Cearenses vão competir na Hungria pela Seleção Brasileira de Astronomia

OLIMPÍADA

Estudantes cearenses vão competir na Hungria e no México pela Seleção Brasileira de Astronomia

A seleção começou em 2018, com a realização da 21ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que reuniu 776.599 estudantes

Por Tribuna do Ceará em Educação

9 de junho de 2019 às 12:04

Há 3 semanas
São quatro cearenses representando o estado na Olimpíada (FOTO: Divulgação)

São quatro cearenses representando o estado na Olimpíada (FOTO: Divulgação)

Dez estudantes terão a oportunidade de representar o Brasil em olimpíadas de astronomia no exterior. As competições em questão são as Olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, sigla em inglês) e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), que ocorrerão, respectivamente, na Hungria e no México.

São dez estudantes divididos em duas equipes (uma compete a IOAA e a outra a OLAA), dos quais cinco são de São Paulo, quatro do Ceará e um de Minas Gerais.

O time Brasil na 11ª OLAA conta com Bismarck Moreira Ramos (18 anos, Fortaleza, CE), Caio Nascimento Balreira (18 anos, Fortaleza, CE), Fabrizio Melges Ferro (15 anos, São Paulo, SP), Gabriel Oliveira Mota (17 anos, Montes Claros, MG) e Sarah Leitão Melo (17 anos, Fortaleza, CE).

Para chegar a esse grande feito, os jovens passaram por um longo processo de seleção. Tudo começou em 2018, com a realização da 21ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que reuniu 776.599 estudantes (387.414 meninas e 389.185 meninos) de 8.456 escolas de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal, além da colaboração de cerca de 54 mil professores.

Após a OBA, veio a primeira fase, que foi online: 2.648 estudantes do Ensino Médio e do 9° ano do Ensino Fundamental de escolas públicas e particulares de todo o país participaram de três provas na plataforma AstroEducadores, desenvolvida pelo Observatório Nacional em parceria com o Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST). Dessa etapa, 116 classificaram-se para uma seletiva presencial realizada em março de 2019, na cidade de Barra do Piraí, interior do Rio de Janeiro.

Os jovens agora participarão de uma última preparação com astrônomos e especialistas entre os dias 7 e 12 de julho, no município de Vinhedo (SP). Os encontros serão divididos em grupos de estudos, oficinas de atividades e observação do céu noturno com instrumentos e de forma panorâmica, a olho nu e com planetário digital.

Publicidade

Dê sua opinião

OLIMPÍADA

Estudantes cearenses vão competir na Hungria e no México pela Seleção Brasileira de Astronomia

A seleção começou em 2018, com a realização da 21ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que reuniu 776.599 estudantes

Por Tribuna do Ceará em Educação

9 de junho de 2019 às 12:04

Há 3 semanas
São quatro cearenses representando o estado na Olimpíada (FOTO: Divulgação)

São quatro cearenses representando o estado na Olimpíada (FOTO: Divulgação)

Dez estudantes terão a oportunidade de representar o Brasil em olimpíadas de astronomia no exterior. As competições em questão são as Olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, sigla em inglês) e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), que ocorrerão, respectivamente, na Hungria e no México.

São dez estudantes divididos em duas equipes (uma compete a IOAA e a outra a OLAA), dos quais cinco são de São Paulo, quatro do Ceará e um de Minas Gerais.

O time Brasil na 11ª OLAA conta com Bismarck Moreira Ramos (18 anos, Fortaleza, CE), Caio Nascimento Balreira (18 anos, Fortaleza, CE), Fabrizio Melges Ferro (15 anos, São Paulo, SP), Gabriel Oliveira Mota (17 anos, Montes Claros, MG) e Sarah Leitão Melo (17 anos, Fortaleza, CE).

Para chegar a esse grande feito, os jovens passaram por um longo processo de seleção. Tudo começou em 2018, com a realização da 21ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que reuniu 776.599 estudantes (387.414 meninas e 389.185 meninos) de 8.456 escolas de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal, além da colaboração de cerca de 54 mil professores.

Após a OBA, veio a primeira fase, que foi online: 2.648 estudantes do Ensino Médio e do 9° ano do Ensino Fundamental de escolas públicas e particulares de todo o país participaram de três provas na plataforma AstroEducadores, desenvolvida pelo Observatório Nacional em parceria com o Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST). Dessa etapa, 116 classificaram-se para uma seletiva presencial realizada em março de 2019, na cidade de Barra do Piraí, interior do Rio de Janeiro.

Os jovens agora participarão de uma última preparação com astrônomos e especialistas entre os dias 7 e 12 de julho, no município de Vinhedo (SP). Os encontros serão divididos em grupos de estudos, oficinas de atividades e observação do céu noturno com instrumentos e de forma panorâmica, a olho nu e com planetário digital.