Estudante transexual da UFC faz denúncia de estupro dentro do Campus


Estudante transexual da UFC faz denúncia de estupro dentro do Campus

A estudante pegou carona com um desconhecido por alegar falta de ônibus no Campus da instituição de ensino

Por jangadeiro em Polícia

18 de maio de 2019 às 16:39

Há 1 mês
O crime aconteceu ainda dentro do Campus, segundo a vítima. (FOTO: Flickr/Nivardo Cavalcante)

O crime aconteceu ainda dentro do Campus, segundo a vítima. (FOTO: Flickr/Nivardo Cavalcante)

Uma universitária transexual prestou queixa no 10º Distrito Policial sob alegação de ter sido estuprada após pegar carona dentro do Campus da Universidade Federal do Ceará. O Crime aconteceu na tarde desta sexta-feira (17), de acordo com a vítima que é estudante do curso de Edução Física na entidade.

De acordo com a aluna e também o Centro Acadêmico de Educação Física da UFC (IEFES) , o bloco do curso (320) não tem sido contemplado com linha de ônibus do transporte público. Isso obriga os estudantes e se submeterem a escolha entre dois perigos: carona com estranhos ou andar a pé em trechos sem movimentação, a esmo.

A vítima optou pela carona com desconhecido. O motorista fez uso de uma arma para depois praticar o estupro, descreve uma nota do IEFES publicada na rede social Facebook. O caso foi denunciado na delegacia plantonista da região, o 10º Distrito Policial. Mas, a partir de segunda-feira (20), será investigado pelo 27º DP, para onde será transferido.

A direção da Universidade já emitiu nota prestando de apoio que já se deu de forma efetiva logo após a queixa. A aluna foi levada para um hospital e também para fazer exames no Instituto Médico Legal (IML). A entidade, no entanto, nega a falta da cobertura de ônibus no bloco 320 e reafirma que os veículos passam pelo local.

Ainda assim, a direção do Centro Acadêmica organizou uma mobilização para protestar a falta de segurança e de ônibus para os mais de 700 alunos de Educação Física que frequentam a instituição de ensino diariamente, nos três turnos de aulas. A manifestação está marcada para acontecer a partir das 10 horas da manhã de segunda-feira (20).

Publicidade

Dê sua opinião

Estudante transexual da UFC faz denúncia de estupro dentro do Campus

A estudante pegou carona com um desconhecido por alegar falta de ônibus no Campus da instituição de ensino

Por jangadeiro em Polícia

18 de maio de 2019 às 16:39

Há 1 mês
O crime aconteceu ainda dentro do Campus, segundo a vítima. (FOTO: Flickr/Nivardo Cavalcante)

O crime aconteceu ainda dentro do Campus, segundo a vítima. (FOTO: Flickr/Nivardo Cavalcante)

Uma universitária transexual prestou queixa no 10º Distrito Policial sob alegação de ter sido estuprada após pegar carona dentro do Campus da Universidade Federal do Ceará. O Crime aconteceu na tarde desta sexta-feira (17), de acordo com a vítima que é estudante do curso de Edução Física na entidade.

De acordo com a aluna e também o Centro Acadêmico de Educação Física da UFC (IEFES) , o bloco do curso (320) não tem sido contemplado com linha de ônibus do transporte público. Isso obriga os estudantes e se submeterem a escolha entre dois perigos: carona com estranhos ou andar a pé em trechos sem movimentação, a esmo.

A vítima optou pela carona com desconhecido. O motorista fez uso de uma arma para depois praticar o estupro, descreve uma nota do IEFES publicada na rede social Facebook. O caso foi denunciado na delegacia plantonista da região, o 10º Distrito Policial. Mas, a partir de segunda-feira (20), será investigado pelo 27º DP, para onde será transferido.

A direção da Universidade já emitiu nota prestando de apoio que já se deu de forma efetiva logo após a queixa. A aluna foi levada para um hospital e também para fazer exames no Instituto Médico Legal (IML). A entidade, no entanto, nega a falta da cobertura de ônibus no bloco 320 e reafirma que os veículos passam pelo local.

Ainda assim, a direção do Centro Acadêmica organizou uma mobilização para protestar a falta de segurança e de ônibus para os mais de 700 alunos de Educação Física que frequentam a instituição de ensino diariamente, nos três turnos de aulas. A manifestação está marcada para acontecer a partir das 10 horas da manhã de segunda-feira (20).