“O PSB irá voltar para o navio”, diz líder do PT José Guimarães


“O PSB irá voltar para o navio”, diz líder do PT, José Guimarães

De acordo com o deputado petista, o Partido dos Trabalhadores não irá seguir à pressão do líder do PSB, deputado Beto Albuquerque (RS), de também entregar

Por Felipe Lima em Política

19 de setembro de 2013 às 09:20

Há 6 anos

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) decidiu nesta quarta-feira (18) entregar todos os cargos no governo da presidente Dilma Rousseff. Apesar da decisão nacional, o governador do Ceará, Cid Gomes, não concordou com a opção da sigla. O posicionamento de Cid agradou o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães.

 posicionamento de Cid “agradou' o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (FOTO: Divulgação)

posicionamento de Cid “agradou’ o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (FOTO: Divulgação)

De acordo com o deputado petista, o Partido dos Trabalhadores não irá seguir à pressão do líder do PSB, deputado Beto Albuquerque (RS), de também entregar. “Não há nenhuma iniciativa da diretoria do PT de entregar os cargos. Qualquer posição nossa seria irresponsável”, afirmou Guimarães.

Questionado sobre o posicionamento de Cid Gomes diante à diretoria do PSB, Guimarães foi enfático: “Nosso objetivo é a reeleição de Dilma. Se ele [Cid Gomes] afirmou inteiramente, nós o queremos no palanque para 2014”.

Guimarães disse ainda que espera que reveja a decisão e apoie a reeleição de Dilma. “Eu acredito que, no futuro, o PSB irá voltar para o navio”, disse.

No âmbito do Ceará, o deputado federal também afirmou que não há iniciativa para o rompimento. “No estadual também não há iniciativa de rompimento. O objetivo é buscar apoio para 2014”, finalizou.

PSB

Apesar da cobrança de Albuquerque, Eduardo Campos, disse que não cabe à Executiva interferir nessa questão. Cada estado vai agir como entender melhor. “É a opinião do líder Beto Albuquerque, mas nós não deliberamos sobre isso, pelo contrário, nós explicitamos que em cada estado a direção estadual vai decidir”. Para ele, os governadores do PSB, que desejarem continuar com integrantes do PT em suas equipes, terão liberdade para isso.

PT Estadual

Em entrevista ao Portal Tribuna do Ceará, o líder do PT no Ceará, deputado Antônio Carlos, afirmou que não discute decisões de outros partidos, mas acredita que a postura do PSB terá consequências futuras. “Não discuto decisões internas do PSB, mas me parece que quem toma essa decisão e vai concorrer à Presidência terá que conviver com posturas diferenciadas. O Ceará é um estado com votação significativa e a posição do Cid Gomes (contra o rompimento), pode ter consequências”, disse o deputado estadual.

Ainda de acordo com Antônio Carlos, quanto mais apoio, melhor. “Nós somos defensores que o núcleo histórico (do PSB) apoio o governo Dilma. Se o Cid mudar de partido para um aliado, vai ser bom, já que pra gente quanto mais apoio, melhor. Se o governador continuar no PSB, acredito que ficará pressionado”.

Publicidade

Dê sua opinião

“O PSB irá voltar para o navio”, diz líder do PT, José Guimarães

De acordo com o deputado petista, o Partido dos Trabalhadores não irá seguir à pressão do líder do PSB, deputado Beto Albuquerque (RS), de também entregar

Por Felipe Lima em Política

19 de setembro de 2013 às 09:20

Há 6 anos

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) decidiu nesta quarta-feira (18) entregar todos os cargos no governo da presidente Dilma Rousseff. Apesar da decisão nacional, o governador do Ceará, Cid Gomes, não concordou com a opção da sigla. O posicionamento de Cid agradou o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães.

 posicionamento de Cid “agradou' o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (FOTO: Divulgação)

posicionamento de Cid “agradou’ o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (FOTO: Divulgação)

De acordo com o deputado petista, o Partido dos Trabalhadores não irá seguir à pressão do líder do PSB, deputado Beto Albuquerque (RS), de também entregar. “Não há nenhuma iniciativa da diretoria do PT de entregar os cargos. Qualquer posição nossa seria irresponsável”, afirmou Guimarães.

Questionado sobre o posicionamento de Cid Gomes diante à diretoria do PSB, Guimarães foi enfático: “Nosso objetivo é a reeleição de Dilma. Se ele [Cid Gomes] afirmou inteiramente, nós o queremos no palanque para 2014”.

Guimarães disse ainda que espera que reveja a decisão e apoie a reeleição de Dilma. “Eu acredito que, no futuro, o PSB irá voltar para o navio”, disse.

No âmbito do Ceará, o deputado federal também afirmou que não há iniciativa para o rompimento. “No estadual também não há iniciativa de rompimento. O objetivo é buscar apoio para 2014”, finalizou.

PSB

Apesar da cobrança de Albuquerque, Eduardo Campos, disse que não cabe à Executiva interferir nessa questão. Cada estado vai agir como entender melhor. “É a opinião do líder Beto Albuquerque, mas nós não deliberamos sobre isso, pelo contrário, nós explicitamos que em cada estado a direção estadual vai decidir”. Para ele, os governadores do PSB, que desejarem continuar com integrantes do PT em suas equipes, terão liberdade para isso.

PT Estadual

Em entrevista ao Portal Tribuna do Ceará, o líder do PT no Ceará, deputado Antônio Carlos, afirmou que não discute decisões de outros partidos, mas acredita que a postura do PSB terá consequências futuras. “Não discuto decisões internas do PSB, mas me parece que quem toma essa decisão e vai concorrer à Presidência terá que conviver com posturas diferenciadas. O Ceará é um estado com votação significativa e a posição do Cid Gomes (contra o rompimento), pode ter consequências”, disse o deputado estadual.

Ainda de acordo com Antônio Carlos, quanto mais apoio, melhor. “Nós somos defensores que o núcleo histórico (do PSB) apoio o governo Dilma. Se o Cid mudar de partido para um aliado, vai ser bom, já que pra gente quanto mais apoio, melhor. Se o governador continuar no PSB, acredito que ficará pressionado”.