Guimarães defende “corte” de quem não apoiou Camilo e fala em relação “institucional” com RC


Guimarães defende “corte” de quem não apoiou Camilo e fala em relação “institucional” com RC

Petista diz que partido “olhará com carinho” para quem ajudou na campanha

Por Pedro Alves em Política

25 de novembro de 2014 às 12:15

Há 5 anos
Guimarães defende "corte" para definir aliados (FOTO: Roberta Tavares)

Guimarães defende “corte” para definir aliados (FOTO: Roberta Tavares)

Um dos interlocutores mais próximos do governador eleito Camilo Santana (PT), deputado federal José Guimarães (PT) afirma que em 2016 – ano de disputa pela Prefeitura de Fortaleza – o Partido dos Trabalhadores vai “olhar politicamente com muito carinho” somente para aqueles políticos que ajudaram na última campanha.

Ele considera que ainda é cedo para tratar da próxima eleição, e acredita que o assunto só interessa à imprensa que quer “fomentar briga antecipada”. Mas, ao falar do assunto, o petista defendeu “corte” para delimitar quem serão aliados ou não em 2016.

Forças políticas antagônicas, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros) e o deputado estadual eleito Elmano de Freitas (PT) apoiaram a eleição de Camilo – ao contrário da ex-prefeita Luizianne Lins (PT), que passou ao largo da campanha petista e pode se enquadrar no critério de corte defendido por Guimarães.

Elmano já declarou à imprensa que não apoiará possível candidatura de reeleição de Roberto Cláudio, fato que prenuncia tensionamento na base de Camilo, que terá que contornar o antagonismo entre aliados. Apoiador da campanha de Elmano para prefeito em 2012 – quando o petista foi derrotado por RC – Guimarães disse que o PT de Fortaleza, do qual Elmano é presidente, tem “vida própria”. Além disso, falou em “relação institucional” do governo Camilo com RC.

[…] “Enquanto militantes políticos que somos, vamos fazer o corte. Os que tiveram conosco, que nos ajudaram a construir a vitória, é claro que esses são os soldados de primeira hora, nós vamos olhar politicamente com muito carinho. Mas o governador, o Governo do Estado do Ceará, se relaciona institucionalmente com todos os prefeitos, inclusive com o prefeito de Fortaleza”.

O deputado petista não citou nomes que se enquadrariam na linha de corte que ele defende. Mas afirmou que “todos apoiaram. O Elmano apoiou. Mas ninguém mais do que eu apoiou a eleição do Camilo”. As declarações do petista tem peso no jogo político devido ao papel que o deputado desempenha, sendo atualmente o nome de maior influencia no PT do Ceará.

PT no secretariado

Guimarães é um dos aliados que tem diálogo constante com o governador eleito, em conversas diárias pessoalmente ou por telefone. Ele assegurou que, além da chefia do Poder Executivo, o PT ocupará outros espaços no governo, com a indicação de “outras forças políticas”, mas evitou revelar quais as secretarias ou que o nomes passam pela discussão. “Isso é coisa que se conversa, não que se divulga”. Nos corredores do Palácio da Abolição, o anúncio do secretariado de Camilo é dado como certo para o dia 22 de dezembro.

Questionado sobre o assunto, Camilo não confirmou a data. Ele ainda tratou como especulação a possível indicação do deputado estadual Mauro Filho (Pros) para a presidência do Banco do Nordeste – que representaria cota de Cid nas indicações do Governo Federal – ou mesmo a nomeação do próprio governador como ministro do Governo Federal, conforme informações na imprensa.

Publicidade

Dê sua opinião

Guimarães defende “corte” de quem não apoiou Camilo e fala em relação “institucional” com RC

Petista diz que partido “olhará com carinho” para quem ajudou na campanha

Por Pedro Alves em Política

25 de novembro de 2014 às 12:15

Há 5 anos
Guimarães defende "corte" para definir aliados (FOTO: Roberta Tavares)

Guimarães defende “corte” para definir aliados (FOTO: Roberta Tavares)

Um dos interlocutores mais próximos do governador eleito Camilo Santana (PT), deputado federal José Guimarães (PT) afirma que em 2016 – ano de disputa pela Prefeitura de Fortaleza – o Partido dos Trabalhadores vai “olhar politicamente com muito carinho” somente para aqueles políticos que ajudaram na última campanha.

Ele considera que ainda é cedo para tratar da próxima eleição, e acredita que o assunto só interessa à imprensa que quer “fomentar briga antecipada”. Mas, ao falar do assunto, o petista defendeu “corte” para delimitar quem serão aliados ou não em 2016.

Forças políticas antagônicas, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros) e o deputado estadual eleito Elmano de Freitas (PT) apoiaram a eleição de Camilo – ao contrário da ex-prefeita Luizianne Lins (PT), que passou ao largo da campanha petista e pode se enquadrar no critério de corte defendido por Guimarães.

Elmano já declarou à imprensa que não apoiará possível candidatura de reeleição de Roberto Cláudio, fato que prenuncia tensionamento na base de Camilo, que terá que contornar o antagonismo entre aliados. Apoiador da campanha de Elmano para prefeito em 2012 – quando o petista foi derrotado por RC – Guimarães disse que o PT de Fortaleza, do qual Elmano é presidente, tem “vida própria”. Além disso, falou em “relação institucional” do governo Camilo com RC.

[…] “Enquanto militantes políticos que somos, vamos fazer o corte. Os que tiveram conosco, que nos ajudaram a construir a vitória, é claro que esses são os soldados de primeira hora, nós vamos olhar politicamente com muito carinho. Mas o governador, o Governo do Estado do Ceará, se relaciona institucionalmente com todos os prefeitos, inclusive com o prefeito de Fortaleza”.

O deputado petista não citou nomes que se enquadrariam na linha de corte que ele defende. Mas afirmou que “todos apoiaram. O Elmano apoiou. Mas ninguém mais do que eu apoiou a eleição do Camilo”. As declarações do petista tem peso no jogo político devido ao papel que o deputado desempenha, sendo atualmente o nome de maior influencia no PT do Ceará.

PT no secretariado

Guimarães é um dos aliados que tem diálogo constante com o governador eleito, em conversas diárias pessoalmente ou por telefone. Ele assegurou que, além da chefia do Poder Executivo, o PT ocupará outros espaços no governo, com a indicação de “outras forças políticas”, mas evitou revelar quais as secretarias ou que o nomes passam pela discussão. “Isso é coisa que se conversa, não que se divulga”. Nos corredores do Palácio da Abolição, o anúncio do secretariado de Camilo é dado como certo para o dia 22 de dezembro.

Questionado sobre o assunto, Camilo não confirmou a data. Ele ainda tratou como especulação a possível indicação do deputado estadual Mauro Filho (Pros) para a presidência do Banco do Nordeste – que representaria cota de Cid nas indicações do Governo Federal – ou mesmo a nomeação do próprio governador como ministro do Governo Federal, conforme informações na imprensa.