Escolhido por Cid Gomes, Camilo Santana consolida apoio do grupo de Luizianne Lins


Escolhido por Cid Gomes, Camilo Santana consolida apoio do grupo de Luizianne Lins

Membros dissidentes do PT prometem fazer uma “segunda” campanha para Camilo, com materiais produzidos em vermelho

Por Pedro Alves em Política

23 de julho de 2014 às 12:14

Há 5 anos
Camilo Santana

Camilo, em entrevista à Tribuna Band News, no dia 18 de julho (foto: Divulgação)

Lançado pelo governador Cid Gomes (Pros), o candidato ao Palácio da Abolição, Camilo Santana (PT), consolidou esta semana o apoio à sua campanha de membros do grupo político ligado à ex-prefeita Luizianne Lins (PT) – opositora de Cid. Nesta terça-feira, vereadores petistas, o senador José Pimentel (PT) e o ex-articulador político da gestão Luizianne, Waldemir Catanho (PT), participaram de encontro reservado com Camilo, no apartamento do candidato, em Fortaleza. No dia anterior, encontro do diretório estadual do PT com a cúpula de Fortaleza – incluindo o presidente Elmano de Freitas, da ala da ex-prefeita – discutiu detalhes da execução da campanha de Camilo para governador.

Não há entendimento sobre as cores a serem usadas nos materiais de campanha. Nomes ligados a Luizianne defendem a cor vermelha, mas os tons usados até agora, a partir de comando da cúpula do Pros – os responsáveis pela campanha “oficial” de Camilo – foram o amarelo e o laranja – que remetem ao Pros e à campanha de Roberto Cláudio, em 2012. Por causa de divergências com o grupo dos Ferreira Gomes, membros do PT de Fortalezas devem tocar uma campanha “paralela” para Camilo, com materiais produzidos em cor vermelha e comitê próprio. O comitê “oficial” de Camilo será na avenida Sebastião de Abreu, mesmo endereço que centralizou a campanha de Roberto Cláudio (Pros), em 2012, e a última campanha de Cid para governador (2010).

O apoio de opositores do Governo do Estado ao candidato lançado por Cid Gomes foi possível pela escolha, que partiu de Cid, de um candidato do PT para sucedê-lo. Camilo integra a ala “cidista” do PT – aquela que defende aliança do partido com os Ferreira Gomes -, além de manter relação próxima com o governador, chegando a integrar o primeiro escalão da era Cid, no primeiro e no segundo mandato.

Presidente do PT de Fortaleza, Elmano de Freitas, enxerga com naturalidade o apoio a Camilo. “Eu estou apoiando um candidato que é o do PT, e o governador também apoia. Como também é estranho que o governador Cid apoie a Dilma, e eu sou Dilma muito antes dele. Eu sou Lula muito antes de Cid, e sou do PT muito antes de Cid ter aliança com o PT. Estou no PT desde 1986 e os Ferreira Gomes vieram ter aliança com o PT muito tempo depois”, disse Elmano. O vereador Deodato Ramalho (PT) disse que o apoio a Camilo acontece devido a “coerência” do grupo”.

Antes da escolha de Camilo como candidato a governador, o grupo petista ligado a ex-prefeita cogitou apoiar o candidato Eunício Oliveira (PMDB). Apesar de ter conquistado adesão dos petistas dissidentes, Camilo não tem, até o momento, declarações de apoio de Luizianne. Em entrevista ao jornal O Povo, publicada no dia 15 de maio, a ex-prefeita afirmou que não apoiaria um candidato indicado por Cid Gomes nem mesmo se fosse um filiado do PT – o cenário estabelecido.

( Colaboraram Laila Cavalcante e Camilla Lima)

Publicidade

Dê sua opinião

Escolhido por Cid Gomes, Camilo Santana consolida apoio do grupo de Luizianne Lins

Membros dissidentes do PT prometem fazer uma “segunda” campanha para Camilo, com materiais produzidos em vermelho

Por Pedro Alves em Política

23 de julho de 2014 às 12:14

Há 5 anos
Camilo Santana

Camilo, em entrevista à Tribuna Band News, no dia 18 de julho (foto: Divulgação)

Lançado pelo governador Cid Gomes (Pros), o candidato ao Palácio da Abolição, Camilo Santana (PT), consolidou esta semana o apoio à sua campanha de membros do grupo político ligado à ex-prefeita Luizianne Lins (PT) – opositora de Cid. Nesta terça-feira, vereadores petistas, o senador José Pimentel (PT) e o ex-articulador político da gestão Luizianne, Waldemir Catanho (PT), participaram de encontro reservado com Camilo, no apartamento do candidato, em Fortaleza. No dia anterior, encontro do diretório estadual do PT com a cúpula de Fortaleza – incluindo o presidente Elmano de Freitas, da ala da ex-prefeita – discutiu detalhes da execução da campanha de Camilo para governador.

Não há entendimento sobre as cores a serem usadas nos materiais de campanha. Nomes ligados a Luizianne defendem a cor vermelha, mas os tons usados até agora, a partir de comando da cúpula do Pros – os responsáveis pela campanha “oficial” de Camilo – foram o amarelo e o laranja – que remetem ao Pros e à campanha de Roberto Cláudio, em 2012. Por causa de divergências com o grupo dos Ferreira Gomes, membros do PT de Fortalezas devem tocar uma campanha “paralela” para Camilo, com materiais produzidos em cor vermelha e comitê próprio. O comitê “oficial” de Camilo será na avenida Sebastião de Abreu, mesmo endereço que centralizou a campanha de Roberto Cláudio (Pros), em 2012, e a última campanha de Cid para governador (2010).

O apoio de opositores do Governo do Estado ao candidato lançado por Cid Gomes foi possível pela escolha, que partiu de Cid, de um candidato do PT para sucedê-lo. Camilo integra a ala “cidista” do PT – aquela que defende aliança do partido com os Ferreira Gomes -, além de manter relação próxima com o governador, chegando a integrar o primeiro escalão da era Cid, no primeiro e no segundo mandato.

Presidente do PT de Fortaleza, Elmano de Freitas, enxerga com naturalidade o apoio a Camilo. “Eu estou apoiando um candidato que é o do PT, e o governador também apoia. Como também é estranho que o governador Cid apoie a Dilma, e eu sou Dilma muito antes dele. Eu sou Lula muito antes de Cid, e sou do PT muito antes de Cid ter aliança com o PT. Estou no PT desde 1986 e os Ferreira Gomes vieram ter aliança com o PT muito tempo depois”, disse Elmano. O vereador Deodato Ramalho (PT) disse que o apoio a Camilo acontece devido a “coerência” do grupo”.

Antes da escolha de Camilo como candidato a governador, o grupo petista ligado a ex-prefeita cogitou apoiar o candidato Eunício Oliveira (PMDB). Apesar de ter conquistado adesão dos petistas dissidentes, Camilo não tem, até o momento, declarações de apoio de Luizianne. Em entrevista ao jornal O Povo, publicada no dia 15 de maio, a ex-prefeita afirmou que não apoiaria um candidato indicado por Cid Gomes nem mesmo se fosse um filiado do PT – o cenário estabelecido.

( Colaboraram Laila Cavalcante e Camilla Lima)