Veja dicas para tirar de letra o pagamento do IPTU e do IPVA - Noticias


Veja dicas para tirar de letra o pagamento do IPTU e do IPVA

Ano novo, contas novas para pagar. É assim que boa parte da população encara o início de um novo calendário. Além das, já recheadas de taxas, compras de material escolar, matrículas, despesa com férias, dentre outras, batem literalmente à nossa porta dois famosos impostos: IPTU e IPVA

Por Tribuna do Ceará em Especial

25 de janeiro de 2012 às 20:21

Há 8 anos

Ano novo, contas novas para pagar. É assim que boa parte da população encara o início de um novo calendário. Além das, já recheadas de taxas, compras de material escolar, matrículas, despesa com férias, dentre outras, batem literalmente à nossa porta dois famosos impostos: IPTU e IPVA.

Mas o que realmente eles significam?

O Portal Jangadeiro Online, listou as principais características das duas contribuições para elucidar e ajudar a população na hora de efetuar o pagamento.

IPVA

A sigla – Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA)

O que é? – Imposto estadual voltado para os proprietários de veículos automotores (automóveis, motocicletas, etc).

Quanto custa? – Cada Estado determina uma alíquota sobre o valor de cada tipo de transporte. No Ceará, são de 2,5% para automóveis e embarcações; 1% para ônibus e motocicletas e 1,5% para aeronaves. O menor valor pertence ao ciclomotor Hero Puch 65 (R$ 11,16) e o maior ao Porsche 911 GT3 2009 (R$ 12,1 mil).

Quem não paga? – Máquinas agrícolas, de terraplanagem e veículos para portadores de deficiência.

Para onde vai? – Não tem relação direta com prestação de serviços (pavimentação, colocação de sinais, etc.). É utilizado para despesas normais de administração (saúde, educação, segurança, saneamento, dentre outras).

Vence quando? – Parcela única até 31 de janeiro. Parcelamento, até o dia 16 dos meses de fevereiro, março, abril e maio

IPTU

A sigla – Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU)

O que é? – Imposto municipal voltado para os proprietários de imóveis (casas, apartamentos, pontos comerciais, etc).

Quanto custa? – Cada Município determina uma alíquota sobre o valor de cada imóvel. Em Fortaleza, a ela varia de 25% a 30% dependendo do valor venal da construção.

Quem não paga? – Imóveis com valor venal inferior a R$ 26.383,85, entidades populares, ex-combatentes das Forças Armadas e sedes de associações da categoria servidores do município e templos religiosos.  Aposentados, pessoas viúvas, órfãos e inválidos cujos imóveis não superem o valor de R$ 70 mil também têm isenção. São imunes ao imposto as sedes de partidos políticos, Autarquias,  Fundações e patrimônios pertencentes à União, Estado ou Município.

Para onde vai? – Sua finalidade principal é a obtenção de recursos financeiros para os municípios, embora ele também possa ser utilizado como instrumento urbanístico de controle do  preço da terra.

Vence quando? – Cota única até o dia 7 de fevereiro. Duas parcelas, com desconto, nos dias 7 de fevereiro e março. Ou em até 11 parcelas com valor mínimo de R$ 30.

Dicas

O Instituto DSOP Educação Financeira listou sete dicas importantes para que o cidadão possa pagar os impostos sem desestabilizar as finanças:

À vista – Caso você tenha dinheiro guardado pague os impostos à vista, pois os descontos são maiores;

Verifique que conta é mais importante – Se não puder pagar os dois impostos opte pelo que faz parte do seu dia a dia. Quem usa o carro como fonte de renda prioriza o pagamento do IPVA. Caso não haja prioridade, pague à vista a conta com maior desconto e parcele as outras;

Cuidado com o mês que vem – Mesmo com dinheiro acumulado, não esqueça dos gastos fixos que virão nos próximos dias. Veja se sobrará dinheiro suficiente para os próximos compromissos;

Planeje as parcelas – Caso o parcelamento seja a melhor opção de pagamento, planeje bem as parcelas para que os valores mensais caibam no orçamento;

Avalie as causas – Se perceber que não pode pagar os impostos à vista este ano, analise as causas e ajuste o orçamento para os próximos anos;

Nada de cheque especial – Evite o uso de cheque especial em casos eventuais como o IPVA e o IPTU;

Se precisar de empréstimo, opte pelo consignado – Evitem ao máximo a aquisição de empréstimos na hora do pagamento de impostos. Mas, se não houver outra solução, busque o crédito consignado que possui menor taxa de juros.

Redação Jangadeiro Online

Publicidade

Dê sua opinião

Veja dicas para tirar de letra o pagamento do IPTU e do IPVA

Ano novo, contas novas para pagar. É assim que boa parte da população encara o início de um novo calendário. Além das, já recheadas de taxas, compras de material escolar, matrículas, despesa com férias, dentre outras, batem literalmente à nossa porta dois famosos impostos: IPTU e IPVA

Por Tribuna do Ceará em Especial

25 de janeiro de 2012 às 20:21

Há 8 anos

Ano novo, contas novas para pagar. É assim que boa parte da população encara o início de um novo calendário. Além das, já recheadas de taxas, compras de material escolar, matrículas, despesa com férias, dentre outras, batem literalmente à nossa porta dois famosos impostos: IPTU e IPVA.

Mas o que realmente eles significam?

O Portal Jangadeiro Online, listou as principais características das duas contribuições para elucidar e ajudar a população na hora de efetuar o pagamento.

IPVA

A sigla – Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA)

O que é? – Imposto estadual voltado para os proprietários de veículos automotores (automóveis, motocicletas, etc).

Quanto custa? – Cada Estado determina uma alíquota sobre o valor de cada tipo de transporte. No Ceará, são de 2,5% para automóveis e embarcações; 1% para ônibus e motocicletas e 1,5% para aeronaves. O menor valor pertence ao ciclomotor Hero Puch 65 (R$ 11,16) e o maior ao Porsche 911 GT3 2009 (R$ 12,1 mil).

Quem não paga? – Máquinas agrícolas, de terraplanagem e veículos para portadores de deficiência.

Para onde vai? – Não tem relação direta com prestação de serviços (pavimentação, colocação de sinais, etc.). É utilizado para despesas normais de administração (saúde, educação, segurança, saneamento, dentre outras).

Vence quando? – Parcela única até 31 de janeiro. Parcelamento, até o dia 16 dos meses de fevereiro, março, abril e maio

IPTU

A sigla – Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU)

O que é? – Imposto municipal voltado para os proprietários de imóveis (casas, apartamentos, pontos comerciais, etc).

Quanto custa? – Cada Município determina uma alíquota sobre o valor de cada imóvel. Em Fortaleza, a ela varia de 25% a 30% dependendo do valor venal da construção.

Quem não paga? – Imóveis com valor venal inferior a R$ 26.383,85, entidades populares, ex-combatentes das Forças Armadas e sedes de associações da categoria servidores do município e templos religiosos.  Aposentados, pessoas viúvas, órfãos e inválidos cujos imóveis não superem o valor de R$ 70 mil também têm isenção. São imunes ao imposto as sedes de partidos políticos, Autarquias,  Fundações e patrimônios pertencentes à União, Estado ou Município.

Para onde vai? – Sua finalidade principal é a obtenção de recursos financeiros para os municípios, embora ele também possa ser utilizado como instrumento urbanístico de controle do  preço da terra.

Vence quando? – Cota única até o dia 7 de fevereiro. Duas parcelas, com desconto, nos dias 7 de fevereiro e março. Ou em até 11 parcelas com valor mínimo de R$ 30.

Dicas

O Instituto DSOP Educação Financeira listou sete dicas importantes para que o cidadão possa pagar os impostos sem desestabilizar as finanças:

À vista – Caso você tenha dinheiro guardado pague os impostos à vista, pois os descontos são maiores;

Verifique que conta é mais importante – Se não puder pagar os dois impostos opte pelo que faz parte do seu dia a dia. Quem usa o carro como fonte de renda prioriza o pagamento do IPVA. Caso não haja prioridade, pague à vista a conta com maior desconto e parcele as outras;

Cuidado com o mês que vem – Mesmo com dinheiro acumulado, não esqueça dos gastos fixos que virão nos próximos dias. Veja se sobrará dinheiro suficiente para os próximos compromissos;

Planeje as parcelas – Caso o parcelamento seja a melhor opção de pagamento, planeje bem as parcelas para que os valores mensais caibam no orçamento;

Avalie as causas – Se perceber que não pode pagar os impostos à vista este ano, analise as causas e ajuste o orçamento para os próximos anos;

Nada de cheque especial – Evite o uso de cheque especial em casos eventuais como o IPVA e o IPTU;

Se precisar de empréstimo, opte pelo consignado – Evitem ao máximo a aquisição de empréstimos na hora do pagamento de impostos. Mas, se não houver outra solução, busque o crédito consignado que possui menor taxa de juros.

Redação Jangadeiro Online