Estudantes do Cedro representam o Brasil em mundial de robótica na Coreia do Sul


Estudantes do Cedro representam o Brasil em mundial de robótica na Coreia do Sul

Os cearenses disputarão com equipes dos Estados Unidos, Japão, Índia, China e representantes do circuito europeu

Por Rosana Romão em Educação

29 de agosto de 2014 às 14:00

Há 5 anos

“Estudar em sala de aula é uma coisa. Colocar a mão na massa é totalmente diferente, e nos dá muito orgulho”, é assim que o estudante Francisco Enilton Nogueira, de 23 anos, descreve a experiência em participar de sua 1ª competição mundial. No próximo sábado (30), ele irá representar o Brasil na Worldwide Freescale Cup Challenge, evento de robótica que será realizado em Seul, na Coreia do Sul.

Estudantes estão motivados e pretendem conquistar um dos três primeiros lugares da competição. (FOTO: Divulgação)

Estudantes estão motivados e pretendem conquistar um dos três primeiros lugares da competição. (FOTO: Divulgação)

Juntamente com seus colegas Maloncio Moreira, de 21 anos e Paulo Hélder Rodrigues, de 20, eles apresentarão o projeto de um veículo autoguiado utilizando sensores. A proposta é a mesma para todos os participantes, um grupo seleto de países, tais como Estados Unidos, Japão, Índia, China e os representantes do circuito europeu. A equipe vencedora será a que conseguir passar por todos os obstáculos da pista montada especialmente para a competição em menos tempo.

Segundo o professor orientador do projeto, Pedro Henrique Almeida Miranda, o experimento consiste em uma câmera acoplada na haste de um carro. Através do sensor dessa câmera, a linha branca da pista é detectada e, a partir disso, a equipe programa o carro para correr, tornando ele autoguiado. Depois da classificação, outros alunos se interessaram pelo projeto. “Não é apenas pela competição, é pela aplicação do conhecimento. Esse retorno que os alunos nos dão conta muito na profissão de quem trabalha com educação”, comemora.

A credencial para a competição mundial de robótica foi obtida após a classificação em primeiro lugar na seletiva nacional ocorrida em São Paulo. Nove estudantes trabalharam no projeto: Francisco Weverton, Prozzynesk Carneiro, Virley Macedo, José Ailton, Paulivan Carmo, Victor Araújo, Maloncio Moreira Lima, Hélder Gonçalves Rodrigues e  Francisco Enilton Alves Nogueira. Mas apenas os três últimos e o professor representarão a equipe na disputa. O grupo faz parte do 6º semestre do curso de Mecatrônica Industrial do Instituto Federal do Ceará (IFCE), no Campus Cedro.

A equipe conseguiu passagens e hospedagem através da patrocinadora do evento, enquanto a ajuda de custo foi doada pelo IFCE. Segundo os estudantes, todo o investimento terá retorno no pódio. “Nós estamos trabalhando nesse projeto desde outubro, sempre muito motivados. Depois da disputa nacional, nós trabalhamos ainda mais na programação e estamos confiantes de ficar em um dos três primeiros lugares”, garante o estudante Francisco Enilton Nogueira.

Publicidade

Dê sua opinião

Estudantes do Cedro representam o Brasil em mundial de robótica na Coreia do Sul

Os cearenses disputarão com equipes dos Estados Unidos, Japão, Índia, China e representantes do circuito europeu

Por Rosana Romão em Educação

29 de agosto de 2014 às 14:00

Há 5 anos

“Estudar em sala de aula é uma coisa. Colocar a mão na massa é totalmente diferente, e nos dá muito orgulho”, é assim que o estudante Francisco Enilton Nogueira, de 23 anos, descreve a experiência em participar de sua 1ª competição mundial. No próximo sábado (30), ele irá representar o Brasil na Worldwide Freescale Cup Challenge, evento de robótica que será realizado em Seul, na Coreia do Sul.

Estudantes estão motivados e pretendem conquistar um dos três primeiros lugares da competição. (FOTO: Divulgação)

Estudantes estão motivados e pretendem conquistar um dos três primeiros lugares da competição. (FOTO: Divulgação)

Juntamente com seus colegas Maloncio Moreira, de 21 anos e Paulo Hélder Rodrigues, de 20, eles apresentarão o projeto de um veículo autoguiado utilizando sensores. A proposta é a mesma para todos os participantes, um grupo seleto de países, tais como Estados Unidos, Japão, Índia, China e os representantes do circuito europeu. A equipe vencedora será a que conseguir passar por todos os obstáculos da pista montada especialmente para a competição em menos tempo.

Segundo o professor orientador do projeto, Pedro Henrique Almeida Miranda, o experimento consiste em uma câmera acoplada na haste de um carro. Através do sensor dessa câmera, a linha branca da pista é detectada e, a partir disso, a equipe programa o carro para correr, tornando ele autoguiado. Depois da classificação, outros alunos se interessaram pelo projeto. “Não é apenas pela competição, é pela aplicação do conhecimento. Esse retorno que os alunos nos dão conta muito na profissão de quem trabalha com educação”, comemora.

A credencial para a competição mundial de robótica foi obtida após a classificação em primeiro lugar na seletiva nacional ocorrida em São Paulo. Nove estudantes trabalharam no projeto: Francisco Weverton, Prozzynesk Carneiro, Virley Macedo, José Ailton, Paulivan Carmo, Victor Araújo, Maloncio Moreira Lima, Hélder Gonçalves Rodrigues e  Francisco Enilton Alves Nogueira. Mas apenas os três últimos e o professor representarão a equipe na disputa. O grupo faz parte do 6º semestre do curso de Mecatrônica Industrial do Instituto Federal do Ceará (IFCE), no Campus Cedro.

A equipe conseguiu passagens e hospedagem através da patrocinadora do evento, enquanto a ajuda de custo foi doada pelo IFCE. Segundo os estudantes, todo o investimento terá retorno no pódio. “Nós estamos trabalhando nesse projeto desde outubro, sempre muito motivados. Depois da disputa nacional, nós trabalhamos ainda mais na programação e estamos confiantes de ficar em um dos três primeiros lugares”, garante o estudante Francisco Enilton Nogueira.