Você está preparado para o plebiscito? tire suas dúvidas e simule a votação


Você está preparado para o plebiscito? Tire suas dúvidas e simule a votação

Com a consulta pública, as propostas são: majoritário (“distritão”), proporcional com lista fechada, proporcional com lista flexível, distrital, distrital misto ou em dois turnos

Por Tribuna do Ceará em Política

5 de julho de 2013 às 11:52

Há 6 anos

Após as inúmeras manifestações do último mês, a presidente Dilma Rouseff decidiu propor cinco pontos para a reforma política do Brasil. As propostas foram enviadas ao Senado na última terça-feira (2).

Os cinco pontos principais são: forma de financiamento de campanhas, definição do sistema eleitoral, continuidade ou não da existência da suplência no Senado, manutenção ou não das coligações partidárias e fim ou não do voto secreto no Parlamento.

Baseado nas propostas, o Tribuna do Ceará quer saber qual a opinião do leitor. Antes disso, entenda mais sobre o plebiscito:

1. forma de financiamento de campanhas:

Atualmente o financiamento de campanha é misto, isto é, ocorre por meio do fundo partidário, com parte dos recursos proveniente do Orçamento da União. Já o privado se dá por meio de doações de empresas e pessoas físicas.

Com o plebiscito pode mudar para financiamento público exclusivo com teto de gastos, público aliado a fundo nacional ou público com teto para pessoas físicas.

2. definição do sistema eleitoral:

Hoje, as eleições para presidente, senador, governador e prefeito, o sistema são de forma majoritário (em um ou dois turnos). Vence aquele que for o mais votado. Já para deputado e vereador, o sistema é o proporcional com lista aberta. É possível votar tanto no candidato como na legenda, e um quociente eleitoral é formado, definindo quais partidos ou coligações têm direito de ocupar as vagas em disputa. Com base nessa conta, o mais bem colocado de cada partido entra.

Com a consulta pública, as propostas são: majoritário (“distritão”), proporcional com lista fechada, proporcional com lista flexível, distrital, distrital misto ou em dois turnos.

3. suplência no Senado:

Atualmente o eleitor vota em chapa com um titular e dois suplentes, que exercem o mandato em caso de afastamento do principal para assumir cargo de ministro, secretário, prefeito, chefe de missão diplomática temporária ou no caso de renúncia morte ou cassação.

As propostas de mudança são: fim dos suplentes, redução ou sem a presença de familiares.

4. coligações partidárias

Hoje é permitido que os partidos façam coligações nas eleições proporcionais. Na proposta o eleitor vai decidir se proíbe ou permite, mas com coligações com tempo definido.

5. voto secreto no Senado

Hoje as votações são feitas de maneira secreta e com o plebiscito será definida a continuidade ou não do voto secreto.

Entendidos os pontos, você pode responder a enquete. Lembrando que a simulação do Portal Tribuna do Ceará não tem cunho político:

Publicidade

Dê sua opinião

Você está preparado para o plebiscito? Tire suas dúvidas e simule a votação

Com a consulta pública, as propostas são: majoritário (“distritão”), proporcional com lista fechada, proporcional com lista flexível, distrital, distrital misto ou em dois turnos

Por Tribuna do Ceará em Política

5 de julho de 2013 às 11:52

Há 6 anos

Após as inúmeras manifestações do último mês, a presidente Dilma Rouseff decidiu propor cinco pontos para a reforma política do Brasil. As propostas foram enviadas ao Senado na última terça-feira (2).

Os cinco pontos principais são: forma de financiamento de campanhas, definição do sistema eleitoral, continuidade ou não da existência da suplência no Senado, manutenção ou não das coligações partidárias e fim ou não do voto secreto no Parlamento.

Baseado nas propostas, o Tribuna do Ceará quer saber qual a opinião do leitor. Antes disso, entenda mais sobre o plebiscito:

1. forma de financiamento de campanhas:

Atualmente o financiamento de campanha é misto, isto é, ocorre por meio do fundo partidário, com parte dos recursos proveniente do Orçamento da União. Já o privado se dá por meio de doações de empresas e pessoas físicas.

Com o plebiscito pode mudar para financiamento público exclusivo com teto de gastos, público aliado a fundo nacional ou público com teto para pessoas físicas.

2. definição do sistema eleitoral:

Hoje, as eleições para presidente, senador, governador e prefeito, o sistema são de forma majoritário (em um ou dois turnos). Vence aquele que for o mais votado. Já para deputado e vereador, o sistema é o proporcional com lista aberta. É possível votar tanto no candidato como na legenda, e um quociente eleitoral é formado, definindo quais partidos ou coligações têm direito de ocupar as vagas em disputa. Com base nessa conta, o mais bem colocado de cada partido entra.

Com a consulta pública, as propostas são: majoritário (“distritão”), proporcional com lista fechada, proporcional com lista flexível, distrital, distrital misto ou em dois turnos.

3. suplência no Senado:

Atualmente o eleitor vota em chapa com um titular e dois suplentes, que exercem o mandato em caso de afastamento do principal para assumir cargo de ministro, secretário, prefeito, chefe de missão diplomática temporária ou no caso de renúncia morte ou cassação.

As propostas de mudança são: fim dos suplentes, redução ou sem a presença de familiares.

4. coligações partidárias

Hoje é permitido que os partidos façam coligações nas eleições proporcionais. Na proposta o eleitor vai decidir se proíbe ou permite, mas com coligações com tempo definido.

5. voto secreto no Senado

Hoje as votações são feitas de maneira secreta e com o plebiscito será definida a continuidade ou não do voto secreto.

Entendidos os pontos, você pode responder a enquete. Lembrando que a simulação do Portal Tribuna do Ceará não tem cunho político: