Cadeirante encontrado morto e sem os olhos em meio a velas morreu de fome

NEGLIGÊNCIA

Cadeirante encontrado morto e sem os olhos em meio a velas morreu de fome

Não foram encontrados indícios de agressão física a Maicon Jones. Corpo foi achado após vizinhos sentirem o mau cheiro

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

4 de outubro de 2018 às 14:41

Há 9 meses
Fachada do local onde cadeirante residia

O cadeirante foi encontrado morto sem os olhos dentro de casa (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

O cadeirante encontrado morto sem dois olhos e rodeados de velas, no bairro João XXIII, morreu de fome. Segundo o delegado Renato Almeida em coletiva, Maicon Jones dos Santos Meireles, de 19 anos, havia morrido na última sexta-feira (28) e não na última segunda (1), quando foi encontrado sem vida.

A tia e mãe adotiva da vítima Maria Leoneida dos Santos Meireles, de 38 anos, foi presa em flagrante na terça-feira (2), no prédio da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) por negligência.

De acordo com Renato, não foram encontrados indícios de qualquer tipo de agressão física no cadáver de Maicon. A ausência dos olhos deve-se ao estado de putrefação do corpo.

“Os peritos informaram que o corpo chegou bastante debilitado, sem alguns órgãos. Ela (tia) estava na Pefoce para retirar o corpo”, explicou o delegado. Em depoimento, Maria Leoneida explicou à polícia que o cadeirante faleceu na segunda e nega que ele tenha passado fome. “Disse que, quando acordou, encontrou o rapaz morto”, afirmou.

O caso

Os vizinhos do cadeirante sentiram o mau cheiro que estava exalando desde domingo (30) e resolveram acionar a polícia. Ao chegar à residência situada na rua Sabiá, no bairro João XXIII, os agentes de segurança encontraram o corpo do jovem rodeado por velas. De acordo com populares, a tia não deixava ninguém se aproximar do rapaz e não aceitava qualquer tipo de auxílio.

Segundo a polícia, ao ser questionada sobre ter permanecido todo esse tempo com o corpo do rapaz, sem pedir ajuda ou chamar alguém, ela disse que não tinha a quem pedir. Os dois moravam em uma quitinete.

A vizinhança também conta que Maicon gritava muito. Testemunhas acionaram o Conselho Tutelar afirmando que o rapaz parecia viver em um cativeiro. O perito não viu elementos para que a mulher fosse presa em flagrante e preferiu aguardar apuração posterior.

Com informações do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Publicidade

Dê sua opinião

NEGLIGÊNCIA

Cadeirante encontrado morto e sem os olhos em meio a velas morreu de fome

Não foram encontrados indícios de agressão física a Maicon Jones. Corpo foi achado após vizinhos sentirem o mau cheiro

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

4 de outubro de 2018 às 14:41

Há 9 meses
Fachada do local onde cadeirante residia

O cadeirante foi encontrado morto sem os olhos dentro de casa (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

O cadeirante encontrado morto sem dois olhos e rodeados de velas, no bairro João XXIII, morreu de fome. Segundo o delegado Renato Almeida em coletiva, Maicon Jones dos Santos Meireles, de 19 anos, havia morrido na última sexta-feira (28) e não na última segunda (1), quando foi encontrado sem vida.

A tia e mãe adotiva da vítima Maria Leoneida dos Santos Meireles, de 38 anos, foi presa em flagrante na terça-feira (2), no prédio da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) por negligência.

De acordo com Renato, não foram encontrados indícios de qualquer tipo de agressão física no cadáver de Maicon. A ausência dos olhos deve-se ao estado de putrefação do corpo.

“Os peritos informaram que o corpo chegou bastante debilitado, sem alguns órgãos. Ela (tia) estava na Pefoce para retirar o corpo”, explicou o delegado. Em depoimento, Maria Leoneida explicou à polícia que o cadeirante faleceu na segunda e nega que ele tenha passado fome. “Disse que, quando acordou, encontrou o rapaz morto”, afirmou.

O caso

Os vizinhos do cadeirante sentiram o mau cheiro que estava exalando desde domingo (30) e resolveram acionar a polícia. Ao chegar à residência situada na rua Sabiá, no bairro João XXIII, os agentes de segurança encontraram o corpo do jovem rodeado por velas. De acordo com populares, a tia não deixava ninguém se aproximar do rapaz e não aceitava qualquer tipo de auxílio.

Segundo a polícia, ao ser questionada sobre ter permanecido todo esse tempo com o corpo do rapaz, sem pedir ajuda ou chamar alguém, ela disse que não tinha a quem pedir. Os dois moravam em uma quitinete.

A vizinhança também conta que Maicon gritava muito. Testemunhas acionaram o Conselho Tutelar afirmando que o rapaz parecia viver em um cativeiro. O perito não viu elementos para que a mulher fosse presa em flagrante e preferiu aguardar apuração posterior.

Com informações do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.