Atores não precisam tirar a roupa em teste para filme, orienta premiado cineasta


Atores não precisam tirar a roupa em teste para filme, orienta premiado cineasta

Diretor de Cine Holliúdy, Halder Gomes explica como funciona um teste de seleção. O procedimento é bem diferente do que o registrado no caso de assédio sexual no Cuca

Por Wolney Batista em Segurança Pública

15 de fevereiro de 2015 às 08:30

Há 4 anos
Halder aponta alguns erros cometidos pelo suposto diretor cearense denunciado por atrizes (FOTO: Reprodução/ Facebook)

Halder aponta alguns erros cometidos pelo suposto diretor cearense denunciado por atrizes (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A denúncia de assédio sexual promovido por um suposto diretor de cinema a atrizes cearenses, noticiada pelo Tribuna do Ceará na última quinta-feira (12), fez suscitar a dúvida sobre como é um teste cinematográfico. Segundo o cineasta Halder Gomes, diretor de Cine Holliúdy, o procedimento utilizado pelo rapaz acusado pelas estudantes de Teatro da Universidade Federal do Ceará (UFC) foi totalmente fora do habitual da categoria.

Em hipótese alguma a atriz tem que tirar roupa, ficar em situação constrangedora. Mesmo que tenha cena de sexo, não se obriga o ator a se despir”, explicou o diretor de cinema. As cenas de sexo ou nudez que venham a ser filmadas para o longa têm que ser definidas em um contrato, com o elenco ciente.

Halder ainda aconselha às mulheres a irem acompanhadas para inibir possíveis intimidações. No caso de uma seleção infantil, a presença dos pais é fundamental, indica o cineasta.

Todas as informações para a audição, como nome do diretor, da produtora e local do teste devem ser divulgadas ao público e comunicadas a uma entidade responsável, mesmo que seja por email. No ambiente da escolha de casting devem estar o diretor, o produtor, o produtor de elenco e o assistente de direção. O número de pessoas varia de acordo com o porte da produção, mas nunca a avaliação é feita por apenas um profissional, como aconteceu na produção que resultaria no suposto filme Barra do Ceará.

“A seleção tem que ser feita no escritório da produtora, em um lugar comercial; jamais na casa de alguém, por uma questão de ética”, aponta Halder. As atrizes que denunciaram o caso contam que inicialmente o teste seria realizado no Classic Hotel, na Praia de Iracema. Depois, passou para o Cuca Barra, equipamento de cultura e lazer mantido pela Prefeitura de Fortaleza.

Os testes sempre são gravados, para pode assistir de novo e tomar uma decisão discutida com outras pessoas”, esclarece Halder, outra conduta de praxe no mercado cinematográfico. Diferente do que aconteceu no caso, a atriz que foi ao Cuca da Barra do Ceará tentar a vaga no suposto filme declarou que não havia qualquer câmera ou outro integrante da equipe.

Halder Gomes é cineasta cearense e diretor do filme Cine Holliúdy, que teve mais de 500 mil espectadores no cinema. O longa ganhou 42 prêmios em festivais do mundo todo, entre eles o de melhor longa no Festival de Toronto e o de melhor longa de comédia, no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, tido como o “Oscar brasileiro”.

Raphael pediu para que as denúncias sobre ele parassem, pelo Facebook (FOTO: Reprodução)
CONVERSA ENTRE LILIAN E RAPHAEL
CONVERSA ENTRE LILIAN E RAPHAEL
CONVERSA ENTRE LILIAN E RAPHAEL

Investigação da polícia

A polícia instaurou inquérito para investigar Raphael Fyah, por prometer um salário de R$ 3 mil e a participação em um filme após aprovação em teste de cena de sexo. Segundo o delegado do 33º Distrito Policial, Sidney Furtado, o jovem Francisco Raphael da Costa Silva, que é conhecido pela polícia como Dentinho, será notificado e poderá responder ao artigo 216, atentado ao pudor mediante fraude.

“Vamos ouvir testemunhas e colher as imagens da Rede Cuca. Identifiquei uma vítima concreta no crime de atentado ao puder mediante fraude. Ela aceitou fazer o teste, e ele seria o próprio ator no filme, que conteria cenas fortes de estupro. Na sala do local, Raphael convenceu de forma fraudulenta e, com ela, teve atos libidinosos”, explicou o delegado. Cinco atrizes já formalizaram denúncia na delegacia.

Relembre as matérias sobre o caso:

12 de fevereiro – Alunas de teatro denunciam assédio sexual em teste para suposto filme em Fortaleza

12 de fevereiro – Diretor de cinema muda versão e admite que realizou teste com atriz para filme

13 de fevereiro – Veja como seriam as cenas de sexo e estupro de teste de atrizes para suposto filme em Fortaleza

13 de fevereiro – Polícia instaura inquérito para investigar suposto diretor de cinema denunciado por atrizes

14 de fevereiro – Aluna de cinema teve nome usado para convencer atrizes a fazer teste de cenas de sexo

14 de fevereiro – Diretores de cinema citados por suspeito de assédio sexual em teste de atrizes repudiam caso

Publicidade

Dê sua opinião

Atores não precisam tirar a roupa em teste para filme, orienta premiado cineasta

Diretor de Cine Holliúdy, Halder Gomes explica como funciona um teste de seleção. O procedimento é bem diferente do que o registrado no caso de assédio sexual no Cuca

Por Wolney Batista em Segurança Pública

15 de fevereiro de 2015 às 08:30

Há 4 anos
Halder aponta alguns erros cometidos pelo suposto diretor cearense denunciado por atrizes (FOTO: Reprodução/ Facebook)

Halder aponta alguns erros cometidos pelo suposto diretor cearense denunciado por atrizes (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A denúncia de assédio sexual promovido por um suposto diretor de cinema a atrizes cearenses, noticiada pelo Tribuna do Ceará na última quinta-feira (12), fez suscitar a dúvida sobre como é um teste cinematográfico. Segundo o cineasta Halder Gomes, diretor de Cine Holliúdy, o procedimento utilizado pelo rapaz acusado pelas estudantes de Teatro da Universidade Federal do Ceará (UFC) foi totalmente fora do habitual da categoria.

Em hipótese alguma a atriz tem que tirar roupa, ficar em situação constrangedora. Mesmo que tenha cena de sexo, não se obriga o ator a se despir”, explicou o diretor de cinema. As cenas de sexo ou nudez que venham a ser filmadas para o longa têm que ser definidas em um contrato, com o elenco ciente.

Halder ainda aconselha às mulheres a irem acompanhadas para inibir possíveis intimidações. No caso de uma seleção infantil, a presença dos pais é fundamental, indica o cineasta.

Todas as informações para a audição, como nome do diretor, da produtora e local do teste devem ser divulgadas ao público e comunicadas a uma entidade responsável, mesmo que seja por email. No ambiente da escolha de casting devem estar o diretor, o produtor, o produtor de elenco e o assistente de direção. O número de pessoas varia de acordo com o porte da produção, mas nunca a avaliação é feita por apenas um profissional, como aconteceu na produção que resultaria no suposto filme Barra do Ceará.

“A seleção tem que ser feita no escritório da produtora, em um lugar comercial; jamais na casa de alguém, por uma questão de ética”, aponta Halder. As atrizes que denunciaram o caso contam que inicialmente o teste seria realizado no Classic Hotel, na Praia de Iracema. Depois, passou para o Cuca Barra, equipamento de cultura e lazer mantido pela Prefeitura de Fortaleza.

Os testes sempre são gravados, para pode assistir de novo e tomar uma decisão discutida com outras pessoas”, esclarece Halder, outra conduta de praxe no mercado cinematográfico. Diferente do que aconteceu no caso, a atriz que foi ao Cuca da Barra do Ceará tentar a vaga no suposto filme declarou que não havia qualquer câmera ou outro integrante da equipe.

Halder Gomes é cineasta cearense e diretor do filme Cine Holliúdy, que teve mais de 500 mil espectadores no cinema. O longa ganhou 42 prêmios em festivais do mundo todo, entre eles o de melhor longa no Festival de Toronto e o de melhor longa de comédia, no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, tido como o “Oscar brasileiro”.

Raphael pediu para que as denúncias sobre ele parassem, pelo Facebook (FOTO: Reprodução)
CONVERSA ENTRE LILIAN E RAPHAEL
CONVERSA ENTRE LILIAN E RAPHAEL
CONVERSA ENTRE LILIAN E RAPHAEL

Investigação da polícia

A polícia instaurou inquérito para investigar Raphael Fyah, por prometer um salário de R$ 3 mil e a participação em um filme após aprovação em teste de cena de sexo. Segundo o delegado do 33º Distrito Policial, Sidney Furtado, o jovem Francisco Raphael da Costa Silva, que é conhecido pela polícia como Dentinho, será notificado e poderá responder ao artigo 216, atentado ao pudor mediante fraude.

“Vamos ouvir testemunhas e colher as imagens da Rede Cuca. Identifiquei uma vítima concreta no crime de atentado ao puder mediante fraude. Ela aceitou fazer o teste, e ele seria o próprio ator no filme, que conteria cenas fortes de estupro. Na sala do local, Raphael convenceu de forma fraudulenta e, com ela, teve atos libidinosos”, explicou o delegado. Cinco atrizes já formalizaram denúncia na delegacia.

Relembre as matérias sobre o caso:

12 de fevereiro – Alunas de teatro denunciam assédio sexual em teste para suposto filme em Fortaleza

12 de fevereiro – Diretor de cinema muda versão e admite que realizou teste com atriz para filme

13 de fevereiro – Veja como seriam as cenas de sexo e estupro de teste de atrizes para suposto filme em Fortaleza

13 de fevereiro – Polícia instaura inquérito para investigar suposto diretor de cinema denunciado por atrizes

14 de fevereiro – Aluna de cinema teve nome usado para convencer atrizes a fazer teste de cenas de sexo

14 de fevereiro – Diretores de cinema citados por suspeito de assédio sexual em teste de atrizes repudiam caso