Corte de terceirizados deve preservar serviços de atendimento à população


Corte de terceirizados deve preservar serviços de atendimento à população

Demissão de empregados terceirizados é medida para redução gastos no primeiro ano de governo

Por Pedro Alves em Política

28 de novembro de 2014 às 11:37

Há 5 anos
Assembleia Legislativa desconta salário de Camilo Santana por faltas no trabalho

Camilo demitirá terceirizados para enxugar máquina (foto: Divulgação)

Apesar de o governador eleito Camilo Santana (PT) ainda não ter definido em que áreas e proporções acontecerão os cortes nos empregados terceirizados do Governo do Estado, já existe definição de que as baixas não devem atingir funções relacionadas aos serviços diretos à população.

A informação é do deputado estadual Mauro Filho (Pros), membro da comissão de transição do governo estadual. “Ninguém pode cortar na ponta, no atendimento. Você tem que cortar no meio, na estrutura. É essa tarefa de acuidade que a comissão [de transição] vai ter que fazer”, afirmou o deputado, que tem acompanhado diariamente as reuniões de transição que acontecem no Palácio da Abolição.

No início da transição, Mauro afirmou que seria necessário aguardar o diagnóstico das secretarias de Saúde, Segurança e Educação – que, juntas, respondem por cerca de 80% dos gastos do governo – para se conhecer os primeiros detalhes de como acontecerão os cortes de terceirizados.

Nesta semana, após conclusão da análise das três secretarias de grande porte, o deputado evitou dar a dimensão dos cortes. Segundo ele, o governador eleito ainda vai analisar o diagnóstico desenvolvido pela comissão de transição, antes de definir detalhes. Ele evitou falar porcentagens ou valores. Segundo Mauro, o óbvio é que os cortes devem se concentrar nas pastas que mais incharam nos últimos anos.

Bastidores

Nos corredores do Palácio da Abolição, o anúncio de corte de terceirizados não agradou. Funcionários do Palácio comentam que terceirizados são os que mais colocam a “mão na massa”, além de terem os menores salários e o menor custo para a máquina estadual. Outro comentário que circula nos corredores do Palácio é o de que Camilo teria agendado para o dia 22 de dezembro o anúncio de seu secretariado. O próprio governador, no entanto, não confirma a data.

Nesta quinta-feira, o processo de transição alcançou 18 das 27 secretarias que compõem o Governo do Estado. Foram analisadas a Secretaria de Desenvolvimento Agrário e a Secretaria de Cultura, com a participação dos respectivos secretários Nelson Martins e Paulo Mamede. “Quero assumir o compromisso de investir1,5% do orçamento do Estado nesta área [Cultura]. A cultura é fator de educação, de oportunidades e será um eixo estratégico de desenvolvimento para o Ceará”, afirmou Camilo Santana.

Publicidade

Dê sua opinião

Corte de terceirizados deve preservar serviços de atendimento à população

Demissão de empregados terceirizados é medida para redução gastos no primeiro ano de governo

Por Pedro Alves em Política

28 de novembro de 2014 às 11:37

Há 5 anos
Assembleia Legislativa desconta salário de Camilo Santana por faltas no trabalho

Camilo demitirá terceirizados para enxugar máquina (foto: Divulgação)

Apesar de o governador eleito Camilo Santana (PT) ainda não ter definido em que áreas e proporções acontecerão os cortes nos empregados terceirizados do Governo do Estado, já existe definição de que as baixas não devem atingir funções relacionadas aos serviços diretos à população.

A informação é do deputado estadual Mauro Filho (Pros), membro da comissão de transição do governo estadual. “Ninguém pode cortar na ponta, no atendimento. Você tem que cortar no meio, na estrutura. É essa tarefa de acuidade que a comissão [de transição] vai ter que fazer”, afirmou o deputado, que tem acompanhado diariamente as reuniões de transição que acontecem no Palácio da Abolição.

No início da transição, Mauro afirmou que seria necessário aguardar o diagnóstico das secretarias de Saúde, Segurança e Educação – que, juntas, respondem por cerca de 80% dos gastos do governo – para se conhecer os primeiros detalhes de como acontecerão os cortes de terceirizados.

Nesta semana, após conclusão da análise das três secretarias de grande porte, o deputado evitou dar a dimensão dos cortes. Segundo ele, o governador eleito ainda vai analisar o diagnóstico desenvolvido pela comissão de transição, antes de definir detalhes. Ele evitou falar porcentagens ou valores. Segundo Mauro, o óbvio é que os cortes devem se concentrar nas pastas que mais incharam nos últimos anos.

Bastidores

Nos corredores do Palácio da Abolição, o anúncio de corte de terceirizados não agradou. Funcionários do Palácio comentam que terceirizados são os que mais colocam a “mão na massa”, além de terem os menores salários e o menor custo para a máquina estadual. Outro comentário que circula nos corredores do Palácio é o de que Camilo teria agendado para o dia 22 de dezembro o anúncio de seu secretariado. O próprio governador, no entanto, não confirma a data.

Nesta quinta-feira, o processo de transição alcançou 18 das 27 secretarias que compõem o Governo do Estado. Foram analisadas a Secretaria de Desenvolvimento Agrário e a Secretaria de Cultura, com a participação dos respectivos secretários Nelson Martins e Paulo Mamede. “Quero assumir o compromisso de investir1,5% do orçamento do Estado nesta área [Cultura]. A cultura é fator de educação, de oportunidades e será um eixo estratégico de desenvolvimento para o Ceará”, afirmou Camilo Santana.