Pai pedala por duas horas em Fortaleza para formar nome e idade da filha em mapa


Pai pedala por duas horas em Fortaleza para formar nome e idade da filha em mapa

Para homenagear a filha no aniversário, o arquiteto Claudio Santos percorreu 20 ruas por cerca de 2 horas para formar letras e números

Por Marianna Gomes em Mobilidade Urbana

28 de setembro de 2015 às 14:42

Há 4 anos
Marina Faz 17

Cláudio percorreu 20 ruas entre os bairros Aldeota e Meireles, o que durou cerca de 2 horas de trajeto. (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A manhã do último domingo (27) proporcionou uma surpresa inusitada para adolescente Marina Freire, que completava 17 anos. Enquanto ela ensaiava ensaiava hip hop com amigas, mal sabia que seu pai, o arquiteto Claudio Santos, de 52 anos, pedalava em sua homenagem pelas ruas de Fortaleza. No trajeto, vias dos bairros Meireles e Aldeota aos poucos tomavam a forma do nome  e da nova idade da filha.

O responsável por formar o desenho foi o aplicativo esportivo Strava, que permite gravar os percursos de quem corre e pedala. Foi nele que o arquiteto se inspirou. “Já tinha vistou outros nomes e desenhos feitos com ele, e como eu sempre gostei de inovar nesse negócio de presentes, quis fazer algo inusitado”, conta Claudio, que percorreu cerca de 20 ruas das 6h50 às 9h.

O arquiteto revela que por ter sido navegador de rali, o senso de direção que aprendeu a ter auxiliou no planejamento e criação do trajeto. “Peguei o mapa de Fortaleza, dos bairros que eu queria pedalar e coloquei no computador. Imprimi e escrevi o nome e os 17 da Marina por cima, traçando as rotas que tinha que percorrer para formar o desenho. Coloquei o papel no guidão da minha bicicleta e fui pedalar”, detalha.

Claudio e marina 1

Embora tenha tido vários obstáculos no caminho, o pai não desistiu da homenagem para Marina. (FOTO: Arquivo pessoal)

Não foi fácil percorrer o trajeto. O arquiteto relata que no meio do caminho começou a chover, o que fez com que o nome de Marina borrasse. “Mas não desisti, e quando a chuva parou, esperei o papel secar e continuei”, lembra.

Outro momento em que pareceu o pai pensou que não conseguiria fazer a surpresa para a filha foi quando, sem querer, ele fez com que marcação do trajeto no aplicativo parasse. “O nome ainda não estava formado, e eu tive que voltar ao início do percurso e fazer tudo de novo”. No total, foram 28 quilômetros pedalados, de ida e recomeço.

Ao ver a homenagem que o pai fez,  na captura de tela do aplicativo que ele enviou ao grupo da família no WhatsApp, a emoção de Marina foi imediata. “De manhã eu vi ele andando de bicicleta, mas eu nunca imaginei que ele estava planejando alguma coisa assim. Quando eu cheguei do ensaio e fui olhar meu celular, eu nem acreditei no que ele tinha mandado. Foi o melhor presente que eu já recebi na vida!“, comemora.

 

Publicidade

Dê sua opinião

Pai pedala por duas horas em Fortaleza para formar nome e idade da filha em mapa

Para homenagear a filha no aniversário, o arquiteto Claudio Santos percorreu 20 ruas por cerca de 2 horas para formar letras e números

Por Marianna Gomes em Mobilidade Urbana

28 de setembro de 2015 às 14:42

Há 4 anos
Marina Faz 17

Cláudio percorreu 20 ruas entre os bairros Aldeota e Meireles, o que durou cerca de 2 horas de trajeto. (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A manhã do último domingo (27) proporcionou uma surpresa inusitada para adolescente Marina Freire, que completava 17 anos. Enquanto ela ensaiava ensaiava hip hop com amigas, mal sabia que seu pai, o arquiteto Claudio Santos, de 52 anos, pedalava em sua homenagem pelas ruas de Fortaleza. No trajeto, vias dos bairros Meireles e Aldeota aos poucos tomavam a forma do nome  e da nova idade da filha.

O responsável por formar o desenho foi o aplicativo esportivo Strava, que permite gravar os percursos de quem corre e pedala. Foi nele que o arquiteto se inspirou. “Já tinha vistou outros nomes e desenhos feitos com ele, e como eu sempre gostei de inovar nesse negócio de presentes, quis fazer algo inusitado”, conta Claudio, que percorreu cerca de 20 ruas das 6h50 às 9h.

O arquiteto revela que por ter sido navegador de rali, o senso de direção que aprendeu a ter auxiliou no planejamento e criação do trajeto. “Peguei o mapa de Fortaleza, dos bairros que eu queria pedalar e coloquei no computador. Imprimi e escrevi o nome e os 17 da Marina por cima, traçando as rotas que tinha que percorrer para formar o desenho. Coloquei o papel no guidão da minha bicicleta e fui pedalar”, detalha.

Claudio e marina 1

Embora tenha tido vários obstáculos no caminho, o pai não desistiu da homenagem para Marina. (FOTO: Arquivo pessoal)

Não foi fácil percorrer o trajeto. O arquiteto relata que no meio do caminho começou a chover, o que fez com que o nome de Marina borrasse. “Mas não desisti, e quando a chuva parou, esperei o papel secar e continuei”, lembra.

Outro momento em que pareceu o pai pensou que não conseguiria fazer a surpresa para a filha foi quando, sem querer, ele fez com que marcação do trajeto no aplicativo parasse. “O nome ainda não estava formado, e eu tive que voltar ao início do percurso e fazer tudo de novo”. No total, foram 28 quilômetros pedalados, de ida e recomeço.

Ao ver a homenagem que o pai fez,  na captura de tela do aplicativo que ele enviou ao grupo da família no WhatsApp, a emoção de Marina foi imediata. “De manhã eu vi ele andando de bicicleta, mas eu nunca imaginei que ele estava planejando alguma coisa assim. Quando eu cheguei do ensaio e fui olhar meu celular, eu nem acreditei no que ele tinha mandado. Foi o melhor presente que eu já recebi na vida!“, comemora.