Evite dores no bolso na hora de comprar o material escolar - Noticias


Evite dores no bolso na hora de comprar o material escolar

Dores de cabeça é o que não faltam no período de volta às aulas, mas dentre elas é quase unanimidade as despesas com a compra de material escolar. Segundo o Procon de Fortaleza, os itens da lista podem variar em até 285%

Por Tribuna do Ceará em Especial

17 de janeiro de 2012 às 18:31

Há 8 anos

(Arte/TV Jangadeiro)

Dores de cabeça é o que não faltam no período de volta às aulas, mas dentre elas é quase unanimidade as despesas com a compra de material escolar. Segundo o Procon de Fortaleza, os itens da lista podem variar em até 285%.

Para se ter uma ideia, o papel verniz, utilizado em aulas de arte e decoração das salas de aula pode ser comprado de R$ 0,13 a R$ 0,50. Por mais que represente apenas alguns centavos, o consumidor sentirá o peso na hora de pagar as compras, com a soma de todos os outros produtos.

Também vale lembrar que alguns materiais sofrem aumento relativo por conta da marca estampada na embalagem. A diferença entre apontadores, por exemplo, pode chegar a R$ 2,14.

E como economizar?

1º Pesquise – Pesquise os preços dos produtos em diversos pontos de venda, como papelarias, depósitos, lojas virtuais e lojas de departamento;

2º Reaproveite – Verifique quais os produtos da lista você já possui em casa e podem ser reaproveitados, como os que foram usados antes por outra criança;

3º Troque – Promova e participe da troca de livros didáticos com pais que possuem filhos em idade escolar diferente;

4º Reúna-se – Reúna-se com outros pais para uma compra coletiva. Algumas lojas dão bons descontos para compras em grandes quantidades;

5º Negocie – Negocie com a criança a compra de material mais barato. Produtos com personagens, logotipos e acessórios licenciados são mais caros.

 De olho na forma de pagamento

Caso opte pelo pagamento à vista, peça desconto. Analise os juros e taxas cobradas nas compras com o cartão de crédito;

O pagamento com cartão de crédito é considerado como à vista, e, portanto, o preço não deve sofrer alteração. No entanto, se o consumidor efetuar o pagamento no cartão parcelado ou a prazo poderá ser cobrado juros;

Fique de olho na forma de pagamento

Para compras com cheques pré-datados, faça com que as datas sejam especificadas na nota fiscal e no verso dos cheques, como forma de garantir o depósito na data combinada com a loja;

O estabelecimento comercial é obrigado a fornecer a nota fiscal da compra para o consumidor. Somente com este documento pode-se exigir a solução de problemas com a mercadoria;

Os prazos para reclamações variam de 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias para os duráveis (no caso de vícios aparentes);

Evite compras em ambulantes e camelôs. Apesar do preço, muitas vezes favoráveis, este tipo de vendedor não fornece nota fiscal, o que pode dificultar a troca ou assistência do produto se houver necessidade;

Atenção às embalagens de materiais como colas, tintas, pincéis atômicos, fitas adesivas, que devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor.

O que não pode ser exigido

O Procon do Rio de Janeiro fez uma lista de materiais que não podem constar na lista de compras escolares:

 1. Álcool hidrogenado
2. Algodão
3. Bolas de sopro
4. Canetas para lousa
5. Copos descartáveis
6. Cordão
7. Creme dental
8. Disquetes
9. Elastex
10. Esponja para pratos
11. Estêncil a álcool e óleo
12. Fita para impressora
13. Fitas decorativas
14. Fitilhos
15. Giz branco e colorido
16. Grampeador
17. Grampos para grampeador
18. Lenços descartáveis
19. Medicamentos
20. Papel higiênico
21. Papel convite
22. Papel ofício colorido
23. Papel ofício (230 x 330)
24. Papel para impressoras
25. Papel para copiadoras
26. Papel de enrolar balas
27. Pegador de roupas
28. Plásticos para classificador
29. Pratos descartáveis
30. Sabonetes
31. Talheres descartáveis
32. TNT (tecidos não tecido)
33. Tonner

Leia mais:
Volta às aulas: É hora de deixar a preguiça de lado

Redação Jangadeiro Online

Publicidade

Dê sua opinião

Evite dores no bolso na hora de comprar o material escolar

Dores de cabeça é o que não faltam no período de volta às aulas, mas dentre elas é quase unanimidade as despesas com a compra de material escolar. Segundo o Procon de Fortaleza, os itens da lista podem variar em até 285%

Por Tribuna do Ceará em Especial

17 de janeiro de 2012 às 18:31

Há 8 anos

(Arte/TV Jangadeiro)

Dores de cabeça é o que não faltam no período de volta às aulas, mas dentre elas é quase unanimidade as despesas com a compra de material escolar. Segundo o Procon de Fortaleza, os itens da lista podem variar em até 285%.

Para se ter uma ideia, o papel verniz, utilizado em aulas de arte e decoração das salas de aula pode ser comprado de R$ 0,13 a R$ 0,50. Por mais que represente apenas alguns centavos, o consumidor sentirá o peso na hora de pagar as compras, com a soma de todos os outros produtos.

Também vale lembrar que alguns materiais sofrem aumento relativo por conta da marca estampada na embalagem. A diferença entre apontadores, por exemplo, pode chegar a R$ 2,14.

E como economizar?

1º Pesquise – Pesquise os preços dos produtos em diversos pontos de venda, como papelarias, depósitos, lojas virtuais e lojas de departamento;

2º Reaproveite – Verifique quais os produtos da lista você já possui em casa e podem ser reaproveitados, como os que foram usados antes por outra criança;

3º Troque – Promova e participe da troca de livros didáticos com pais que possuem filhos em idade escolar diferente;

4º Reúna-se – Reúna-se com outros pais para uma compra coletiva. Algumas lojas dão bons descontos para compras em grandes quantidades;

5º Negocie – Negocie com a criança a compra de material mais barato. Produtos com personagens, logotipos e acessórios licenciados são mais caros.

 De olho na forma de pagamento

Caso opte pelo pagamento à vista, peça desconto. Analise os juros e taxas cobradas nas compras com o cartão de crédito;

O pagamento com cartão de crédito é considerado como à vista, e, portanto, o preço não deve sofrer alteração. No entanto, se o consumidor efetuar o pagamento no cartão parcelado ou a prazo poderá ser cobrado juros;

Fique de olho na forma de pagamento

Para compras com cheques pré-datados, faça com que as datas sejam especificadas na nota fiscal e no verso dos cheques, como forma de garantir o depósito na data combinada com a loja;

O estabelecimento comercial é obrigado a fornecer a nota fiscal da compra para o consumidor. Somente com este documento pode-se exigir a solução de problemas com a mercadoria;

Os prazos para reclamações variam de 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias para os duráveis (no caso de vícios aparentes);

Evite compras em ambulantes e camelôs. Apesar do preço, muitas vezes favoráveis, este tipo de vendedor não fornece nota fiscal, o que pode dificultar a troca ou assistência do produto se houver necessidade;

Atenção às embalagens de materiais como colas, tintas, pincéis atômicos, fitas adesivas, que devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor.

O que não pode ser exigido

O Procon do Rio de Janeiro fez uma lista de materiais que não podem constar na lista de compras escolares:

 1. Álcool hidrogenado
2. Algodão
3. Bolas de sopro
4. Canetas para lousa
5. Copos descartáveis
6. Cordão
7. Creme dental
8. Disquetes
9. Elastex
10. Esponja para pratos
11. Estêncil a álcool e óleo
12. Fita para impressora
13. Fitas decorativas
14. Fitilhos
15. Giz branco e colorido
16. Grampeador
17. Grampos para grampeador
18. Lenços descartáveis
19. Medicamentos
20. Papel higiênico
21. Papel convite
22. Papel ofício colorido
23. Papel ofício (230 x 330)
24. Papel para impressoras
25. Papel para copiadoras
26. Papel de enrolar balas
27. Pegador de roupas
28. Plásticos para classificador
29. Pratos descartáveis
30. Sabonetes
31. Talheres descartáveis
32. TNT (tecidos não tecido)
33. Tonner

Leia mais:
Volta às aulas: É hora de deixar a preguiça de lado

Redação Jangadeiro Online