Operário é atingido por pedra ao se recusar a aderir à paralisação - Noticias


Operário é atingido por pedra ao se recusar a aderir à paralisação

Um operário da construção civil foi atingido por uma pedra na cabeça, por ter se recusado a aderir à paralisação da categoria, na manhã desta quinta-feira (12), no cruzamento das avenidas Padre Antônio Tomás com Engenheiro Santana Júnior, em Fortaleza.

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Polícia

12 de abril de 2012 às 11:28

Há 7 anos

Um operário da construção civil foi atingido por uma pedra na cabeça por ter se recusado a aderir à paralisação da categoria, na manhã desta quinta-feira (12), no cruzamento das avenidas Padre Antônio Tomás com Engenheiro Santana Júnior, em Fortaleza.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza, a vítima trabalhava na obra de reforma de uma loja próxima de onde o protesto estava sendo realizado. O acusado foi outro operário, que não aceitou o fato do outro não querer participar da manifestação.

Ferido, o trabalhador Etiniene Henrique foi socorrido ao hospital pela direção do Sindicato. A manifestação durou de 7h às 9h e foi a quarta da categoria que, desde a última terça-feira (3), vem parando as atividades por duas horas durante o expediente de trabalho.

De acordo com o Sindicato dos trabalhadores, a última proposta da categoria pedia aumento de 17%, cesta básica de R$ 80,00, além do pagamento de plano de saúde e melhores condições de trabalho. Os patrões, no entanto, só ofereceram reajuste salarial de 6,6% e cesta básica de R$ 40,00.

Sinduscon repudia

Em nota, o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE) repudiou a atitude de agressão ao operário Etiniene Henrique. Para o Sindicato, “atos de vandalismo em nada contribuem para um entendimento entre as partes, que possuem o mesmo objetivo: um justo acordo sobre o dissídio coletivo da categoria”.

Publicidade

Dê sua opinião

Operário é atingido por pedra ao se recusar a aderir à paralisação

Um operário da construção civil foi atingido por uma pedra na cabeça, por ter se recusado a aderir à paralisação da categoria, na manhã desta quinta-feira (12), no cruzamento das avenidas Padre Antônio Tomás com Engenheiro Santana Júnior, em Fortaleza.

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Polícia

12 de abril de 2012 às 11:28

Há 7 anos

Um operário da construção civil foi atingido por uma pedra na cabeça por ter se recusado a aderir à paralisação da categoria, na manhã desta quinta-feira (12), no cruzamento das avenidas Padre Antônio Tomás com Engenheiro Santana Júnior, em Fortaleza.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza, a vítima trabalhava na obra de reforma de uma loja próxima de onde o protesto estava sendo realizado. O acusado foi outro operário, que não aceitou o fato do outro não querer participar da manifestação.

Ferido, o trabalhador Etiniene Henrique foi socorrido ao hospital pela direção do Sindicato. A manifestação durou de 7h às 9h e foi a quarta da categoria que, desde a última terça-feira (3), vem parando as atividades por duas horas durante o expediente de trabalho.

De acordo com o Sindicato dos trabalhadores, a última proposta da categoria pedia aumento de 17%, cesta básica de R$ 80,00, além do pagamento de plano de saúde e melhores condições de trabalho. Os patrões, no entanto, só ofereceram reajuste salarial de 6,6% e cesta básica de R$ 40,00.

Sinduscon repudia

Em nota, o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE) repudiou a atitude de agressão ao operário Etiniene Henrique. Para o Sindicato, “atos de vandalismo em nada contribuem para um entendimento entre as partes, que possuem o mesmo objetivo: um justo acordo sobre o dissídio coletivo da categoria”.