Camilo confirma transferência de votos para Haddad: diferença entre eles foi de só 50 mil eleitores

REDUTO DO PT

Camilo confirma transferência de votos para Haddad: diferença entre eles foi de só 50 mil eleitores

No Ceará, Fernando Haddad cresceu 110% no 2° turno, passando de 1,6 milhão de votos para 3,4 milhões, o mesmo que conseguiu Camilo Santana no 1º turno

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

29 de outubro de 2018 às 13:56

Há 9 meses
Fernando Haddad e Camilo Santana em comício no Crato, terra natal do governador. (Foto: Divulgação)

Fernando Haddad e Camilo Santana em comício no Crato, terra natal do governador. (Foto: Divulgação)

Reduto histórico de vitórias do PT, o Ceará foi terceiro estado no Brasil onde o candidato derrotado Fernando Haddad (PT) mais cresceu entre o 1° e o 2° turno. A transferência de votos do governador Camilo Santana (PT) resultou numa diferença entre os correligionários de somente 50.030 votos.

Não é possível afirmar a migração exata de votos, mas chama atenção a proximidade dos votos totais conquistados por Camilo e Haddad. O petista cresceu 110,80%, passando de 1.616.492 votos para 3.407.526. Camilo foi eleito no 1° turno com 3.457.556 votos.

Na última semana de campanha, quando Haddad veio ao Ceará, ele e Camilo fizeram atos de campanha em Fortaleza e em cidades do Cariri. Durante caminhada na Capital, Haddad chegou a perguntar qual a porcentagem de votos de Camilo.

O governador respondeu que teve cerca de 3,5 milhões de voto, em média 80% dos votos válidos. “O que faltou para chegar nos 100%?”, interpelou o então candidato. “Mais trabalho”, disse Camilo. “Quero encostar em você no 2° turno pra ver se eu chego em uns 75%”, pontuou Haddad.

Com mais votos brancos e nulos e com maior ausência de eleitores, a porcentagem de votos totais foi menor no 2° turno. Enquanto Camilo obteve 79% dos votos, o total de Haddad ficou em 71%, apesar da pouca diferença.

Crescimento

No 1° turno, Bolsonaro teve 1.061.075 e cresceu para 1.384.591 na segunda votação, uma elevação de 30.4%. Ciro Gomes obteve 1.998.597 votos e venceu em 92 municípios. Haddad venceu nos outros 92.

Pelo crescimento dos candidatos à presidente da República que foram para o 2° turno, o melhor desempenho de Haddad indica que houve migração em massa dos votos de Ciro.

Mesmo sem apoio do adversário cearense no 1° turno, Haddad venceu em todos os municípios do Ceará. Em Sobral, berço político de Ciro, Haddad ultrapassou o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que havia ficado à frente do petista na cidade, na primeira votação.

No Nordeste, Ceará, Piauí e Sergipe foram os únicos estados que deram 100% de liderança a Haddad. No Piauí, o petista teve preferência do eleitorado acima de 60% em todo o Estado. Ceará e Sergipe tiveram três cidades com porcentagem entre 50% e 59%.

Publicidade

Dê sua opinião

REDUTO DO PT

Camilo confirma transferência de votos para Haddad: diferença entre eles foi de só 50 mil eleitores

No Ceará, Fernando Haddad cresceu 110% no 2° turno, passando de 1,6 milhão de votos para 3,4 milhões, o mesmo que conseguiu Camilo Santana no 1º turno

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

29 de outubro de 2018 às 13:56

Há 9 meses
Fernando Haddad e Camilo Santana em comício no Crato, terra natal do governador. (Foto: Divulgação)

Fernando Haddad e Camilo Santana em comício no Crato, terra natal do governador. (Foto: Divulgação)

Reduto histórico de vitórias do PT, o Ceará foi terceiro estado no Brasil onde o candidato derrotado Fernando Haddad (PT) mais cresceu entre o 1° e o 2° turno. A transferência de votos do governador Camilo Santana (PT) resultou numa diferença entre os correligionários de somente 50.030 votos.

Não é possível afirmar a migração exata de votos, mas chama atenção a proximidade dos votos totais conquistados por Camilo e Haddad. O petista cresceu 110,80%, passando de 1.616.492 votos para 3.407.526. Camilo foi eleito no 1° turno com 3.457.556 votos.

Na última semana de campanha, quando Haddad veio ao Ceará, ele e Camilo fizeram atos de campanha em Fortaleza e em cidades do Cariri. Durante caminhada na Capital, Haddad chegou a perguntar qual a porcentagem de votos de Camilo.

O governador respondeu que teve cerca de 3,5 milhões de voto, em média 80% dos votos válidos. “O que faltou para chegar nos 100%?”, interpelou o então candidato. “Mais trabalho”, disse Camilo. “Quero encostar em você no 2° turno pra ver se eu chego em uns 75%”, pontuou Haddad.

Com mais votos brancos e nulos e com maior ausência de eleitores, a porcentagem de votos totais foi menor no 2° turno. Enquanto Camilo obteve 79% dos votos, o total de Haddad ficou em 71%, apesar da pouca diferença.

Crescimento

No 1° turno, Bolsonaro teve 1.061.075 e cresceu para 1.384.591 na segunda votação, uma elevação de 30.4%. Ciro Gomes obteve 1.998.597 votos e venceu em 92 municípios. Haddad venceu nos outros 92.

Pelo crescimento dos candidatos à presidente da República que foram para o 2° turno, o melhor desempenho de Haddad indica que houve migração em massa dos votos de Ciro.

Mesmo sem apoio do adversário cearense no 1° turno, Haddad venceu em todos os municípios do Ceará. Em Sobral, berço político de Ciro, Haddad ultrapassou o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que havia ficado à frente do petista na cidade, na primeira votação.

No Nordeste, Ceará, Piauí e Sergipe foram os únicos estados que deram 100% de liderança a Haddad. No Piauí, o petista teve preferência do eleitorado acima de 60% em todo o Estado. Ceará e Sergipe tiveram três cidades com porcentagem entre 50% e 59%.