Os poços do Dnocs e o fundo do poço eleitoral

OPINIÃO

Os poços do Dnocs e o fundo do poço eleitoral

As denúncias de crime eleitoral e corrupção no Dnocs se juntam a outras que atingem alguns dos favoritos nas eleições do Ceará. E fica tudo por isso mesmo

Por Wanderley Filho em Eleições 2018

28 de setembro de 2018 às 11:31

Há 10 meses
Eunício Oliveira é alvo de novas suspeitas envolvendo o Dnocs. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Eunício Oliveira é alvo de novas suspeitas envolvendo o Dnocs. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

TRE proibiu o Dnocs de perfurar poços profundo por suspeita de uso eleitoral para beneficiar o senador e candidato à reeleição Eunício Oliveira, do MDB. De acordo com o Ministério Público Federal, prepostos indicados por Eunício priorizavam as bases eleitorais do senador, ignorando deliberadamente critérios técnicos em detrimento de outras cidades.

As denúncias não param por aí, não. Na mesma semana o jornal O Globo e o Jornal Nacional revelaram que o ex-superintendente da empreiteira Galvão Engenharia Jorge Henrique Marques Valença, em delação premiada, acusa o mesmo Eunício de ter recebido propina em obras do mesmo Dnocs. O senador nega e diz que processará o acusador.

Nada poderia ser mais emblemático. O uso da máquina para a promoção pessoal de candidatos é prática antiga, mas a ser confirmar o uso de um equipamento como Dnocs para a politicagem eleitoral durante uma das mais graves secas da história do Ceará, me perdoem o trocadilho, é o fundo do poço. É a nova indústria da seca a serviço de velhos vícios.

É preciso aguardar o desenrolar dos processos, claro, mas como todos sabem, os trâmites jurídicos são demorados e teremos eleições daqui a dez dias. Os cearenses vão às urnas e os favoritos – tanto para o Governo do Estado como para o Senado – são alvos de denúncias, citados em delações, inquéritos e investigações que envolvem empresas enroladíssimas como JBS, Odebrecht e a própria Galvão.

Todos são inocentes até prova em contrário, mas isso não impede, para prejuízo das eleições, que esses candidatos concorram com suspeitas constrangedoras pairando sobre suas alegações de inocência.

Publicidade

Dê sua opinião

OPINIÃO

Os poços do Dnocs e o fundo do poço eleitoral

As denúncias de crime eleitoral e corrupção no Dnocs se juntam a outras que atingem alguns dos favoritos nas eleições do Ceará. E fica tudo por isso mesmo

Por Wanderley Filho em Eleições 2018

28 de setembro de 2018 às 11:31

Há 10 meses
Eunício Oliveira é alvo de novas suspeitas envolvendo o Dnocs. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Eunício Oliveira é alvo de novas suspeitas envolvendo o Dnocs. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

TRE proibiu o Dnocs de perfurar poços profundo por suspeita de uso eleitoral para beneficiar o senador e candidato à reeleição Eunício Oliveira, do MDB. De acordo com o Ministério Público Federal, prepostos indicados por Eunício priorizavam as bases eleitorais do senador, ignorando deliberadamente critérios técnicos em detrimento de outras cidades.

As denúncias não param por aí, não. Na mesma semana o jornal O Globo e o Jornal Nacional revelaram que o ex-superintendente da empreiteira Galvão Engenharia Jorge Henrique Marques Valença, em delação premiada, acusa o mesmo Eunício de ter recebido propina em obras do mesmo Dnocs. O senador nega e diz que processará o acusador.

Nada poderia ser mais emblemático. O uso da máquina para a promoção pessoal de candidatos é prática antiga, mas a ser confirmar o uso de um equipamento como Dnocs para a politicagem eleitoral durante uma das mais graves secas da história do Ceará, me perdoem o trocadilho, é o fundo do poço. É a nova indústria da seca a serviço de velhos vícios.

É preciso aguardar o desenrolar dos processos, claro, mas como todos sabem, os trâmites jurídicos são demorados e teremos eleições daqui a dez dias. Os cearenses vão às urnas e os favoritos – tanto para o Governo do Estado como para o Senado – são alvos de denúncias, citados em delações, inquéritos e investigações que envolvem empresas enroladíssimas como JBS, Odebrecht e a própria Galvão.

Todos são inocentes até prova em contrário, mas isso não impede, para prejuízo das eleições, que esses candidatos concorram com suspeitas constrangedoras pairando sobre suas alegações de inocência.