Greve de ônibus em Fortaleza tem início na madrugada desta terça-feira


Greve de ônibus em Fortaleza tem início na madrugada desta terça-feira

Não houve acordo na reunião desta segunda entre os sindicatos dos motoristas e das empresas de ônibus. Trabalhadores querem reajuste de 13%

Por Marianna Gomes em Mobilidade Urbana

6 de julho de 2015 às 17:51

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/2/2015/07/101

Sem acordo, categoria paralisará atividades a partir desta terça-feira (8). (FOTO: Rosana Romão/ Tribuna do Ceará)

Atualizada às 18h

Em reunião na tarde desta segunda-feira (6), entre Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro) e Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), não houve acordo entre as partes. Com isso, a categoria decidiu paralisar as atividades partir da 0h desta terça-feira (7), e por tempo indeterminado.

Em estado de greve desde o dia 13 de junho, a classe reivindica aumento de 13% no salário, assim como no valor da cesta básica para R$ 130 e vale-refeição para R$ 13, além da melhoria na jornada de trabalho. A proposta do Sindiônibus é de reajuste salarial de 8,34%.

Em nota, o Sindiônibus informa que está determinando que as empresas associadas programem a circulação de 100% da frota de ônibus de Fortaleza e, numa atitude preventiva, para garantir a capacidade de deslocamento da população, solicitou ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) o estabelecimento de percentuais mínimos de frota de 80% em horário de pico, e 60% nos demais horários.

Paralisações

Em 2015, os motoristas já paralisaram e fecharam terminais de integração em Fortaleza e a rodoviária Engenheiro João Tomé. No dia 29 de maio, passageiros foram surpreendidos com paralisação no período da manhã. É que a categorias de trabalhadores, em todo o país, mobilizou-se pelo Dia Nacional de Paralisação.

No dia 7 de abril, os ônibus paralisaram durante a manhã e provocaram demora e superlotação. Além de Fortaleza, os motoristas da Região Metropolitana também aderiram ao movimento em razão do Dia Nacional de Lutas em Defesa dos Direitos da Classe Trabalhadora. Já no dia 18 de junho, motoristas fecharam o terminal do Antonio Bezerra pela terceira vez.

Publicidade

Dê sua opinião

Greve de ônibus em Fortaleza tem início na madrugada desta terça-feira

Não houve acordo na reunião desta segunda entre os sindicatos dos motoristas e das empresas de ônibus. Trabalhadores querem reajuste de 13%

Por Marianna Gomes em Mobilidade Urbana

6 de julho de 2015 às 17:51

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/2/2015/07/101

Sem acordo, categoria paralisará atividades a partir desta terça-feira (8). (FOTO: Rosana Romão/ Tribuna do Ceará)

Atualizada às 18h

Em reunião na tarde desta segunda-feira (6), entre Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro) e Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), não houve acordo entre as partes. Com isso, a categoria decidiu paralisar as atividades partir da 0h desta terça-feira (7), e por tempo indeterminado.

Em estado de greve desde o dia 13 de junho, a classe reivindica aumento de 13% no salário, assim como no valor da cesta básica para R$ 130 e vale-refeição para R$ 13, além da melhoria na jornada de trabalho. A proposta do Sindiônibus é de reajuste salarial de 8,34%.

Em nota, o Sindiônibus informa que está determinando que as empresas associadas programem a circulação de 100% da frota de ônibus de Fortaleza e, numa atitude preventiva, para garantir a capacidade de deslocamento da população, solicitou ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) o estabelecimento de percentuais mínimos de frota de 80% em horário de pico, e 60% nos demais horários.

Paralisações

Em 2015, os motoristas já paralisaram e fecharam terminais de integração em Fortaleza e a rodoviária Engenheiro João Tomé. No dia 29 de maio, passageiros foram surpreendidos com paralisação no período da manhã. É que a categorias de trabalhadores, em todo o país, mobilizou-se pelo Dia Nacional de Paralisação.

No dia 7 de abril, os ônibus paralisaram durante a manhã e provocaram demora e superlotação. Além de Fortaleza, os motoristas da Região Metropolitana também aderiram ao movimento em razão do Dia Nacional de Lutas em Defesa dos Direitos da Classe Trabalhadora. Já no dia 18 de junho, motoristas fecharam o terminal do Antonio Bezerra pela terceira vez.