Fortaleza é sede para exame de médicos com diploma estrangeiro


Fortaleza é sede para exame de médicos com diploma estrangeiro

Além de Fortaleza, o Revalida será aplicado em mais nove capitais: Brasília, Rio Branco, Manaus, Salvador, Campo Grande, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

23 de agosto de 2013 às 18:23

Há 6 anos

Fortaleza será sede do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida), que acontece neste domingo (25). Ao todo, são 1.772 candidatos inscritos em todo o país. O exame será para aqueles que obtiveram diploma expedido por instituições de ensino superior estrangeira e querem atuar no Brasil.

Além de Fortaleza, o Revalida será aplicado em mais nove capitais: Brasília, Rio Branco, Manaus, Salvador, Campo Grande, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. A prova objetiva será feita entre as 8h e as 13h, horário de Brasília. As questões discursivas ocorrem no mesmo dia, entre as 15h e as 18h. Confira aqui os locais de prova.

A prova

O Revalida foi criado em 2011 e é aplicado uma vez por ano, em duas etapas. A primeira, uma avaliação escrita – composta por uma prova objetiva, com questões de múltipla escolha, e uma prova do tipo discursiva. Na segunda etapa, avaliam-se as habilidades clínicas.

Entram na avaliação conteúdos e competências das cinco áreas de exercício profissional: cirurgia; medicina de família e comunidade; pediatria; ginecologia e obstetrícia; e clínica médica. Além disso, o exame estabelece níveis de desempenho esperados para as habilidades específicas de cada área.

Antes do Revalida, cada instituição de ensino superior estabelecia os processos de análise da correspondência curricular, seguindo a legislação de revalidação de diplomas prevista no país.

O exame é conhecido pelo alto grau de dificuldade. No ano passado, o índice de aprovação variou entre 6,41% de aprovação entre estudantes bolivianos e 27,27% de aprovação entre os venezuelanos. Os brasileiros com diploma estrangeiro também são obrigados a fazer o exame para trabalhar no país – o índice de aprovação deles no ano passado alcançou 7,5%, inferior ao resultado de 2011 (7,89%).

Publicidade

Dê sua opinião

Fortaleza é sede para exame de médicos com diploma estrangeiro

Além de Fortaleza, o Revalida será aplicado em mais nove capitais: Brasília, Rio Branco, Manaus, Salvador, Campo Grande, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

23 de agosto de 2013 às 18:23

Há 6 anos

Fortaleza será sede do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida), que acontece neste domingo (25). Ao todo, são 1.772 candidatos inscritos em todo o país. O exame será para aqueles que obtiveram diploma expedido por instituições de ensino superior estrangeira e querem atuar no Brasil.

Além de Fortaleza, o Revalida será aplicado em mais nove capitais: Brasília, Rio Branco, Manaus, Salvador, Campo Grande, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. A prova objetiva será feita entre as 8h e as 13h, horário de Brasília. As questões discursivas ocorrem no mesmo dia, entre as 15h e as 18h. Confira aqui os locais de prova.

A prova

O Revalida foi criado em 2011 e é aplicado uma vez por ano, em duas etapas. A primeira, uma avaliação escrita – composta por uma prova objetiva, com questões de múltipla escolha, e uma prova do tipo discursiva. Na segunda etapa, avaliam-se as habilidades clínicas.

Entram na avaliação conteúdos e competências das cinco áreas de exercício profissional: cirurgia; medicina de família e comunidade; pediatria; ginecologia e obstetrícia; e clínica médica. Além disso, o exame estabelece níveis de desempenho esperados para as habilidades específicas de cada área.

Antes do Revalida, cada instituição de ensino superior estabelecia os processos de análise da correspondência curricular, seguindo a legislação de revalidação de diplomas prevista no país.

O exame é conhecido pelo alto grau de dificuldade. No ano passado, o índice de aprovação variou entre 6,41% de aprovação entre estudantes bolivianos e 27,27% de aprovação entre os venezuelanos. Os brasileiros com diploma estrangeiro também são obrigados a fazer o exame para trabalhar no país – o índice de aprovação deles no ano passado alcançou 7,5%, inferior ao resultado de 2011 (7,89%).