Ambulantes da Praia do Futuro trabalham com máquina de cartão


Ambulantes da Praia do Futuro trabalham com máquina de cartão

O serviço é disponibilizado por vendedores de óculos, camarão, sanduíche e biquíni, além de terapeutas que fazem massagem e guias que oferecem passeios

Por Rafael Luis Azevedo em Fortaleza

14 de janeiro de 2014 às 10:03

Há 5 anos
Praia-do-Futuro-ambulantes-cartao-de-credito (1)

No primeiro mês que passou a trabalhar com máquina de cartão de crédito e de débito, Adrialdo Rocha fez uma venda de R$ 1.520 para uma única mulher, num total de 16 óculos de sol (Foto: Rafael Luis Azevedo)

Adrialdo Rocha, de 33 anos, é um cara de sorte. Vendedor ambulante há 20, há um mês ele saiu da informalidade. Tornou-se microempreendedor individual e abriu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), mesmo sem ter ponto fixo. Agora ele carrega uma máquina portátil de cartão de crédito e débito, o que impulsionou seu trabalho na Praia do Futuro, em Fortaleza, onde vende óculos de sol. Na semana passada, o cearense alcançou a venda dos sonhos: R$ 1.520 de uma só vez.

É isso mesmo… Foram 16 óculos vendidos para uma única mulher, que estava com toda a família numa barraca da praia mais frequentada da cidade. Foi o faturamento médio de uma semana em apenas alguns minutos. Para ele, a tal maquininha foi decisiva para que fechasse o negócio. “Ninguém vai à praia com tanto dinheiro. Se ela não pudesse comprar com cartão comigo, seria com outro”, reconhece Adrialdo. “Estou muito satisfeito em ter aderido ao projeto”.

Uma venda como essa é o desejo das centenas de vendedores ambulantes que diariamente circulam feito formiga entre as mesas das barracas de praia. Especialmente aqueles que, assim como Adrialdo, também já trabalham com máquina de cartão. Esse serviço, que chama a atenção dos turistas, já é disponibilizado por vendedores de óculos, camarão, sanduíche e biquíni, além de terapeutas que fazem massagem e guias que oferecem passeios a praias próximas.

Praia-do-Futuro-ambulantes-cartao-de-credito (2)

Os vendedores de óculos escuros Renato Monteiro da Silva (esq) e José Carlos de Oliveira (dir) e o comerciante de camarão Evaldo Mendes estão satisfeitos com o crescimento nas vendas (Fotos: Rafael Luis Azevedo)

Essa novidade foi possível após a criação da figura jurídica do microempreendedor individual, para retirar trabalhadores autônomos da informalidade com baixo custo e nenhuma burocracia. Registrados, os ambulantes passam a contribuir com a Previdência e a ter direito a auxílio-doença, auxílio-maternidade e aposentadoria. Depois de quatro anos do lançamento, já são 6 milhões de beneficiados no Brasil, sendo 102 mil no Ceará. Desses, cerca de 4 mil atuam nas ruas.

A formalização permitiu aos ambulantes vincular-se a operadoras de cartão de crédito e débito. Na Praia do Futuro, as maquininhas virarem febre. Todos os vendedores com quem o Tribuna do Ceará conversou relatam a satisfação com o ganho nas vendas, com crescimento que gira entre 30% e 70%, dependendo do ramo. “Antes eu vendia 6 kg de camarão por semana, hoje consigo 10 kg. Valeu muito a pena”, comenta Evaldo Mendes, de 40 anos.

Quem oferece serviços com preço mais elevado que o dos produtos vendidos na praia ficou ainda mais feliz com a novidade. No caso do guia de turismo Jener Vieira, de 32 anos, quase a metade das negociações já é com máquina de crédito e débito. “Os turistas são orientados a não andar com muito dinheiro, por causa da insegurança. Então o uso de cartão é essencial”, explica o profissional.

Praia-do-Futuro-ambulantes-cartao-de-credito (1)

A psicóloga Luciana Pontes, de 27 anos, turista de São Carlos (SP), comprou um óculos de sol e elogiou a praticidade do serviço oferecido pelos ambulantes da praia (Foto: Rafael Luis Azevedo)

Essa praticidade foi elogiada pela psicóloga Luciana Pontes, de 27 anos, turista de São Carlos (SP). Ela comprou um óculos de sol por R$ 40. “Eu tenho o dinheiro, mas preferi não usá-lo”, relata a visitante, que ainda não tinha conhecido ambulantes sem ponto fixo com o mesmo serviço. “Em São Carlos mal tem ambulante, quanto mais ambulante com máquina de cartão”.

O processo de formalização é gratuito. O único custo é o pagamento mensal de R$ 31,14 (INSS), R$ 5 (prestadores de serviço) e R$ 1 (comércio e indústria), por meio de carnê emitido no Portal do Empreendedor. Para ter as máquinas de cartão, a negociação é feita diretamente com as operadoras, e as taxas custam a partir de R$ 60 por mês, mais desconto de 2% a 4% por compra.

Na Praia do Futuro, essas vantagens correram rápido no boca-a-boca dos vendedores ambulantes. E, como Adrialdo, não faltam garotos-propaganda desse sucesso.

Documentos necessários para formalização:

RG, CPF, comprovante residencial ou comercial, título de eleitor, número do recibo da declaração do imposto de renda (no caso daquele que tenha declarado IR nos últimos dois anos). Saiba mais com o Sebrae: www.portaldoempreendedor.gov.br

Publicidade

Dê sua opinião

Ambulantes da Praia do Futuro trabalham com máquina de cartão

O serviço é disponibilizado por vendedores de óculos, camarão, sanduíche e biquíni, além de terapeutas que fazem massagem e guias que oferecem passeios

Por Rafael Luis Azevedo em Fortaleza

14 de janeiro de 2014 às 10:03

Há 5 anos
Praia-do-Futuro-ambulantes-cartao-de-credito (1)

No primeiro mês que passou a trabalhar com máquina de cartão de crédito e de débito, Adrialdo Rocha fez uma venda de R$ 1.520 para uma única mulher, num total de 16 óculos de sol (Foto: Rafael Luis Azevedo)

Adrialdo Rocha, de 33 anos, é um cara de sorte. Vendedor ambulante há 20, há um mês ele saiu da informalidade. Tornou-se microempreendedor individual e abriu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), mesmo sem ter ponto fixo. Agora ele carrega uma máquina portátil de cartão de crédito e débito, o que impulsionou seu trabalho na Praia do Futuro, em Fortaleza, onde vende óculos de sol. Na semana passada, o cearense alcançou a venda dos sonhos: R$ 1.520 de uma só vez.

É isso mesmo… Foram 16 óculos vendidos para uma única mulher, que estava com toda a família numa barraca da praia mais frequentada da cidade. Foi o faturamento médio de uma semana em apenas alguns minutos. Para ele, a tal maquininha foi decisiva para que fechasse o negócio. “Ninguém vai à praia com tanto dinheiro. Se ela não pudesse comprar com cartão comigo, seria com outro”, reconhece Adrialdo. “Estou muito satisfeito em ter aderido ao projeto”.

Uma venda como essa é o desejo das centenas de vendedores ambulantes que diariamente circulam feito formiga entre as mesas das barracas de praia. Especialmente aqueles que, assim como Adrialdo, também já trabalham com máquina de cartão. Esse serviço, que chama a atenção dos turistas, já é disponibilizado por vendedores de óculos, camarão, sanduíche e biquíni, além de terapeutas que fazem massagem e guias que oferecem passeios a praias próximas.

Praia-do-Futuro-ambulantes-cartao-de-credito (2)

Os vendedores de óculos escuros Renato Monteiro da Silva (esq) e José Carlos de Oliveira (dir) e o comerciante de camarão Evaldo Mendes estão satisfeitos com o crescimento nas vendas (Fotos: Rafael Luis Azevedo)

Essa novidade foi possível após a criação da figura jurídica do microempreendedor individual, para retirar trabalhadores autônomos da informalidade com baixo custo e nenhuma burocracia. Registrados, os ambulantes passam a contribuir com a Previdência e a ter direito a auxílio-doença, auxílio-maternidade e aposentadoria. Depois de quatro anos do lançamento, já são 6 milhões de beneficiados no Brasil, sendo 102 mil no Ceará. Desses, cerca de 4 mil atuam nas ruas.

A formalização permitiu aos ambulantes vincular-se a operadoras de cartão de crédito e débito. Na Praia do Futuro, as maquininhas virarem febre. Todos os vendedores com quem o Tribuna do Ceará conversou relatam a satisfação com o ganho nas vendas, com crescimento que gira entre 30% e 70%, dependendo do ramo. “Antes eu vendia 6 kg de camarão por semana, hoje consigo 10 kg. Valeu muito a pena”, comenta Evaldo Mendes, de 40 anos.

Quem oferece serviços com preço mais elevado que o dos produtos vendidos na praia ficou ainda mais feliz com a novidade. No caso do guia de turismo Jener Vieira, de 32 anos, quase a metade das negociações já é com máquina de crédito e débito. “Os turistas são orientados a não andar com muito dinheiro, por causa da insegurança. Então o uso de cartão é essencial”, explica o profissional.

Praia-do-Futuro-ambulantes-cartao-de-credito (1)

A psicóloga Luciana Pontes, de 27 anos, turista de São Carlos (SP), comprou um óculos de sol e elogiou a praticidade do serviço oferecido pelos ambulantes da praia (Foto: Rafael Luis Azevedo)

Essa praticidade foi elogiada pela psicóloga Luciana Pontes, de 27 anos, turista de São Carlos (SP). Ela comprou um óculos de sol por R$ 40. “Eu tenho o dinheiro, mas preferi não usá-lo”, relata a visitante, que ainda não tinha conhecido ambulantes sem ponto fixo com o mesmo serviço. “Em São Carlos mal tem ambulante, quanto mais ambulante com máquina de cartão”.

O processo de formalização é gratuito. O único custo é o pagamento mensal de R$ 31,14 (INSS), R$ 5 (prestadores de serviço) e R$ 1 (comércio e indústria), por meio de carnê emitido no Portal do Empreendedor. Para ter as máquinas de cartão, a negociação é feita diretamente com as operadoras, e as taxas custam a partir de R$ 60 por mês, mais desconto de 2% a 4% por compra.

Na Praia do Futuro, essas vantagens correram rápido no boca-a-boca dos vendedores ambulantes. E, como Adrialdo, não faltam garotos-propaganda desse sucesso.

Documentos necessários para formalização:

RG, CPF, comprovante residencial ou comercial, título de eleitor, número do recibo da declaração do imposto de renda (no caso daquele que tenha declarado IR nos últimos dois anos). Saiba mais com o Sebrae: www.portaldoempreendedor.gov.br