Empresas de telefonia são condenadas por descumprimento contratual


Empresas de telefonia são condenadas por descumprimento contratual

As empresas Oi Móvel e Telemar Norte Leste S/A devem pagar indenização de R$ 10 mil por descumprirem contratos firmados com clientes

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

15 de outubro de 2012 às 18:20

Há 7 anos

As empresas Oi Móvel e Telemar Norte Leste S/A devem pagar indenização de R$ 10 mil por descumprirem contratos firmados com clientes. A decisão é do juiz José Edmilson de Oliveira, da 5ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza.

De acordo com o processo, um homem – com iniciais F.R.L.C. – firmou contrato com as duas empresas para usufruir de serviços de telefonia móvel e fixa, além de internet banda larga. Em junho de 2008, o filho dele contratou o plano Oi Conta Total 3, no valor de R$ 349,00, obtendo das operadoras desconto de 30% nas três primeiras mensalidades e bônus de R$ 900,00 divididos nas dez primeiras parcelas.

Ao receberem a fatura, no entanto, constataram que o desconto não havia sido efetivado. Nos meses seguintes, o erro se repetiu, razão pela qual ingressaram com ação na Justiça. Eles afirmaram ter procurado várias vezes as empresas, mas nada foi resolvido. Alegaram ainda que tiveram os telefones bloqueados por não pagarem os valores cobrados indevidamente.

Julgamento

Em outubro de 2008, o juiz concedeu liminar determinando a reativação do serviço telefônico. As operadoras também ficaram proibidas de incluir os nomes dos consumidores em órgãos de restrição ao crédito.

Em contestação, a Telemar e a Oi Móvel sustentaram que houve apenas um “defeito no serviço”, não caracterizando dano moral. Ao julgar o mérito do processo, o magistrado determinou o pagamento de indenização no valor de R$ 10 mil. “É solidária a responsabilidade de todos os que intervirem no fornecimento do produto, pelos vícios que este apresentar”, disse o juiz.

José Edmilson de Oliveira considerou ainda que houve propaganda enganosa “contendo informação falsa capaz de induzir o consumidor ao erro a respeito das características do produto ou do serviço oferecido”.

Publicidade

Dê sua opinião

Empresas de telefonia são condenadas por descumprimento contratual

As empresas Oi Móvel e Telemar Norte Leste S/A devem pagar indenização de R$ 10 mil por descumprirem contratos firmados com clientes

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

15 de outubro de 2012 às 18:20

Há 7 anos

As empresas Oi Móvel e Telemar Norte Leste S/A devem pagar indenização de R$ 10 mil por descumprirem contratos firmados com clientes. A decisão é do juiz José Edmilson de Oliveira, da 5ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza.

De acordo com o processo, um homem – com iniciais F.R.L.C. – firmou contrato com as duas empresas para usufruir de serviços de telefonia móvel e fixa, além de internet banda larga. Em junho de 2008, o filho dele contratou o plano Oi Conta Total 3, no valor de R$ 349,00, obtendo das operadoras desconto de 30% nas três primeiras mensalidades e bônus de R$ 900,00 divididos nas dez primeiras parcelas.

Ao receberem a fatura, no entanto, constataram que o desconto não havia sido efetivado. Nos meses seguintes, o erro se repetiu, razão pela qual ingressaram com ação na Justiça. Eles afirmaram ter procurado várias vezes as empresas, mas nada foi resolvido. Alegaram ainda que tiveram os telefones bloqueados por não pagarem os valores cobrados indevidamente.

Julgamento

Em outubro de 2008, o juiz concedeu liminar determinando a reativação do serviço telefônico. As operadoras também ficaram proibidas de incluir os nomes dos consumidores em órgãos de restrição ao crédito.

Em contestação, a Telemar e a Oi Móvel sustentaram que houve apenas um “defeito no serviço”, não caracterizando dano moral. Ao julgar o mérito do processo, o magistrado determinou o pagamento de indenização no valor de R$ 10 mil. “É solidária a responsabilidade de todos os que intervirem no fornecimento do produto, pelos vícios que este apresentar”, disse o juiz.

José Edmilson de Oliveira considerou ainda que houve propaganda enganosa “contendo informação falsa capaz de induzir o consumidor ao erro a respeito das características do produto ou do serviço oferecido”.