Músico cearense é convidado para seletiva em universidade de Nova York

MÚSICA MUDA VIDA

Músico cearense é convidado para seletiva em universidade de Nova York

Gustavo Silveira teve seu primeiro violão aos 9 anos e hoje, aos 18, prepara-se para fazer as últimas provas do Hunter College

Por Tribuna do Ceará em Perfil

6 de maio de 2019 às 07:00

Há 2 meses
Gustavo ganhou seu primeiro violão aos nove anos (FOTO: Vovó Dedé)

Gustavo ganhou seu primeiro violão aos 9 anos (FOTO: Vovó Dedé)

Viver para música é tarefa árdua para muitos, mas quem tem amor pelo que faz consegue alcançar longos vôos. Gustavo Silveira, aos 18 anos, se prepara para estudar em uma universidade pública dos Estados Unidos.

Sua história com a música começou cedo. Aos 9 anos, Gustavo teve o primeiro contato com o instrumento que iria fazê-lo chegar a América. “Aprendi violão pela internet e em aulas com meu primo”.

A música sempre esteve presente em sua vida. Sua mãe, Glória Maria, possui o projeto Centro de Integração Social (CIS), no bairro Vila Velha, e lá ele pôde ter contato com outros instrumentos como o violino. “O projeto envolve todos os moradores do bairro, não só de música, mas também oficinas de costura, computação…”.

Aluno do curso técnico em instrumento musical e integrante da Camerata de violões do Instituto Federal do Ceará (IFCE), Gustavo fala com orgulho de professores que ajudaram em sua trajetória. Um deles é Eddy Lincolln. “Eu o conheci porque queria estudar violão clássico, que é outra maneira de você tocar o repertório da música como clássica, barroca e renascentista”.

Ao longo de sua carreira, o estudante participou de vários festivais. “Ganhei premiações em São Paulo, dois concursos internacionais de violão e já participei de outros em Natal e Minas Gerais”.

A dedicação o levou longe. Gustavo foi convidado para seletiva do Hunter College, que fica em Nova York. “Esse convite surgiu através do projeto João Luiz Rezende, que sempre está aqui ministrando aulas nas oficinas de violão do festival Eleazar de Carvalho”.

(FOTO: Arquivo Pessoal)

Gustavo Silveira vê a oportunidade de viver da música (FOTO: Arquivo Pessoal)

A primeira participação de Gustavo no festival foi em 2014, onde ele ganhou o premio destaque de melhor aluno. “O João sempre vinha me observando. Quando foi em 2016/2017 ele já deixou claro que queria me levar para estudar com ele fora”.

O professor João Luiz leciona em duas universidades nos Estados Unidos. “Eu esperei terminar o ensino médio e já fui me preparando, estudando inglês e resolvendo essa parte mais burocrática”.

Em fevereiro, Gustavo foi até os Estados Unidos e passou nas duas primeiras provas do teste de seleção para o Hunter College e aguarda o restante do processo seletivo.

Publicidade

Dê sua opinião

MÚSICA MUDA VIDA

Músico cearense é convidado para seletiva em universidade de Nova York

Gustavo Silveira teve seu primeiro violão aos 9 anos e hoje, aos 18, prepara-se para fazer as últimas provas do Hunter College

Por Tribuna do Ceará em Perfil

6 de maio de 2019 às 07:00

Há 2 meses
Gustavo ganhou seu primeiro violão aos nove anos (FOTO: Vovó Dedé)

Gustavo ganhou seu primeiro violão aos 9 anos (FOTO: Vovó Dedé)

Viver para música é tarefa árdua para muitos, mas quem tem amor pelo que faz consegue alcançar longos vôos. Gustavo Silveira, aos 18 anos, se prepara para estudar em uma universidade pública dos Estados Unidos.

Sua história com a música começou cedo. Aos 9 anos, Gustavo teve o primeiro contato com o instrumento que iria fazê-lo chegar a América. “Aprendi violão pela internet e em aulas com meu primo”.

A música sempre esteve presente em sua vida. Sua mãe, Glória Maria, possui o projeto Centro de Integração Social (CIS), no bairro Vila Velha, e lá ele pôde ter contato com outros instrumentos como o violino. “O projeto envolve todos os moradores do bairro, não só de música, mas também oficinas de costura, computação…”.

Aluno do curso técnico em instrumento musical e integrante da Camerata de violões do Instituto Federal do Ceará (IFCE), Gustavo fala com orgulho de professores que ajudaram em sua trajetória. Um deles é Eddy Lincolln. “Eu o conheci porque queria estudar violão clássico, que é outra maneira de você tocar o repertório da música como clássica, barroca e renascentista”.

Ao longo de sua carreira, o estudante participou de vários festivais. “Ganhei premiações em São Paulo, dois concursos internacionais de violão e já participei de outros em Natal e Minas Gerais”.

A dedicação o levou longe. Gustavo foi convidado para seletiva do Hunter College, que fica em Nova York. “Esse convite surgiu através do projeto João Luiz Rezende, que sempre está aqui ministrando aulas nas oficinas de violão do festival Eleazar de Carvalho”.

(FOTO: Arquivo Pessoal)

Gustavo Silveira vê a oportunidade de viver da música (FOTO: Arquivo Pessoal)

A primeira participação de Gustavo no festival foi em 2014, onde ele ganhou o premio destaque de melhor aluno. “O João sempre vinha me observando. Quando foi em 2016/2017 ele já deixou claro que queria me levar para estudar com ele fora”.

O professor João Luiz leciona em duas universidades nos Estados Unidos. “Eu esperei terminar o ensino médio e já fui me preparando, estudando inglês e resolvendo essa parte mais burocrática”.

Em fevereiro, Gustavo foi até os Estados Unidos e passou nas duas primeiras provas do teste de seleção para o Hunter College e aguarda o restante do processo seletivo.