Michelle Bolsonaro, a futura primeira-dama, é filha de um cearense de Crateús

RAÍZES NO CEARÁ

Michelle Bolsonaro, a futura primeira-dama, é filha de um cearense de Crateús

Nascida em Ceilândia (DF), Michelle Bolsonaro é filha de um cearense que deixou a cidade de Crateús na década de 1970

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

29 de outubro de 2018 às 15:37

Há 8 meses
Jair Bolsonaro ao lado de Michelle Bolsonaro

Michelle Bolsonaro, de 36 anos, é a futura primeira-dama do País (Foto: Tania Rêgo/Agência Brasil)

A próxima primeira-dama do País tem raízes no Ceará. Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, de 36 anos, nasceu em Ceilândia (DF), mas tem familiares cearenses. Vicente de Paulo Reinaldo, pai de Michelle, nasceu em Crateús e saiu do Estado ainda na década 1970, para morar em Brasília, cidade onde a atual esposa do próximo presidente do País nasceu.

Conhecida pelo seu jeito simples e discreto, Michelle ganhará o posto de primeira-dama em 2019 após marido, Jair Bolsonaro (PSL), ter sido eleito com 55% dos votos neste domingo (28).

Apesar de ter nascido em Ceilândia, Michelle Bolsonaro tem tios-avôs e tias-avós no Ceará. O pai da futura primeira-dama, Vicente de Paulo, deixou a cidade de Crateús acompanhado de três irmãos. Na nova cidade, conheceu a mãe de Michelle.

A última vez que a filha do migrante cearense viajou a Fortaleza foi em 2016. A expectativa era de retorno neste ano durante campanha eleitoral, mas devido ao atentado sofrido, a ida ao Ceará precisou ser adiada. Já o pai esteve no Estado no ano passado. Vicente de Paulo visitou o pai (avô de Michelle), que estava doente.

Futura primeira-dama

Michelle de Paula, de 36 anos, conheceu Jair Bolsonaro, de 63 anos, ainda quando trabalhava no administrativo na Câmara. Em 2016, a filha de cearense era secretária na sala da liderança do Partido Progressista (PP).

Logo depois, foi convidada para trabalhar em seu gabinete e, após dois meses, casaram-se no civil, um dos requisitos impostos por ela para tornar o relacionamento sério. Devido à união, Michelle precisou deixar o cargo em 2008 para evitar o nepotismo no serviço público.

Jair Bolsonaro se aproximou da igreja evangélica ao conhecer a atual esposa e converteu-se à religião. O militar foi batizado no Rio Jordão, em Israel, pelo pastor Everaldo Dias, da Assembleia de Deus, que também é presidente do Partido Social Cristão (PSC).

Bolsonaro também reverteu a vasectomia para atender um desejo de Michelle: a de ser mãe novamente. Em 2010, nasceu Laura, a única filha mulher do próximo presidente do País.

Durante toda a campanha eleitoral, Michelle se manteve discreta. Apareceu na propaganda de TV, na última quinta (25), em que minimizou a imagem do marido em meio às declarações polêmicas. Michelle o descreveu como “um cara humano e preocupado com as pessoas”.

A futura primeira-dama é fluente na Língua Brasileira de Sinais e incentivou Bolsonaro a assinar um termo de compromisso para melhorar a qualidade de vida dos deficientes.

Publicidade

Dê sua opinião

RAÍZES NO CEARÁ

Michelle Bolsonaro, a futura primeira-dama, é filha de um cearense de Crateús

Nascida em Ceilândia (DF), Michelle Bolsonaro é filha de um cearense que deixou a cidade de Crateús na década de 1970

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

29 de outubro de 2018 às 15:37

Há 8 meses
Jair Bolsonaro ao lado de Michelle Bolsonaro

Michelle Bolsonaro, de 36 anos, é a futura primeira-dama do País (Foto: Tania Rêgo/Agência Brasil)

A próxima primeira-dama do País tem raízes no Ceará. Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, de 36 anos, nasceu em Ceilândia (DF), mas tem familiares cearenses. Vicente de Paulo Reinaldo, pai de Michelle, nasceu em Crateús e saiu do Estado ainda na década 1970, para morar em Brasília, cidade onde a atual esposa do próximo presidente do País nasceu.

Conhecida pelo seu jeito simples e discreto, Michelle ganhará o posto de primeira-dama em 2019 após marido, Jair Bolsonaro (PSL), ter sido eleito com 55% dos votos neste domingo (28).

Apesar de ter nascido em Ceilândia, Michelle Bolsonaro tem tios-avôs e tias-avós no Ceará. O pai da futura primeira-dama, Vicente de Paulo, deixou a cidade de Crateús acompanhado de três irmãos. Na nova cidade, conheceu a mãe de Michelle.

A última vez que a filha do migrante cearense viajou a Fortaleza foi em 2016. A expectativa era de retorno neste ano durante campanha eleitoral, mas devido ao atentado sofrido, a ida ao Ceará precisou ser adiada. Já o pai esteve no Estado no ano passado. Vicente de Paulo visitou o pai (avô de Michelle), que estava doente.

Futura primeira-dama

Michelle de Paula, de 36 anos, conheceu Jair Bolsonaro, de 63 anos, ainda quando trabalhava no administrativo na Câmara. Em 2016, a filha de cearense era secretária na sala da liderança do Partido Progressista (PP).

Logo depois, foi convidada para trabalhar em seu gabinete e, após dois meses, casaram-se no civil, um dos requisitos impostos por ela para tornar o relacionamento sério. Devido à união, Michelle precisou deixar o cargo em 2008 para evitar o nepotismo no serviço público.

Jair Bolsonaro se aproximou da igreja evangélica ao conhecer a atual esposa e converteu-se à religião. O militar foi batizado no Rio Jordão, em Israel, pelo pastor Everaldo Dias, da Assembleia de Deus, que também é presidente do Partido Social Cristão (PSC).

Bolsonaro também reverteu a vasectomia para atender um desejo de Michelle: a de ser mãe novamente. Em 2010, nasceu Laura, a única filha mulher do próximo presidente do País.

Durante toda a campanha eleitoral, Michelle se manteve discreta. Apareceu na propaganda de TV, na última quinta (25), em que minimizou a imagem do marido em meio às declarações polêmicas. Michelle o descreveu como “um cara humano e preocupado com as pessoas”.

A futura primeira-dama é fluente na Língua Brasileira de Sinais e incentivou Bolsonaro a assinar um termo de compromisso para melhorar a qualidade de vida dos deficientes.