Investigações sobre integrantes do PCC continuam no Ceará


Investigações sobre integrantes do PCC continuam no Ceará

O Ministério Público de São Paulo fez um levantamento que apontava a existência de 120 integrantes da maior facção criminosa do país

Por Tribuna do Ceará em Polícia

17 de outubro de 2013 às 14:45

Há 6 anos

As investigações sobre os integrantes cearenses do Primeiro Comando da Capital (PCC) continuam em pauta na segurança do estado. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) solicitou ao Ministério Público do Estado de São Paulo“informações pormenorizadas” acerca das informações sobre possível atuação de criminosos ligados a facção no Ceará.

A intenção, segundo ainda o documento é “adotar as medidas atinentes às providências que deverão ser efetivadas pelo sistema de segurança pública do Estado do Ceará”.

120 membros no Ceará

O Ministério Público de São Paulo fez um levantamento que apontava a existência de 120 integrantes da maior facção criminosa do país, sendo 69 presos e 51 soltos somente no Ceará. A principal atividade desenvolvida pela facção é tráfico de drogas.

Publicidade

Dê sua opinião

Investigações sobre integrantes do PCC continuam no Ceará

O Ministério Público de São Paulo fez um levantamento que apontava a existência de 120 integrantes da maior facção criminosa do país

Por Tribuna do Ceará em Polícia

17 de outubro de 2013 às 14:45

Há 6 anos

As investigações sobre os integrantes cearenses do Primeiro Comando da Capital (PCC) continuam em pauta na segurança do estado. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) solicitou ao Ministério Público do Estado de São Paulo“informações pormenorizadas” acerca das informações sobre possível atuação de criminosos ligados a facção no Ceará.

A intenção, segundo ainda o documento é “adotar as medidas atinentes às providências que deverão ser efetivadas pelo sistema de segurança pública do Estado do Ceará”.

120 membros no Ceará

O Ministério Público de São Paulo fez um levantamento que apontava a existência de 120 integrantes da maior facção criminosa do país, sendo 69 presos e 51 soltos somente no Ceará. A principal atividade desenvolvida pela facção é tráfico de drogas.