Taxistas fazem carreata em protesto contra o aplicativo Uber em Fortaleza

CARONAS PAGAS

Taxistas fazem carreata em protesto contra o aplicativo Uber em Fortaleza

Objetivo é cobrar dos vereadores a votação de projetos que proíbam o serviço na capital, que iniciou em abril

Por Roberta Tavares em Mobilidade Urbana

11 de maio de 2016 às 09:19

Há 3 anos
protesto

Protesto dos taxistas bloqueou avenidas em Fortaleza. (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Os taxistas de Fortaleza protestam, na manhã desta quarta-feira (11), contra o aplicativo de caronas pagas Uber. A concentração iniciou às 6h, na Avenida Leste-Oeste, e bloqueou duas faixas da via. Com cartazes e palavras de ordem, a categoria quer cobrar dos vereadores a votação de projetos de lei que proíbam a execução do serviço na capital.

Cerca de 150 taxistas seguem até a Câmara Municipal de Fortaleza. A carreata, segundo o presidente do Sindicato dos Taxistas do Ceará (Sinditáxi), Vicente de Paula, saiu às 9h da Avenida Leste-Oeste. O trajeto inclui as Avenidas Monsenhor Tabosa, Abolição, Virgílio Távora e Rogaciano Leite.

“Não queremos colocar a população contra a categoria. Somos cadastrados. Somos registrados. É isso que o queremos passar para as pessoas”, afirma Vicente, acrescentando que outros taxistas sairiam dos Bairros Henrique Jorge e Conjunto Ceará em direção à CMFor.

Veja as fotos:

PROTESTO TAXISTAS
1/3

PROTESTO TAXISTAS

Categoria se concentrou desde as 6h na Avenida Leste-Oeste (FOTO: Pâmela Marinho/TV Jangadeiro)

PROTESTO TAXISTAS
2/3

PROTESTO TAXISTAS

Categoria se concentrou desde as 6h na Avenida Leste-Oeste (FOTO: Pâmela Marinho/TV Jangadeiro)

PROTESTO TAXISTAS
3/3

PROTESTO TAXISTAS

Categoria se concentrou desde as 6h na Avenida Leste-Oeste (FOTO: Pâmela Marinho/TV Jangadeiro)

 

Protesto no Aeroporto

No final da tarde de terça-feira (10), taxistas bloquearam as entradas do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. O ato foi realizado em solidariedade à categoria em São Paulo. “O nosso movimento pacífico é solidário aos taxistas que foram surpreendidos com a regulamentação do aplicativo, por meio de decreto”, disse o motorista Anderson Dantas, em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

O protesto, que durou cerca de 1h30, também teve a finalidade de chamar atenção para o prejuízo causado com a chegada do Uber à capital cearense no dia 30 de abril. “O prejuízo é notório, porque não existe demanda para tanta oferta de serviço. São 501 habitantes para cada veículo. Fortaleza não comporta tantos veículos ofertando o mesmo serviço”.

Conforme a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), até então, o transporte é considerado irregular e ilegal, sendo o veículo passível de multa e apreensão, segundo lei de n° 7163 de 30 de junho de 1992, que proíbe o transporte remunerado de passageiros em veículo não-autorizado pela Prefeitura de Fortaleza.

“A regulamentação ou proibição do serviço Uber ainda está em discussão no âmbito da Câmara Municipal de Fortaleza. A Etufor, como órgão do Poder Executivo, não formula, a piori, juízo de valor sobre o tema”, afirmou a nota.

Taxistas bloquearam entradas do Aeroporto de Fortaleza em protesto (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Taxistas bloquearam entradas do Aeroporto de Fortaleza em protesto (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Resposta do Uber

A empresa Uber informou que “é completamente legal, já que os motoristas parceiros prestam o serviço de transporte individual privado, que tem respaldo na Constituição Federal e é previsto em lei federal”. A assessoria acrescentou que em diversas cidades em que o aplicativo opera percebem-se decisões que reforçam a legalidade do serviço.

Segundo a empresa, antes de aprovar um motorista como parceiro da Uber, é feita uma checagem de antecedentes nas esferas federal e estadual para verificar a idoneidade do aplicante. Ele precisa ser um motorista profissional, ou seja, deve possuir carteira de motorista com licença para exercer atividade remunerada (EAR). Além disso, após cada viagem, o motorista parceiro avalia o usuário, e o usuário avalia o motorista parceiro, que precisa ter média 4,6 de 1 a 5 estrelas para continuar a trabalhar com a Uber.

“Todos os documentos dos carros também são checados. É necessário apresentar a Certidão de Registro e Licenciamento do Veículo, Bilhete de DPVAT do ano corrente e apólice de seguro com cobertura a partir de R$ 50 mil por passageiro”, conclui a nota.

Publicidade

Dê sua opinião

CARONAS PAGAS

Taxistas fazem carreata em protesto contra o aplicativo Uber em Fortaleza

Objetivo é cobrar dos vereadores a votação de projetos que proíbam o serviço na capital, que iniciou em abril

Por Roberta Tavares em Mobilidade Urbana

11 de maio de 2016 às 09:19

Há 3 anos
protesto

Protesto dos taxistas bloqueou avenidas em Fortaleza. (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Os taxistas de Fortaleza protestam, na manhã desta quarta-feira (11), contra o aplicativo de caronas pagas Uber. A concentração iniciou às 6h, na Avenida Leste-Oeste, e bloqueou duas faixas da via. Com cartazes e palavras de ordem, a categoria quer cobrar dos vereadores a votação de projetos de lei que proíbam a execução do serviço na capital.

Cerca de 150 taxistas seguem até a Câmara Municipal de Fortaleza. A carreata, segundo o presidente do Sindicato dos Taxistas do Ceará (Sinditáxi), Vicente de Paula, saiu às 9h da Avenida Leste-Oeste. O trajeto inclui as Avenidas Monsenhor Tabosa, Abolição, Virgílio Távora e Rogaciano Leite.

“Não queremos colocar a população contra a categoria. Somos cadastrados. Somos registrados. É isso que o queremos passar para as pessoas”, afirma Vicente, acrescentando que outros taxistas sairiam dos Bairros Henrique Jorge e Conjunto Ceará em direção à CMFor.

Veja as fotos:

PROTESTO TAXISTAS
1/3

PROTESTO TAXISTAS

Categoria se concentrou desde as 6h na Avenida Leste-Oeste (FOTO: Pâmela Marinho/TV Jangadeiro)

PROTESTO TAXISTAS
2/3

PROTESTO TAXISTAS

Categoria se concentrou desde as 6h na Avenida Leste-Oeste (FOTO: Pâmela Marinho/TV Jangadeiro)

PROTESTO TAXISTAS
3/3

PROTESTO TAXISTAS

Categoria se concentrou desde as 6h na Avenida Leste-Oeste (FOTO: Pâmela Marinho/TV Jangadeiro)

 

Protesto no Aeroporto

No final da tarde de terça-feira (10), taxistas bloquearam as entradas do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. O ato foi realizado em solidariedade à categoria em São Paulo. “O nosso movimento pacífico é solidário aos taxistas que foram surpreendidos com a regulamentação do aplicativo, por meio de decreto”, disse o motorista Anderson Dantas, em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

O protesto, que durou cerca de 1h30, também teve a finalidade de chamar atenção para o prejuízo causado com a chegada do Uber à capital cearense no dia 30 de abril. “O prejuízo é notório, porque não existe demanda para tanta oferta de serviço. São 501 habitantes para cada veículo. Fortaleza não comporta tantos veículos ofertando o mesmo serviço”.

Conforme a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), até então, o transporte é considerado irregular e ilegal, sendo o veículo passível de multa e apreensão, segundo lei de n° 7163 de 30 de junho de 1992, que proíbe o transporte remunerado de passageiros em veículo não-autorizado pela Prefeitura de Fortaleza.

“A regulamentação ou proibição do serviço Uber ainda está em discussão no âmbito da Câmara Municipal de Fortaleza. A Etufor, como órgão do Poder Executivo, não formula, a piori, juízo de valor sobre o tema”, afirmou a nota.

Taxistas bloquearam entradas do Aeroporto de Fortaleza em protesto (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Taxistas bloquearam entradas do Aeroporto de Fortaleza em protesto (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Resposta do Uber

A empresa Uber informou que “é completamente legal, já que os motoristas parceiros prestam o serviço de transporte individual privado, que tem respaldo na Constituição Federal e é previsto em lei federal”. A assessoria acrescentou que em diversas cidades em que o aplicativo opera percebem-se decisões que reforçam a legalidade do serviço.

Segundo a empresa, antes de aprovar um motorista como parceiro da Uber, é feita uma checagem de antecedentes nas esferas federal e estadual para verificar a idoneidade do aplicante. Ele precisa ser um motorista profissional, ou seja, deve possuir carteira de motorista com licença para exercer atividade remunerada (EAR). Além disso, após cada viagem, o motorista parceiro avalia o usuário, e o usuário avalia o motorista parceiro, que precisa ter média 4,6 de 1 a 5 estrelas para continuar a trabalhar com a Uber.

“Todos os documentos dos carros também são checados. É necessário apresentar a Certidão de Registro e Licenciamento do Veículo, Bilhete de DPVAT do ano corrente e apólice de seguro com cobertura a partir de R$ 50 mil por passageiro”, conclui a nota.