Lula diz que falta de asfalto no Nordeste é “bom problema” - Noticias


Lula diz que falta de asfalto no Nordeste é “bom problema”

Segundo o Dnit, obras em rodovias federais do Ceará estão em ritmo lento

Por Joao Lobo em Política

28 de outubro de 2009 às 15:54

Há 10 anos

lula4O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (foto) disse nesta quarta-feira (28) que a falta de cimento asfáltico de petróleo para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Nordeste mostra que o país está crescendo.

De acordo com o presidente, o Brasil ficou 25 anos sem crescer e na medida em que começa a crescer, começa a sentir falta de coisas como a oferta de matéria-prima. “Isso é um problema, mas é o chamado bom problema, porque significa que temos que produzir mais asfalto, mais cimento, mais telha, mais tijolo, porque o Brasil não estava habituado com um programa para fazer um milhão de casas”.

No Ceará, todas as obras em rodovias federais, segundo o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), estão em ritmo lento e inconstante. A restauração da BR-116, no trecho próximo a Fortaleza, ficou parada em 11 dos últimos 15 dias.

O superintendente do Dnit no Estado, Joaquim Guedes Neto, estima prejuízo de R$ 23 mil por dia com as paradas. Receia que outras duas obras de pavimentação na BR-116, que deveriam começar em novembro, percam o prazo. De acordo com pesquisa do Jornal O Povo, dos 546 quilômetros da BR-116 que cortam o Ceará, 83% estão danificados.

Com informações da Agência Brasil

Publicidade

Dê sua opinião

Lula diz que falta de asfalto no Nordeste é “bom problema”

Segundo o Dnit, obras em rodovias federais do Ceará estão em ritmo lento

Por Joao Lobo em Política

28 de outubro de 2009 às 15:54

Há 10 anos

lula4O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (foto) disse nesta quarta-feira (28) que a falta de cimento asfáltico de petróleo para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Nordeste mostra que o país está crescendo.

De acordo com o presidente, o Brasil ficou 25 anos sem crescer e na medida em que começa a crescer, começa a sentir falta de coisas como a oferta de matéria-prima. “Isso é um problema, mas é o chamado bom problema, porque significa que temos que produzir mais asfalto, mais cimento, mais telha, mais tijolo, porque o Brasil não estava habituado com um programa para fazer um milhão de casas”.

No Ceará, todas as obras em rodovias federais, segundo o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), estão em ritmo lento e inconstante. A restauração da BR-116, no trecho próximo a Fortaleza, ficou parada em 11 dos últimos 15 dias.

O superintendente do Dnit no Estado, Joaquim Guedes Neto, estima prejuízo de R$ 23 mil por dia com as paradas. Receia que outras duas obras de pavimentação na BR-116, que deveriam começar em novembro, percam o prazo. De acordo com pesquisa do Jornal O Povo, dos 546 quilômetros da BR-116 que cortam o Ceará, 83% estão danificados.

Com informações da Agência Brasil