UFC avança em ranking de pesquisa e fica em 45º entre 501 universidades ibero-americanas


UFC avança em ranking de pesquisa e fica em 45º entre 501 universidades ibero-americanas

A produção científica dos pesquisadores da UFC aumentou substantiva e qualitativamente de 2013 para 2014

Por Felipe Lima em Educação

19 de maio de 2014 às 09:33

Há 5 anos

Pelo 4º ano consecutivo, a UFC melhorou seu posicionamento no Scimago Institutions Ranking (SIR) tanto entre as universidades brasileiras como entre as latino e ibero-americanas. O SIR é um dos mais prestigiados rankings universitários do mundo. Ele avalia principalmente a produção científica, bem como a qualidade dessa produção e sua publicação em revistas especializadas de alto nível.

Pelos critérios do SIR, a UFC avançou quatro posições e agora é a 45ª entre as 501 universidades ibero-americanas. Da mesma forma, passou a ocupar a 22ª posição das 412 instituições analisadas na América Latina. Quando se considera apenas a produção brasileira, a UFC passou da 15ª para a 14ª posição, entre 113 analisadas, e está à frente da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e da Federal Fluminense (UFF). Até o momento, o SIR não divulgou seu ranking mundial.

“A produção científica dos pesquisadores da UFC aumentou substantiva e qualitativamente de 2013 para 2014, conforme revelam os resultados dos componentes do SIR, o que deve ser motivo de muito orgulho para a comunidade acadêmica da Instituição”, avalia o Prof. Wagner Andriola, coordenador de Avaliação Institucional da UFC.

Crescimento considerável

Os rankings universitários têm ganhado espaço desde 2003, atuando como indicadores da excelência intelectual (FOTO: UFC Informa/Flickr Creative Commons)

Os rankings universitários têm ganhado espaço desde 2003, atuando como indicadores da excelência intelectual (FOTO: Rafael Cavalcante/UFC)

Entre os critérios citados por Andriola estão o de produção científica e o da publicação dessas pesquisas nas revistas especializadas de maior prestígio em cada área, o que a Scimago chama de SJR-10. Em ambos os itens, a UFC teve um crescimento considerável: aumento de 12% na produção científica e de 4,3% no SJR-10.

Um item que vai na contramão desse crescimento foi o de colaboração internacional. Pelo SIR, houve redução de 3,6% nos artigos feitos em parceira com instituições de outros países.

Rankings

Os rankings universitários têm ganhado espaço desde 2003, atuando como indicadores da excelência intelectual e servindo de referência para professores e estudantes de todo o mundo. Além do SIR, merecem destaque indicadores como o britânico Times Higher Education (THE), os rankings elaborados pela Quacquarelly-Symonds (QS) e o Top Universities. No Brasil, o jornal Folha de S. Paulo criou o Ranking Universitário da Folha (RUF).

Cada ranking tem uma característica específica. No caso do SIR, os critérios centram-se na produção científica, levando em conta a publicação geral e a nas revistas mais renomadas de cada área do conhecimento. Veja a íntegra do ranking.

Publicidade

Dê sua opinião

UFC avança em ranking de pesquisa e fica em 45º entre 501 universidades ibero-americanas

A produção científica dos pesquisadores da UFC aumentou substantiva e qualitativamente de 2013 para 2014

Por Felipe Lima em Educação

19 de maio de 2014 às 09:33

Há 5 anos

Pelo 4º ano consecutivo, a UFC melhorou seu posicionamento no Scimago Institutions Ranking (SIR) tanto entre as universidades brasileiras como entre as latino e ibero-americanas. O SIR é um dos mais prestigiados rankings universitários do mundo. Ele avalia principalmente a produção científica, bem como a qualidade dessa produção e sua publicação em revistas especializadas de alto nível.

Pelos critérios do SIR, a UFC avançou quatro posições e agora é a 45ª entre as 501 universidades ibero-americanas. Da mesma forma, passou a ocupar a 22ª posição das 412 instituições analisadas na América Latina. Quando se considera apenas a produção brasileira, a UFC passou da 15ª para a 14ª posição, entre 113 analisadas, e está à frente da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e da Federal Fluminense (UFF). Até o momento, o SIR não divulgou seu ranking mundial.

“A produção científica dos pesquisadores da UFC aumentou substantiva e qualitativamente de 2013 para 2014, conforme revelam os resultados dos componentes do SIR, o que deve ser motivo de muito orgulho para a comunidade acadêmica da Instituição”, avalia o Prof. Wagner Andriola, coordenador de Avaliação Institucional da UFC.

Crescimento considerável

Os rankings universitários têm ganhado espaço desde 2003, atuando como indicadores da excelência intelectual (FOTO: UFC Informa/Flickr Creative Commons)

Os rankings universitários têm ganhado espaço desde 2003, atuando como indicadores da excelência intelectual (FOTO: Rafael Cavalcante/UFC)

Entre os critérios citados por Andriola estão o de produção científica e o da publicação dessas pesquisas nas revistas especializadas de maior prestígio em cada área, o que a Scimago chama de SJR-10. Em ambos os itens, a UFC teve um crescimento considerável: aumento de 12% na produção científica e de 4,3% no SJR-10.

Um item que vai na contramão desse crescimento foi o de colaboração internacional. Pelo SIR, houve redução de 3,6% nos artigos feitos em parceira com instituições de outros países.

Rankings

Os rankings universitários têm ganhado espaço desde 2003, atuando como indicadores da excelência intelectual e servindo de referência para professores e estudantes de todo o mundo. Além do SIR, merecem destaque indicadores como o britânico Times Higher Education (THE), os rankings elaborados pela Quacquarelly-Symonds (QS) e o Top Universities. No Brasil, o jornal Folha de S. Paulo criou o Ranking Universitário da Folha (RUF).

Cada ranking tem uma característica específica. No caso do SIR, os critérios centram-se na produção científica, levando em conta a publicação geral e a nas revistas mais renomadas de cada área do conhecimento. Veja a íntegra do ranking.