Lava a jato de Fortaleza é dominado pelo serviço de mulheres


Lava a jato de Fortaleza é dominado pelo serviço de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino

Por Hayanne Narlla em Fortaleza

27 de março de 2014 às 18:11

Há 5 anos

Não é cor-de-rosa, não tem pelúcias espalhadas como decoração, muito menos uma senha de entrada para o clube das luluzinhas. No lavo a jato MM Car, quem trabalha são as mulheres. Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino.

Claudina, Juliana, Suyanne, Mardelaine e Marilene. Elas formam o time do MM Car (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Claudina, Juliana, Suyanne, Mardelaine e Marilene. Elas formam o time do MM Car (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Ao estilo Penélope Charmosa, a empresária Mardelaine Lima ama carros, entende tudo sobre eles e ainda comanda as duas filiais do lava jato, localizadas nas avenidas Dom Luís e Santos Dumont. Ao todo, são 17 mulheres e seis homens trabalhando para ela. “Eu prefiro trabalhar com mulher do que com homem. Eu acho que os homens são muito impacientes e as mulheres são mais compromissadas”, compara.

Já a clientela não é formada só por mulheres. Homens, casais e idosos frequentam bastante o local. E sobre o atendimento feminino, os clientes aprovam a medida, considerando o trabalho mais eficiente. “As meninas tratam melhor, recebem melhor”.

Atualmente, o time de meninas do lava a jato da Santos Dumont é composto por Juliana, Suyanne, Claudiana e Marilene. Todas gostam de carros, reparam nas peças mais modernas e admiram os designs mais atuais. Só falta mesmo é adquirir um carro para saírem pilotando.

Ideia

Juliana lava os carros com o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Juliana lava os carros com o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Diferentemente de outros empreendimentos desse tipo, Mardelaine resolveu montar um lava a jato inspirado no exemplo do irmão. É que ele possui o mesmo negócio no Maranhão e contava com uma técnica diferente das utilizadas em Fortaleza: um arco com mangueiras de água utilizado na lavagem. Em 2008, abriu a primeira filial. Em 2012, era a vez da segunda.

Mesmo após montar o MM Car, Mardelaine enfrentou preconceitos por ser a dona do negócio. Foram diversos casos em que homens, por acharem que ela não entendia sobre assunto, tentaram se aproveitar da situação e ganhar dinheiro a mais, com venda de peças e serviços. Foi errando muito que a empresária aprendeu e, hoje, resolve qualquer problema relacionado ao lava jato, desde o defeito de uma pequena peça até a falha da bomba de água.

E foi com essas dificuldades que o MM Car se tornou o xodó da empresária. Ela não o troca por nada. “É muito bom ver mulheres a frente de coisas antes dominadas pelos homens. É um serviço gratificante, que eu adoro. Eu gosto de entender de carro e as pessoas passam a admirar isso. Eu tenho orgulho de ter um lava jato”, define.

Confira as fotos

Lava jato de mulheres
1/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
2/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
3/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
4/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
5/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
6/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
7/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
8/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Publicidade

Dê sua opinião

Lava a jato de Fortaleza é dominado pelo serviço de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino

Por Hayanne Narlla em Fortaleza

27 de março de 2014 às 18:11

Há 5 anos

Não é cor-de-rosa, não tem pelúcias espalhadas como decoração, muito menos uma senha de entrada para o clube das luluzinhas. No lavo a jato MM Car, quem trabalha são as mulheres. Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino.

Claudina, Juliana, Suyanne, Mardelaine e Marilene. Elas formam o time do MM Car (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Claudina, Juliana, Suyanne, Mardelaine e Marilene. Elas formam o time do MM Car (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Ao estilo Penélope Charmosa, a empresária Mardelaine Lima ama carros, entende tudo sobre eles e ainda comanda as duas filiais do lava jato, localizadas nas avenidas Dom Luís e Santos Dumont. Ao todo, são 17 mulheres e seis homens trabalhando para ela. “Eu prefiro trabalhar com mulher do que com homem. Eu acho que os homens são muito impacientes e as mulheres são mais compromissadas”, compara.

Já a clientela não é formada só por mulheres. Homens, casais e idosos frequentam bastante o local. E sobre o atendimento feminino, os clientes aprovam a medida, considerando o trabalho mais eficiente. “As meninas tratam melhor, recebem melhor”.

Atualmente, o time de meninas do lava a jato da Santos Dumont é composto por Juliana, Suyanne, Claudiana e Marilene. Todas gostam de carros, reparam nas peças mais modernas e admiram os designs mais atuais. Só falta mesmo é adquirir um carro para saírem pilotando.

Ideia

Juliana lava os carros com o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Juliana lava os carros com o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Diferentemente de outros empreendimentos desse tipo, Mardelaine resolveu montar um lava a jato inspirado no exemplo do irmão. É que ele possui o mesmo negócio no Maranhão e contava com uma técnica diferente das utilizadas em Fortaleza: um arco com mangueiras de água utilizado na lavagem. Em 2008, abriu a primeira filial. Em 2012, era a vez da segunda.

Mesmo após montar o MM Car, Mardelaine enfrentou preconceitos por ser a dona do negócio. Foram diversos casos em que homens, por acharem que ela não entendia sobre assunto, tentaram se aproveitar da situação e ganhar dinheiro a mais, com venda de peças e serviços. Foi errando muito que a empresária aprendeu e, hoje, resolve qualquer problema relacionado ao lava jato, desde o defeito de uma pequena peça até a falha da bomba de água.

E foi com essas dificuldades que o MM Car se tornou o xodó da empresária. Ela não o troca por nada. “É muito bom ver mulheres a frente de coisas antes dominadas pelos homens. É um serviço gratificante, que eu adoro. Eu gosto de entender de carro e as pessoas passam a admirar isso. Eu tenho orgulho de ter um lava jato”, define.

Confira as fotos

Lava jato de mulheres
1/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
2/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
3/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
4/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
5/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
6/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
7/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Lava jato de mulheres
8/8

Lava jato de mulheres

Mesmo em um universo predominantemente masculino, o local oferece o mesmo serviço com um adicional: o toque feminino (FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)