Sistema Jangadeiro divulga finalistas da concurso cultural “Eu Quero ir pro CQC”


Sistema Jangadeiro divulga finalistas de concurso cultural “Eu Quero ir pro CQC”

Para chegar até os finalistas, a produção recebeu e veiculou denúncias de espectadores sobre o que está acontecendo no seu bairro

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

7 de novembro de 2014 às 10:40

Há 5 anos
O CQC (Custe o Que Custar) estreou na Band em 17 de março de 2008. Imediatamente o telespectador brasileiro percebeu que estava diante de algo novo

O CQC (Custe o Que Custar) estreou na Band em 17 de março de 2008. Imediatamente o telespectador brasileiro percebeu que estava diante de algo novo

O Sistema Jangadeiro, por meio do programa Gente na TV, anunciou os finalistas da concurso cultural “Eu Quero ir pro CQC”. Os felizardos são Ricardo Show, Renan Fernandes e Natália Fonteles. Na ocasião, eles tiveram os vídeos mais curtidos na página do Facebook do portal Tribuna do Ceará.

Para chegar até os finalistas, a produção recebeu e veiculou denúncias de espectadores sobre o que está acontecendo no seu bairro e refletiam em insatisfações dos moradores quanto aos problemas de localidades onde moram ou trabalham.

Os vídeos com as reportagens que foram ao ar estão postados no Facebook do Tribuna do Ceará. O autor do vídeo mais votado vai viajar, com tudo pago, para assistir a gravação do CQC, em São Paulo.

Para mais detalhes, confira o regulamento do concurso cultural.

CQC

O CQC (Custe o Que Custar) estreou na Band em 17 de março de 2008. Imediatamente o telespectador brasileiro percebeu que estava diante de algo novo. O formato da Eyeworks-Cuatro Cabezas que já fazia sucesso em outros países conquistou também os brasileiros pela irreverência, acidez e humor inteligente.

O programa exibido nas noites de segunda-feira faz um resumo semanal das notícias, e nessa varredura dos fatos importantes, sob o olhar atento do CQC, ninguém escapa. De microfone em punho e munidos de uma cara de pau acima da média os homens e a mulher de preto têm uma prioridade: perguntar o que ninguém teve coragem.

Publicidade

Dê sua opinião

Sistema Jangadeiro divulga finalistas de concurso cultural “Eu Quero ir pro CQC”

Para chegar até os finalistas, a produção recebeu e veiculou denúncias de espectadores sobre o que está acontecendo no seu bairro

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

7 de novembro de 2014 às 10:40

Há 5 anos
O CQC (Custe o Que Custar) estreou na Band em 17 de março de 2008. Imediatamente o telespectador brasileiro percebeu que estava diante de algo novo

O CQC (Custe o Que Custar) estreou na Band em 17 de março de 2008. Imediatamente o telespectador brasileiro percebeu que estava diante de algo novo

O Sistema Jangadeiro, por meio do programa Gente na TV, anunciou os finalistas da concurso cultural “Eu Quero ir pro CQC”. Os felizardos são Ricardo Show, Renan Fernandes e Natália Fonteles. Na ocasião, eles tiveram os vídeos mais curtidos na página do Facebook do portal Tribuna do Ceará.

Para chegar até os finalistas, a produção recebeu e veiculou denúncias de espectadores sobre o que está acontecendo no seu bairro e refletiam em insatisfações dos moradores quanto aos problemas de localidades onde moram ou trabalham.

Os vídeos com as reportagens que foram ao ar estão postados no Facebook do Tribuna do Ceará. O autor do vídeo mais votado vai viajar, com tudo pago, para assistir a gravação do CQC, em São Paulo.

Para mais detalhes, confira o regulamento do concurso cultural.

CQC

O CQC (Custe o Que Custar) estreou na Band em 17 de março de 2008. Imediatamente o telespectador brasileiro percebeu que estava diante de algo novo. O formato da Eyeworks-Cuatro Cabezas que já fazia sucesso em outros países conquistou também os brasileiros pela irreverência, acidez e humor inteligente.

O programa exibido nas noites de segunda-feira faz um resumo semanal das notícias, e nessa varredura dos fatos importantes, sob o olhar atento do CQC, ninguém escapa. De microfone em punho e munidos de uma cara de pau acima da média os homens e a mulher de preto têm uma prioridade: perguntar o que ninguém teve coragem.