Taxista é indenizado por ter carro danificado por viatura da PM


Taxista é indenizado por ter carro danificado por viatura da PM

O taxista estava com o táxi na Avenida Pontes Vieira, quando foi atingido pela viatura guiada por um soldado da PM, que passou em alta velocidade

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

8 de abril de 2013 às 18:33

Há 6 anos

O governo do Ceará deve pagar indenização de R$ 14.140 a um taxista que teve o veículo danificado por uma viatura da Polícia Militar (PM). A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico nesta segunda-feira (8).

Segundo o processo, o taxista estava com o táxi na Avenida Pontes Vieira, quando foi atingido pela viatura guiada por um soldado da PM, que passou em alta velocidade. O sinistro ocorreu no dia 6 de novembro de 2005, no Bairro São João do Tauape, em Fortaleza.

O taxista afirmou que não foi socorrido pelos policiais. Ele recebeu ajuda de particular, que o levou até o Instituto Dr. José Frota (IJF), de onde foi encaminhado para o hospital Pronto Socorro dos Acidentados. Ao ser atendido, foram constatados hematomas, contusões nas pernas e coxas, além outras escoriações no corpo.

A vítima ficou impossibilitada de trabalhar e não recebeu auxílio do Estado. Além disso, teve prejuízos porque mandou consertar o carro danificado. Por isso, pediu indenização por danos morais e materiais. Na contestação, o ente público defendeu que o taxista se aproveitou do acidente e incluiu, no orçamento do conserto, reparos além do previsto pela perícia.

Ao analisar o caso, o magistrado Joaquim Vieira Cavalcante Neto, titular da 4ª Vara da Fazenda Pública de Fortaleza, entendeu haver responsabilidade civil do Estado e determinou o pagamento de R$ 8 mil por danos morais e R$ 6.140 a título de reparação material. “A existência do dano é irrefutável. O boletim de ocorrência, laudo pericial, exame de corpo de delito atestam, sem sombra de dúvidas, as condições em que se deu a colisão reportada e as lesões sofridas pelo autor e ao seu veículo, utilizado como meio de sua subsistência e de sua família”, destacou.

Publicidade

Dê sua opinião

Taxista é indenizado por ter carro danificado por viatura da PM

O taxista estava com o táxi na Avenida Pontes Vieira, quando foi atingido pela viatura guiada por um soldado da PM, que passou em alta velocidade

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

8 de abril de 2013 às 18:33

Há 6 anos

O governo do Ceará deve pagar indenização de R$ 14.140 a um taxista que teve o veículo danificado por uma viatura da Polícia Militar (PM). A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico nesta segunda-feira (8).

Segundo o processo, o taxista estava com o táxi na Avenida Pontes Vieira, quando foi atingido pela viatura guiada por um soldado da PM, que passou em alta velocidade. O sinistro ocorreu no dia 6 de novembro de 2005, no Bairro São João do Tauape, em Fortaleza.

O taxista afirmou que não foi socorrido pelos policiais. Ele recebeu ajuda de particular, que o levou até o Instituto Dr. José Frota (IJF), de onde foi encaminhado para o hospital Pronto Socorro dos Acidentados. Ao ser atendido, foram constatados hematomas, contusões nas pernas e coxas, além outras escoriações no corpo.

A vítima ficou impossibilitada de trabalhar e não recebeu auxílio do Estado. Além disso, teve prejuízos porque mandou consertar o carro danificado. Por isso, pediu indenização por danos morais e materiais. Na contestação, o ente público defendeu que o taxista se aproveitou do acidente e incluiu, no orçamento do conserto, reparos além do previsto pela perícia.

Ao analisar o caso, o magistrado Joaquim Vieira Cavalcante Neto, titular da 4ª Vara da Fazenda Pública de Fortaleza, entendeu haver responsabilidade civil do Estado e determinou o pagamento de R$ 8 mil por danos morais e R$ 6.140 a título de reparação material. “A existência do dano é irrefutável. O boletim de ocorrência, laudo pericial, exame de corpo de delito atestam, sem sombra de dúvidas, as condições em que se deu a colisão reportada e as lesões sofridas pelo autor e ao seu veículo, utilizado como meio de sua subsistência e de sua família”, destacou.