Veja como a perda de apoio do Centrão a Ciro Gomes afeta as eleições no Ceará

OPINIÃO

Veja como a perda de apoio do Centrão a Ciro Gomes afeta as eleições no Ceará

Confira a análise do analista Wanderley Filho sobre como as movimentações nacionais alteram o cenário local

Por Wanderley Filho em Eleições 2018

20 de julho de 2018 às 11:14

Há 11 meses
O PDT oficializa nesta sexta o nome de Ciro na disputa presidencial (FOTO: André Carvalho/CNI)

O PDT oficializa nesta sexta o nome de Ciro na disputa presidencial (FOTO: André Carvalho/CNI)

A imprensa nacional destaca nesta sexta-feira (20) que o apoio do Centrão (o bloco partidário formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade), depois de quase ter fechado com Ciro Gomes (PDT), vai mesmo para Geraldo Alckmin (PSDB).

O PDT oficializou, também nesta sexta, o nome de Ciro na disputa presidencial e ainda tenta costurar alianças com o PSB e o PCdoB, siglas que, por outro lado, sofrem pressão do PT – leia-se Lula – para não apoiar o pedetista.

Como essas movimentações interferem na política cearenses? Olhando de cima, nada muda na gigantesca aliança que reúne PDT, PSB, DEM e MDB para tentar a reeleição de Camilo Santana (PT), mas se observarmos mais de perto, o balanço interno dos pesos de cada um muda. 

Quanto mais forte a candidatura de Ciro ao Planalto, como no início desta semana, mais frágil fica a posição de Eunício Oliveira (MDB). A doce imagem do Palácio do Planalto faz sombra ao Palácio da Abolição. E assim PDT e PT chegaram a insinuar que desejavam indicar nomes para segunda vaga na chapa governista para o Senado.

O isolamento momentâneo do PDT nacional muda sutilmente as perspectivas estaduais. Com o projeto presidencial fazendo água, ganha mais urgência a manutenção do governo do Estado. E nesse caso, para reduzir riscos de surpresas, melhor ter o apoio do MDB, ou seja, manter Eunício na base de Camilo, com o devido silêncio dos Ferreira Gomes.

Tudo pode mudar? Pode. Talvez a tensão causada pelas incertezas das negociações partidárias tenha aumentado a disposição de Ciro para as declarações polêmicas, como registrado pelo noticiário nos últimos dias. As falas desgastantes seriam, portanto, efeito e não causa, do apoio perdido.

O jogo segue.

Mais informações, acompanhe também o Blog do Wanfil.

Publicidade

Dê sua opinião

OPINIÃO

Veja como a perda de apoio do Centrão a Ciro Gomes afeta as eleições no Ceará

Confira a análise do analista Wanderley Filho sobre como as movimentações nacionais alteram o cenário local

Por Wanderley Filho em Eleições 2018

20 de julho de 2018 às 11:14

Há 11 meses
O PDT oficializa nesta sexta o nome de Ciro na disputa presidencial (FOTO: André Carvalho/CNI)

O PDT oficializa nesta sexta o nome de Ciro na disputa presidencial (FOTO: André Carvalho/CNI)

A imprensa nacional destaca nesta sexta-feira (20) que o apoio do Centrão (o bloco partidário formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade), depois de quase ter fechado com Ciro Gomes (PDT), vai mesmo para Geraldo Alckmin (PSDB).

O PDT oficializou, também nesta sexta, o nome de Ciro na disputa presidencial e ainda tenta costurar alianças com o PSB e o PCdoB, siglas que, por outro lado, sofrem pressão do PT – leia-se Lula – para não apoiar o pedetista.

Como essas movimentações interferem na política cearenses? Olhando de cima, nada muda na gigantesca aliança que reúne PDT, PSB, DEM e MDB para tentar a reeleição de Camilo Santana (PT), mas se observarmos mais de perto, o balanço interno dos pesos de cada um muda. 

Quanto mais forte a candidatura de Ciro ao Planalto, como no início desta semana, mais frágil fica a posição de Eunício Oliveira (MDB). A doce imagem do Palácio do Planalto faz sombra ao Palácio da Abolição. E assim PDT e PT chegaram a insinuar que desejavam indicar nomes para segunda vaga na chapa governista para o Senado.

O isolamento momentâneo do PDT nacional muda sutilmente as perspectivas estaduais. Com o projeto presidencial fazendo água, ganha mais urgência a manutenção do governo do Estado. E nesse caso, para reduzir riscos de surpresas, melhor ter o apoio do MDB, ou seja, manter Eunício na base de Camilo, com o devido silêncio dos Ferreira Gomes.

Tudo pode mudar? Pode. Talvez a tensão causada pelas incertezas das negociações partidárias tenha aumentado a disposição de Ciro para as declarações polêmicas, como registrado pelo noticiário nos últimos dias. As falas desgastantes seriam, portanto, efeito e não causa, do apoio perdido.

O jogo segue.

Mais informações, acompanhe também o Blog do Wanfil.