Também deve-se ter cuidado com o uso exagerado desse tipo de substância.

“As pessoas têm que entender que tudo o que a gente precisa, a gente consegue produzir. Muita gente usa o Whey Protein [suplemento], por exemplo, mas nem é maratonista ou nem vai para uma competição. Atletas profissionais, sim, muitas vezes precisam de um suplemento. Mas para quem vai à academia e não tem um treino mais rigoroso, o efeito positivo será quase nenhum. Tanto faz como tanto fez”.

Apesar do perigo que alguns produtos ocasionam, a venda no Brasil pode ser feita por encomenda, até por telefone. Em loja de suplementos, o acesso também é fácil. “Qualquer um pode comprar. Eu indico que as pessoas que queiram usar suplementos passem por um endocrinologista ou por um nutricionista, que podem verificar se, só pela alimentação, você consegue ter uma boa suplementação alimentar, sem a necessidade de um produto específico”, conclui Marcelo.

TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA

O caso

A estudante de Direito Tayná Barbosa morreu em Fortaleza, após uso de medicamentos. As substâncias foram encontradas por familiares escondidas no quarto da cearense. Ela faleceu no dia 14 de março, e a família não tem dúvida de que a dependência em anabolizantes para aumento de massa muscular foi a responsável.

A jovem foi internada no Hospital Otoclínica, no Bairro Joaquim Távora, no dia 8 de março, já desmaiada, e sofreu duas paradas cardíacas enquanto recebia atendimento. A universitária ficou em coma durante uma semana, até o dia de sua morte.

Publicidade

Dê sua opinião

Remédio para queima de gordura transforma corpo em bomba-relógio, alertam médicos

Não existe substância com solução milagrosa para provocar o emagrecimento. Neste mês, estudante de Direito cearense morreu após uso de anabolizantes

Por Roberta Tavares em Cotidiano

26 de março de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Tayná Barbosa, de 24 anos, morreu após uso de medicamentos em excesso (FOTO: Reprodução/Facebook)

Tayná Barbosa, de 24 anos, morreu após uso de medicamentos em excesso (FOTO: Reprodução/Facebook)

O sonho do corpo malhado leva muita gente a usar substâncias anabolizantes que podem acarretar a morte. Foi o que aconteceu com a universitária Tayná Barbosa, de 24 anos, falecida no dia 14 de março, em Fortaleza, após uso de remédios para emagrecimentos e ganho de massa muscular. No Brasil, a venda desses produtos é feita de forma indiscriminada e sem orientação médica.

De acordo com o endocrinologista Marcelo Hissa, algumas pessoas que não aceitam o próprio corpo e querem se tornar mais “fortes”, musculosas e com melhor desempenho nos esportes fazem uso de anabolizantes sem saber as consequências negativas do hormônio sintético no organismo. “O anabolizante é uma substância usada por atletas de forma ilegal, com diversos efeitos colaterais, e que acaba aumentando as performances físicas e dos exercícios”, explica.

Segundo disse, existem variados tipos de anabolizantes, que são substâncias fabricadas a partir do hormônio sexual masculino, a testosterona. Há alguns anos, essas drogas eram utilizadas somente para tratamento de certas disfunções hormonais ou desgaste muscular. Hoje em dia, são bastante conhecidas por atletas, fisiculturistas e até amadores. Os riscos são comprovados pela medicina.

É como estar na cadeira de rodas por um mês. A tendência é que sua perna atrofie. Algo parecido acontece com o uso de anabolizantes. No caso dos homens, o organismo entende que não precisa mais produzir testosterona, acarretando em infertilidade, colesterol elevado e maior agressividade”, indica Marcelo.

Já o corpo da mulher, além de ter aumento da massa muscular, adquire características masculinas, com pelos onde não existia (barba ou bigode), acne, queda de cabelo, engrossamento da voz, e até tendência a ter diabetes, colesterol alto e insuficiência cardíaca. Os anabolizantes podem ser encontrados nas formas de comprimidos, cápsulas ou injeções intramusculares.

Termogênico

Tayná já esteve hospitalizada por consumo de anabolizantes, de acordo com uma amiga da universitária – que preferiu não se identificar. Após sair do hospital, ela começou a tomar antidepressivos e logo passou a usar “Lipo 6 Black”, termogênico responsável por queimar gorduras e evitar a retenção de líquido. A jovem injetava substâncias na veia. “As pessoas têm a ideia de que, se for injetar na veia, a assimilação será mais rápida; mas isso é um perigo imenso. É uma substância estranha no seu organismo, injetada diretamente no seu sangue, sem que ele esteja preparado para tal. Pode ocasionar um infarto fulminante”, revela o endocrinologista.

Para ele, não existe substância com a solução milagrosa de queimar gordura e provocar o emagrecimento. “Essa lenda de produto que aumenta metabolismo é um perigo, porque aumentam os batimentos cardíacos e pode induzir a uma arritmia cardíaca. É como se você estivesse trocando uma doença [o excesso de peso] por outra [problema na velocidade ou ritmo do batimento cardíaco]”, revela.

Suplementos alimentares

Já os suplementos alimentares adicionam à alimentação normal nutrientes e geram um melhor rendimento em atividades físicas. Alguns têm alto valor biológico e nutricional. O uso de suplementos é feito, na maioria das vezes, por atletas e praticantes de atividades físicas, mas a recomendação é que eles não substituam uma alimentação e nem sirvam como dietas. Também deve-se ter cuidado com o uso exagerado desse tipo de substância.

“As pessoas têm que entender que tudo o que a gente precisa, a gente consegue produzir. Muita gente usa o Whey Protein [suplemento], por exemplo, mas nem é maratonista ou nem vai para uma competição. Atletas profissionais, sim, muitas vezes precisam de um suplemento. Mas para quem vai à academia e não tem um treino mais rigoroso, o efeito positivo será quase nenhum. Tanto faz como tanto fez”.

Apesar do perigo que alguns produtos ocasionam, a venda no Brasil pode ser feita por encomenda, até por telefone. Em loja de suplementos, o acesso também é fácil. “Qualquer um pode comprar. Eu indico que as pessoas que queiram usar suplementos passem por um endocrinologista ou por um nutricionista, que podem verificar se, só pela alimentação, você consegue ter uma boa suplementação alimentar, sem a necessidade de um produto específico”, conclui Marcelo.

TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA
TAYNÁ BARBOSA

O caso

A estudante de Direito Tayná Barbosa morreu em Fortaleza, após uso de medicamentos. As substâncias foram encontradas por familiares escondidas no quarto da cearense. Ela faleceu no dia 14 de março, e a família não tem dúvida de que a dependência em anabolizantes para aumento de massa muscular foi a responsável.

A jovem foi internada no Hospital Otoclínica, no Bairro Joaquim Távora, no dia 8 de março, já desmaiada, e sofreu duas paradas cardíacas enquanto recebia atendimento. A universitária ficou em coma durante uma semana, até o dia de sua morte.