Ciro e Haddad protagonizam embate sobre aliança com Eunício Oliveira no Ceará

DEBATE NA RECORD

Ciro e Haddad protagonizam embate sobre aliança com Eunício Oliveira no Ceará

O candidato do PT disse que veio ao Ceará fazer visita ao presidente do Senado e tomar um café; Ciro riu

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

1 de outubro de 2018 às 19:40

Há 10 meses
Haddad e Ciro discutiram sobre relação com Eunício Oliveira. (Foto: Reprodução)

Haddad e Ciro discutiram sobre relação com Eunício Oliveira. (Foto: Reprodução)

A relação com o presidente do Senado e candidato à reeleição, Eunício Oliveira (MDB), foi tema de embate entre os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Fernando Haddad (PT) no debate entre candidatos promovidos pela TV Recordo no domingo (30). O pedetista acusou Haddad de se acertar “despudoradamente” com Eunício. O ex-prefeito paulistano negou: “Fiz uma visita ao presidente do Congresso, não fiz acordo”. Ciro riu.

O nome de Eunício entrou em discussão quando Guilherme Boulos (Psol) questionou Haddad sobre alianças com emedebistas no estados. “É inexplicável ver você nessa campanha de mãos dadas com Renan Calheiros (MDB), com Eunício Oliveira (MDB). Você acha mesmo que esse é o único jeito de governar o Brasil?”, disse Boulos.

Haddad minimizou que sua coligação é formada por PCdoB e Pros. Disse ainda que apoia Renan Filho (MDB) em Alagoas porque ele lidera as pesquisas. Já Eunício, no Ceará, apoia Camilo Santana (PT), aliado de Ciro.

“Vetei acordo do meu partido e portanto da minha participação na aliança dele. Eu não aceito o apoio dele porque ele é corrupto. Você foi pra lá e acertou-se com ele despudoradamente, não foi porque tem aliança com o PT”, atacou Ciro. No Ceará, PT e MDB não têm aliança formal.

“Eu fiz uma visita ao presidente do Congresso Nacional, não fiz nenhum acordo com ele, tomei um café. Se um tiver alguma coisa, eu digo publicamente, você sabe que não me escondo de nada”, respondeu Haddad.

Haddad posou ao lado de Eunício durante visita ao Ceará, ainda como candidato a vice de Lula. (Foto: Divulgação)

Haddad posou ao lado de Eunício durante visita ao Ceará, ainda como candidato a vice de Lula. (Foto: Divulgação)

Revista Istoé

No último final de semana, a revista Istoé denunciou suposto esquema de manipulação, articulado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para enfraquecer a candidatura de Ciro no Nordeste.

De acordo com Istoé, o esquema seria operado através de bilhetes que chegam às mãos de assessores de confiança, dentre eles o deputado federal José Guimarães (PT-CE). Conforme a revista, além de promessas de cargos no futuro governo do PT, Lula articula vantagens financeiras destinadas a irrigar as campanhas de quem entra na estratégia. Um dos focos seria ampliar a vantagem de Haddad no Norte-Nordeste do País.

Nesse processo, velhos parceiros que até então marchavam ao lado de Henrique Mereilles (MDB) ou de Ciro Gomes (PDT) foram procurados. Seriam ele Renan Calheiros (MDB-AL), Eunício Oliveira (MDB-CE), Fernando Collor (PTC-AL) e o ex-senador José Sarney (MDB-MA).

Publicidade

Dê sua opinião

DEBATE NA RECORD

Ciro e Haddad protagonizam embate sobre aliança com Eunício Oliveira no Ceará

O candidato do PT disse que veio ao Ceará fazer visita ao presidente do Senado e tomar um café; Ciro riu

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

1 de outubro de 2018 às 19:40

Há 10 meses
Haddad e Ciro discutiram sobre relação com Eunício Oliveira. (Foto: Reprodução)

Haddad e Ciro discutiram sobre relação com Eunício Oliveira. (Foto: Reprodução)

A relação com o presidente do Senado e candidato à reeleição, Eunício Oliveira (MDB), foi tema de embate entre os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Fernando Haddad (PT) no debate entre candidatos promovidos pela TV Recordo no domingo (30). O pedetista acusou Haddad de se acertar “despudoradamente” com Eunício. O ex-prefeito paulistano negou: “Fiz uma visita ao presidente do Congresso, não fiz acordo”. Ciro riu.

O nome de Eunício entrou em discussão quando Guilherme Boulos (Psol) questionou Haddad sobre alianças com emedebistas no estados. “É inexplicável ver você nessa campanha de mãos dadas com Renan Calheiros (MDB), com Eunício Oliveira (MDB). Você acha mesmo que esse é o único jeito de governar o Brasil?”, disse Boulos.

Haddad minimizou que sua coligação é formada por PCdoB e Pros. Disse ainda que apoia Renan Filho (MDB) em Alagoas porque ele lidera as pesquisas. Já Eunício, no Ceará, apoia Camilo Santana (PT), aliado de Ciro.

“Vetei acordo do meu partido e portanto da minha participação na aliança dele. Eu não aceito o apoio dele porque ele é corrupto. Você foi pra lá e acertou-se com ele despudoradamente, não foi porque tem aliança com o PT”, atacou Ciro. No Ceará, PT e MDB não têm aliança formal.

“Eu fiz uma visita ao presidente do Congresso Nacional, não fiz nenhum acordo com ele, tomei um café. Se um tiver alguma coisa, eu digo publicamente, você sabe que não me escondo de nada”, respondeu Haddad.

Haddad posou ao lado de Eunício durante visita ao Ceará, ainda como candidato a vice de Lula. (Foto: Divulgação)

Haddad posou ao lado de Eunício durante visita ao Ceará, ainda como candidato a vice de Lula. (Foto: Divulgação)

Revista Istoé

No último final de semana, a revista Istoé denunciou suposto esquema de manipulação, articulado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para enfraquecer a candidatura de Ciro no Nordeste.

De acordo com Istoé, o esquema seria operado através de bilhetes que chegam às mãos de assessores de confiança, dentre eles o deputado federal José Guimarães (PT-CE). Conforme a revista, além de promessas de cargos no futuro governo do PT, Lula articula vantagens financeiras destinadas a irrigar as campanhas de quem entra na estratégia. Um dos focos seria ampliar a vantagem de Haddad no Norte-Nordeste do País.

Nesse processo, velhos parceiros que até então marchavam ao lado de Henrique Mereilles (MDB) ou de Ciro Gomes (PDT) foram procurados. Seriam ele Renan Calheiros (MDB-AL), Eunício Oliveira (MDB-CE), Fernando Collor (PTC-AL) e o ex-senador José Sarney (MDB-MA).