Transexual cearense tem mudança de nome e gênero autorizada na Justiça


Transexual cearense tem mudança de nome e gênero autorizada na Justiça

Operação de mudança de sexo foi realizada na Tailândia

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

2 de fevereiro de 2013 às 16:55

Há 6 anos

O juiz Wotton Ricardo Pinheiro da Silva, respondendo pela 15ª Vara de Família da Comarca de Fortaleza, determinou a alteração de nome e do gênero no registro civil de transexual cearense. Operação de mudança de sexo foi realizada em Bangkok, na Tailândia.

A transexual havia alegado que, apesar de ter nascido com o sexo masculino, desde criança apresenta características físicas e psicológicas femininas. Por conta disso, sofreu fortes constrangimentos durante a infância e e a adolescência.

Aos 22 anos, após concluir a faculdade e conquistar autonomia financeira, passou a se apresentar no meio social como mulher e, desde então, adotou nome feminino. A cirurgia de mudança de sexo foi realizada em julho de 2012. Em dezembro do mesmo ano, ingressou com ação judicial buscando alterar a documentação.

O magistrado acatou o pedido, considerando-o justo. “Decidir de outra forma seria negar algo evidente, condenando o autor a conviver com documentos que não condizem com sua situação biotipológica, com seu comportamento físico e mental”, afirmou na sentença.

Com informações do TJCE

Publicidade

Dê sua opinião

Transexual cearense tem mudança de nome e gênero autorizada na Justiça

Operação de mudança de sexo foi realizada na Tailândia

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

2 de fevereiro de 2013 às 16:55

Há 6 anos

O juiz Wotton Ricardo Pinheiro da Silva, respondendo pela 15ª Vara de Família da Comarca de Fortaleza, determinou a alteração de nome e do gênero no registro civil de transexual cearense. Operação de mudança de sexo foi realizada em Bangkok, na Tailândia.

A transexual havia alegado que, apesar de ter nascido com o sexo masculino, desde criança apresenta características físicas e psicológicas femininas. Por conta disso, sofreu fortes constrangimentos durante a infância e e a adolescência.

Aos 22 anos, após concluir a faculdade e conquistar autonomia financeira, passou a se apresentar no meio social como mulher e, desde então, adotou nome feminino. A cirurgia de mudança de sexo foi realizada em julho de 2012. Em dezembro do mesmo ano, ingressou com ação judicial buscando alterar a documentação.

O magistrado acatou o pedido, considerando-o justo. “Decidir de outra forma seria negar algo evidente, condenando o autor a conviver com documentos que não condizem com sua situação biotipológica, com seu comportamento físico e mental”, afirmou na sentença.

Com informações do TJCE